Pão integral pode?

Depende…

Hoje vou contar um pouco pra vocês a respeito do suposto pão integral que nós brasileiros estamos consumindo. Esperei um pouco esse “fuzuê” de blogueiras passar: “tem que comer essa, essa e essa marca”, “tem que fazer essa receita”, “esse é o certo, esse é o errado”, para falar o que é o “pão integral” no Brasil.

Acontece que de acordo com a RDC N° 90, de 18 DE OUTUBRO DE 2000 (a mais atual que temos), o pão integral deve ser composto por farinha de trigo e farinha de trigo integral e ou fibra de trigo e ou farelo de trigo

2.2.4. Pão integral: produto preparado, obrigatoriamente, com farinha de trigo e farinha de trigo integral e ou fibra de trigo e ou farelo de trigo.

link: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/973c370047457a92874bd73fbc4c6735/RDC_90_2000.pdf?MOD=AJPERES

(Ou seja, eu posso produzir um pão de farinha branca, enriquecida com farelo de trigo e chama-lo de integral).

Em outros países como EUA e Holanda o pão integral de trigo só pode levar esse nome se for produzido apenas com farinha integral. Na Holanda, apenas pães feitos com 100% de grãos não processados ganham o rótulo de integrais.

Assim…

Existe algum produto no mercado que seja 100% integral? Segundo os rótulos existe…

integral 1integral 2 integral 4 integral

E os ingredientes também….

rotulo integral

Então… posso comer desses pães 100% integrais a vontade? Não!! Para adquirir a textura adequada, são introduzidos nesses pães uma série de aditivos químicos que conferem a maciez necessária, inclusive o glúten é adicionado como ingrediente para tal.

A que conclusão chegamos? Que existem pães 100% integrais no Brasil, porém nem todos que afirmam ser integrais o são verdadeiramente. Então, antes de comprar um pão procure ler os ingredientes para saber se ele é realmente integral. Pela quantidade de aditivos químicos que os pães 100% integrais apresentam, eu sugiro que faça o seu próprio pão integral, congele no freezer em porções e vá descongelando à medida que for consumindo.

Segundo algumas fontes, descobrimos que após denuncias ao Ministério Público, já existe um inquérito em andamento, pedindo urgência à ANVISA para que haja aprimoramento na norma vigente  de modo a definir padrões de identidade, qualidade e teor mínimo de grãos integrais nos produtos à base de cereais integrais.

escritopor2gabriela

Termogênicos Emagrecedores são Responsáveis por casos de Hepatite Aguda não Viral

contras versa 1 oxyelite

Não é de hoje que nós nutricionistas alertamos os pacientes a respeito do uso de termogênicos, emagrecedores e pré-treinos, né…A maioria desses produtos contém substâncias que fazem mal à nossa saúde. Infelizmente poucos acreditam, por que muitas vezes o efeito negativo do uso é sentido a longo prazo. Pois bem, hoje a anvisa divulgou alguns casos que já ocorreram com o uso de algumas substâncias proibidas aqui no Brasil:

A Organização Mundial de Saúde atualizou as informações sobre a ocorrência de hepatite aguda não viral associada ao consumo de suplementos da marca OxyElite Pro e Versa 1. Até 13 de novembro, havia 62 casos de hepatite não-viral aguda nos Estados Unidos subsequente ao consumo dos referidos suplementos, incluindo um óbito, um transplante e outros pacientes aguardam na fila de transplantes.

No último dia 1º de novembro a Anvisa já havia divulgado um alerta sobre a relação destes produtos com a ocorrência de hepatites. No Brasil, o produto já havia sido proibido, pois utiliza substâncias não autorizadas para suplementos alimentares no país. Entre as substâncias está o DMAA, que tem efeitos estimulantes sobre o sistema nervoso central, pode causar dependência, além de outros efeitos adversos, como insuficiência renal, falência do fígado e alterações cardíacas, podendo levar a morte.

Segundo a OMS, também há um caso registrado na Irlanda e dois em investigação na Nova Zelândia. Os suplementos envolvidos nas investigações incluem outras marcas, além daquelas inicialmente divulgadas pela FDA: OxyELITE Pro Super Thermo em cápsulas; OxyELITE Pro Ultra-Intense Thermo em cápsulas; OxyELITE Pro Super Thermo em pó, OxyELITE Pro and OxyELITE Powder Super T. Genic Caffeinated Beverage. e VERSA-1.

Atualmente, existe no mercado internacional uma nova fórmula desses suplementos, sem a adição de DMAA, mas com a incorporação de novos ingredientes, incluindo a substância Aegeline. A Aegeline é uma versão sintética de um alcalóide extraído de planta asiática que está sendo investigada como possível responsável pelos casos relatados de hepatite aguda não viral.

A nova fórmula do OxyElite também não pode ser legalmente comercializada no Brasil. Apesar da suspensão da fabricação, o produto ainda é encontrado em sites de venda, trazendo riscos para seus usuários. Nesse sentido, a Anvisa alerta aos consumidores que não consumam esses suplementos e informa que manterá a população informada sobre os avanços na investigação conduzida pelos Estados Unidos.

Quer perder peso? procure um nutricionista confiável!

Saiba mais: EUA alerta sobre uso de OxyElite Pro e casos de hepatite aguda http://s.anvisa.gov.br/wps/s/r/c79a

escritopor2gabriela