Cerveja para atletas?

erdingerSeria mesmo verdade? Muitos já estão consumindo a famosa cerveja para atletas como pós treino e muitos estão se perguntando o que é a cerveja para atletas, então vou contar um pouquinho a respeito…

A cerveja Cerveja Erdinger Sport 500ml , é uma cerveja alemã, desenvolvida para atletas. Ela é totalmente natural e livre de aditivos químicos, gordura ou colesterol, a Erdinger Sport é uma bebida isotônica, que mantém o sabor original da cerveja de trigo. Contém todas as vitaminas do Complexo B, além de minerais como Potássio, Fósforo, Magnésio, Sódio e importantes aminoácidos como o BCAA. O resíduo alcoólico é de 0,39% e ela tem 25 kcal a cada 100ml.

Aí você me pergunta, como pode a cerveja ser vendida sem álcool e conter 0,39% de resíduo alcoólico? Simples, a legislação brasileira afirma que a quantidade de álcool necessário para um produto ser considerado alcoólico, deve ser acima de 0,5%, como esta cerveja contém somente 0,39%, ela não é considerada um produto alcoólico – lembrando que uma cerveja aqui possui em média 4,9% de álcool. O álcool das cervejas sem álcool pode ser retirado através de processos físico-químicos, ou utilizando outra técnica que é o controle na etapa de fermentação.

De acordo com o rótulo, a quantidade de calorias e proteínas se diferenciam muito das cervejas tradicionais – lembro que a quantidade de calorias e do álcool é diretamente proporcional. A cerveja/ isotônico não é tão calórica e a cada a 100ml, apresenta 0,4g de proteínas.

100 ml contain on average 500 ml = 1 serving
Calorific content 107 kJ / 25 kcal 535 kJ / 125 kcal
Fathereof saturated fatty acids < 0,1 g< 0,1 g < 0,1 g< 0,1 g
Carbohydrateshereof sugar 5,3 g3,6 g 26,5 g18 g
Protein 0,4 g 2,0 g
Salt 1,3 mg 6,5 mg
Folic acid 20 µg (10%*) 100 µg (50%*)
Vitamin B12 0,13 µg (5,2%*) 0,65 µg (26%*)
Polyphenol 30 mg 150 mg

* of the recommended daily dose

A minha opinião? Se você estiver evitando bebidas alcoólicas, e ama uma cervejinha, experimente! É leve e gostosa, mas quando comparado a um isotônico comum, o preço o é bem salgado.

Consulte sua nutri 😉

escritopor2gabriela

Anúncios

Como Manter o Peso e a Saúde na Copa?

pts

Enfiou o pé na jaca em dia de jogo? Pois é, eu também! Por isso, hoje resolvi dar algumas dicas de como manter o peso e a saúde entre tantos salgadinhos, pipocas e cervejas.

  1. Procure compensar nas outras refeições do dia. Se o jogo é as 17h e vai ter churrasco, procure se alimentar da forma mais saudável possível no café da manhã e no almoço, optando por alimentos pouco calóricos e ricos em vitaminas e minerais.
  2. Não é porque estamos na copa que você deve parar com a rotina de exercício. Pelo contrário. Se vai ser difícil malhar/treinar depois do jogo, faça-o antes.
  3. Não exagere na cerveja! Sabemos que futebol e cerveja andam juntos, mas nada de beber até cair. O melhor a fazer é beber moderadamente e intercalar as bebidas alcoólicas com água. O álcool é extremamente calórico.
  4. Não saia de casa para ver o jogo em jejum! Coma algo leve antes de sair para diminuir a vontade de devorar petiscos.
  5. Se vai assistir o jogo em casa, procure fazer petisco saudáveis, como pipoca sem manteiga, chips de legumes no forno (receita), guacamole (receita) ou mix de oleaginosas.
  6. Se vai ao estádio, coma antes do jogo! Além de evitar a “falência” com os preços absurdos (clique aqui), você também evita o risco de passar mal com comida contaminada  como aconteceu em Pernambuco (clique aqui) e ainda pode se alimentar de forma mais saudável em casa.
  7. Nesta época, evite comer doces! Já que a cervejinha e os petiscos já estão incluídos no cardápio do dia, não tem porque se empanturrar de doces também.
  8. Nos demais dias volte a sua rotina normal! Nada do pensamento: “ah, já que enfiei o pé na jaca, vou aproveitar”. Alimente-se da forma mais saudável possível nos outros dias.
  9. Beba muito líquido, principalmente sucos naturais, água e chás!
  10. Abuse dos alimento antioxidantes como frutas cítricas, uvas escuras, amora, mirtilo, morangos, dentre outros (para saber mais clique aqui).

Enfim, aproveite sem perder a linha e divirta-se! 😉

escritopor2gabriela

Dica de aplicativo

Aqui no Batata a gente fala de saúde, de comida, de atividade física, de música, de livro e porquê não falar também de aplicativos legais que a gente usa?

A dica de hoje é para quem gosta de apreciar uma boa cerveja diferente e poder compartilhar suas opiniões sobre o que anda provando. É uma maneira de se tornar um “cervejeiro” amador, dividindo com outros amadores (e experts!) sua opinião.

untappd

O aplicativo chama Untappd e permite que você avalie as cervejas que anda provando num banco de dados de várias marcas de todo o mundo. Mas e se você não achar a cerveja que está bebendo? Ele te dá a opção de cadastro da marca! No aplicativo você dá nota, opinião, registra a foto da garrafa e ainda pode sugerir o que acompanha sua gelada no momento da avaliação.

O defeito? O aplicativo é todo em inglês, então se você não é fluente na língua talvez ele não seja tão divertido quanto para os fluentes.

No nosso papel de nutricionistas vale lembrar que quanto maior o teor alcoólico da bebida maior é seu valor calórico, portanto vale degustar com moderação e sempre combinando pratos ou petiscos mais leves, para poder aproveitar sem culpa!  

escritopor2marina

Boa Nova: Consumo moderado de cerveja traz benefícios para o coração

Estudo lançado em Madrid, que comprova os benefícios da cerveja para a saúde cardiovascular, foi apresentado pela primeira vez no Brasil

Beber cerveja faz bem para o coração. Esta foi a conclusão apresentada pela médica espanhola Lina Badimón durante sua palestra no XXXIV Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, no último sábado, 01/06. Diretora do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona, Dra. Lina esteve no Brasil pela primeira vez e apresentou o estudo Os Efeitos Protetores da Cerveja no Sistema Cardiovascular, publicado em agosto passado, em Madrid. 
Durante a palestra, Dra. Lina demonstrou para uma plateia com mais de 500 médicos brasileiros que o consumo moderado de cerveja é capaz de reduzir a cicatriz no coração provocada por um infarto agudo do miocárdio. De acordo com a investigação, a bebida favorece a reparação das fibroses em corações lesionados, resultando não só em um menor tamanho da cicatriz, mas em uma melhora geral no funcionamento cardíaco. 
Além disso, a pesquisa levou à conclusão de que, após o consumo moderado de cerveja, houve uma melhora na quantidade e na qualidade das partículas de HDL (colesterol bom), diminuindo assim os efeitos oxidantes sem que exista alteração de massa corporal. 
Também participaram da apresentação Dr. Nabil Ghorayeb, especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte e coordenador geral do Sport Check-up HCor, e a nutricionista Rosana Perim, Gerente de Nutrição do HCor. Esta foi a primeira vez que os benefícios da cerveja foram discutidos entres os profissionais brasileiros da área de saúde. Agora o próximo passo é aguardar possíveis estudos no país, que demonstrem que o prazer da beber cerveja moderadamente pode estar atrelado a diversos benefícios para saúde.
 

Dra. Lina Badimón

Nome: Lina Badimón
Idade: 46
Ocupação: pesquisadora médica
País: Espanha
Cargo: diretora da cadeira de Pesquisas Cardiovasculares da Universidade Autônoma de Barcelona

Lina Badimón, diretora de Pesquisas Cardiovasculares da Universidade Autônoma de Barcelona, atua em uma das áreas da medicina em que a sociedade deposita suas maiores esperanças: decifrar os mecanismos dos ataques cardíacos, a maior causa de morte nos países desenvolvidos. Aos 45 anos, Badimón já tem um histórico profissional impressionante, que inclui a administração do laboratório de cardiologia do hospital Mount Sinai, em Nova York, cuja criação lhe foi confiada quando tinha só 29 anos. Ela também fez pesquisas na Universidade Harvard. Badimón acha que os conhecimentos adquiridos nos últimos anos vão permitir um salto revolucionário: encontrar um mecanismo para bloquear a formação de placas nas artérias. O ataque pode resultar em modificações genéticas devidas a fatores externos, como dieta inadequada. Acha que estamos perto de encontrar a resposta e, com ela, uma estratégia para evitar os ataques cardíacos.  

Lina Badimon é Diretora do Centro de Pesquisa Cardiovascular (CSIC-ICCC) de Barcelona, do Conselho Nacional Espanhol de Pesquisa (CSIC), do Hospital Santa Cruz e San Pablo, e da Escola de Medicina da Universidade Autônoma de Barcelona. Também é professora adjunta associada de Medicina – Cardiologia na Escola de Medicina Mount Sinai, Nova Iorque. 
– Quais os principais resultados obtidos com o estudo?
Os efeitos benéficos da cerveja estavam descritos na literatura científica e já havia sido detectado que o consumo moderado da cerveja se associa a benefícios para proteção cardiovascular: redução de infarto e controle dos fatores de risco cardiovasculares. A partir disso, decidimos investigar a nível celular e molecular se a cerveja poderia ter o efeito de bloquear a formação dos radicais livres, um processo que está associado, por exemplo, ao processo de isquemia coronária. Nosso trabalho se centrou em um modelo experimental com o uso de 1 a 2 latas de cerveja ao dia e por fim detectamos que o grupo que tomou cerveja teve uma menor lesão no coração e uma melhor função arterial. 
– Como os ingredientes da cerveja atuam para beneficiar à saúde?
A cerveja é um produto fabricado com componentes naturais que não se perdem no processo de fermentação necessário para a produção da bebida. Em todos estes componentes existem elementos nutritivos com efeitos protetores, mas o efeito mais importante se deve a quantidade de antioxidantes que há no lúpulo – o lúpulo confere à cerveja até 30% da sua capacidade antioxidante. 
Qual é a exata substância encontrada na bebida que causa o benefício apontado na pesquisa?

Esta é uma boa pergunta. Inicialmente, há alguns efeitos que estão associados com a fermentação alcoólica. Mas há outra parte que está associada com a quantidade de antioxidantes contida na bebida, porque comparamos os efeitos da cerveja tradicional coma cerveja sem álcool, e vimos benefícios à saúde nas duas versões.
 

– O que se pode entender por consumo moderado?
Existe um acordo internacional, com base em provas científicas e médicas, que indica que a quantidade máxima de álcool que se pode ingerir por dia é 30g entre os homens, que corresponde a três cervejas ou dois copos de vinho, e 20g entre as mulheres, que corresponde a duas cervejas ou uma taça de vinho. 
Existe diferença de benefícios entre diferentes estilos de cerveja?
A quantidade de antioxidante presente na cerveja pode até variar um pouco dependo do processo de fermentação utilizado na produção da bebida, mas em geral toda cerveja tem os mesmos efeitos protetores, já que todas possuem os mesmos componentes básicos.
Tais benefícios à saúde também ocorrem em pessoas sedentárias?

Não formulamos as perguntas do nosso estudo de acordo com o nível de exercícios físicos, então não há como responder. Mas com base em outros trabalhos na literatura científica , podemos dizer que os benefícios dos antioxidantes na dieta se acumulam com os exercícios. Então, se a pessoa pratica exercícios, é bem melhor.
 
 
Se não é o álcool tão somente que gera os benefícios apontados pela pesquisa, pessoas que não gostam de álcool ou simplesmente não podem ingeri-lo podem ter as mesmas vantagens de outra forma?

A cerveja não alcoólica, como disse, também é benéfica, e provavelmente outras bebidas produzidas a partir da fermentação de componentes naturais, como o vinho, podem causar benefícios semelhantes.

Sei que a senhora já está produzindo novos estudos. Conte-me um pouco sobre eles.

Semana passada, por exemplo, estava em um encontro na Espanha, um congresso anual sobre esclerose. Estamos apresentando informações sobre os efeitos do consumo da cerveja na disfunção endotelial. as células endoteliais são importantes na regulação do desenvolvimento da esclerose e temos visto que a função endotelial é preservada tanto pela cerveja tradicional quanto pela versão não alcoólica. Este é um segundo estudo que estamos desenvolvendo e agora estamos usando informações do genoma humano para saber quais genes que são regulados (pela bebida).

A senhora acha que, num futuro próximo, uma vez que se consiga identificar as exatas substâncias da cerveja que causam os benefícios à saúde, ela pode ser transformada em uma pílula, por exemplo?

Esta não é uma meta para nosso estudo, mas é algo que pode ser extraído dele. A informação disponível até agora não é lá muito boa. Quando as vitaminas E ou C são ingeridas em comprimidos, elas não têm o mesmo efeito quando se come um alimento rico nestas vitaminas. Há uma discrepância entre ingerir um alimento rico em antioxidantes para ter os efeitos da substância e tomar uma pílula. Vemos então que existe uma transição (entre a composição natural e a forma em pílula) que ainda não sabemos como lidar.


Fonte: In Press Porter Novellie CISA : Centro de Informações Sobre Álcool e Saúde


ENTÃO PODE TOMAR UMA LATINHA DE CERVEJA EM COMEMORAÇÃO AO NOSSO QUINTO ANIVERSÁRIO. SAÚDE !

Cerveja para Celíacos, pode? – Parte 2

Pode, ainda bem que pode! 
Um dos maiores desafios para os recém diagnosticados com a doença celíaca e amantes de uma mesa de bar é deixar de tomar cerveja. Assumo que foi a minha maior preocupação quando recebi a notícia no início de 2012 (nem pensei na pizza, no pão, no macarrão, juro). Ironicamente, algumas semanas antes de receber o diagnóstico, eu estava programando fazer um curso de fabricação de cervejas em uma micro cervejaria daqui de BH. Pois é, não deu.
Não satisfeita, comecei a busca incessante pelas cervejas sem gluten. Já havia lido muito a respeito de várias marcas, mas nunca pensei que fosse ser tão difícil encontrar por aqui, pelo menos em Belo Horizonte.
A primeira delas que encontrei foi a Estrella Damm Daura (aquela que contamos nesse post aqui). Com um percentual alcoólico um pouco maior do que as cervejas tradicionais (5,4%), é uma cerveja estilo Pale Lager (de acordo com a Beer Advocate), um pouco mais amarga (mas não tanto quanto a Heikenen, que eu me lembre) e bem gostosa.

Qual:Estrella Damm Daura – 330ml

Cervejaria:Damm
Origem:Espanha
Estilo:Pale Lager / American Lager
Álcool (%): 5,4% ABV
Concentração de Gluten: 6ppm
Temperatura:0 a 4 ºC
Copo Ideal: Lager (Chope)
Preço Médio: R$15 a R$16

Antes de ser celíaca um dos meus lugares favoritos em BH era o Mamãe Bebidas, uma loja de conveniência com foco em cervejas especiais. Eu sempre perdia o controle lá dentro. Um dia desses, passando por uma das lojas, resolvi perguntar se tinham alguma outra cerveja sem gluten sem ser a Estrella Damm Daura. Pra minha surpresa, me apresentaram a Žatec Celia, da cervejaria Tcheca Žatecký Pivovar (que eu nunca tinha ouvido falar). É uma Pilsen bem levinha, saborosa, com 4,5% de álcool e não faz muito colarinho. Não é a melhor que eu já tomei na vida, mas vale a experiência.
Qual:Žatec Celia – 500ml
Cervejaria: Žatecký Pivovar
Origem:República Tcheca
Estilo: Pilsen
Álcool (%): 4,5% ABV
Concentração de Gluten: 5ppm
Temperatura:0 a 5 ºC
Copo Ideal: Flauta ou Pilsner
Onde Encontrar: Mamãe Bebidas
Preço Médio: R$13 a R$14


A Mongozo Gluten Free é uma Premium Pilsner da cervejaria Mongozo, mais conhecida por suas cervejas super exóticas com sabor de banana, coco, manga entre outras. Apesar da fama da cervejaria, a GF não tem nada de exótica e é facilmente uma das melhores que já tomei até o momento, bem refrescante e não tão amarga quanto a Estrella Damm. Ah, e a cerveja tem a certificação da Fair Trade Foundation, além de ser orgânica.
Curiosidade:Mongozo quer dizer “Saúde” (“cheers”) na língua do povo Chowke, que vive espalhado pela Angola, Zambia e República Democrática do Congo. Essa é a origem de Henrique Kabia, um dos fundadores da cervejaria estabelecida na Holanda, que levou com ele a receita das cervejas exóticas passadas de pai pra filho em sua família.
Qual: Mongozo Gluten Free – 330ml
Cervejaria:Mongozo
Origem: Holanda
Estilo:Pilsen
Álcool (%): 5,0% ABV
Concentração de Gluten: não informado
Temperatura:3 a 5 ºC
Copo Ideal: Flauta ou Pilsner
Onde Encontrar: Mamãe Bebidas
Preço Médio: R$14 a R$16


Por último, chegamos à Green’s, uma cervejaria especializada na fabricação de cervejas sem gluten que possui uma carta com nove variedades: Lager Dry Hopped, India Pale Ale, Discovery, Amber, Dark Ale, Blond, Lager Lite, Golden Ale e Premium Pils.
Sempre tive vontade de experimentar as cervejas da Green’s e, graças ao blog do Daniel Lopes, descobri que era possível encontrar pelo menos 3 variedades no Mamãe Bebidas. Feliz da vida, fui até a loja e levei pra casa uma Golden Ale e uma Blond (a Pilsner tinha acabado).
A Golden Ale é bem saborosa, de cor mais escura (meio âmbar), faz bastante colarinho, fácil de beber e não tão amarga, mas não é minha favorita de todas. A que ganhou meu coração mesmo foi a Blond, de cor dourada, ultra refrescante e com um sabor indescritível. Resta agora provar as outras 7 da carta de cervejas da Green’s.
Qual:Green’s Golden Ale – 330ml
Cervejaria:Green’s Gluten Free Beers
Origem: Inglaterra
Estilo: Belgian Pale Ale
Álcool (%): 4,8% ABV
Concentração de Gluten: não informado
Temperatura:3 a 5 ºC
Copo Ideal: Tulipa ou Pint
Onde Encontrar: Mamãe Bebidas
Preço Médio: R$15 a R$17

Qual: Green’s Blond – 330ml
Cervejaria: Green’s Gluten Free Beers
Origem:Inglaterra
Estilo:Blonde Ale
Álcool (%): 5,8% ABV
Concentração de Gluten: não informado
Temperatura:5 a 7 ºC
Copo Ideal: Tulipa ou Pint
Onde Encontrar: Mamãe Bebidas
Preço Médio: R$15 a R$17


Uma coisa importante sobre as cervejas sem gluten é que elas não são exatamente livres de gluten, mas possuem uma concentração inferior a 10ppm (partes por milhão), o que as tornam aptas para celíacos. Fuçando aqui e ali, principalmente nos fóruns especializados no assunto, vi muita gente comentando que não consegue tomar mais que duas ou três cervejas, pois percebe o aparecimento de alguns sintomas da doença. Bom, eu sou meio precavida demais e evito tomar mais que duas, pra não ter problema. Portanto, é importante saber o limite de tolerância de cada um, antes de se jogar nas cervejas “sem gluten”.
Ps.: Muitos se queixam do preço salgadinho das cervejas sem gluten. Realmente, barato não é. Mas como tenho dado prioridade para a qualidade e não para a quantidade, acho R$15 um preço razoável a ser pago nessas cervejas diferentes.

Cerveja para Celíacos, pode?

Não pode! Todo mundo que tem a Doença Celíaca está cansado de saber disso e, aliás, é uma das maiores tristezas dos celíacos cervejeiros. Mas há solução! Graças a uma grande amiga cervejeira (com diagnóstico recente de DC) posso apresentar a vocês aqui a cerveja Estrella Damm Daura, eleita a Melhor Cerveja Sem Glúten pela World Beer Awards, de acordo com o site dela.

Estrella Damm Daura- celíacos 
Mas porque essa cerveja espanhola pode ser consumida por quem tem intolerância ao glúten? Ela apresenta um conteúdo de glúten menor que 6ppm (ou parte por milhão, uma concentração de diluição mundial), sendo que o recomendado para produtos indicados para celíacos é até 20ppm.
Daura cerveza apta para celíacos
Sua desvantagem ainda pode ser o preço (cerca de R$15,00 a garrafa de 300mL no Brasil), mas assim como a maioria dos produtos sem glúten no país, devido a utilização de procedimentos caros para redução de glúten e troca de ingredientes.
Procurei mas não achei a tabela de informações nutricionais, mas o próprio site divulga que ela é uma cerveja de trigo com alta diluição. Ainda há muita discussão em torno de seu consumo por pacientes altamente intolerantes, mas fato é que a diluição atinge os padrões propostos pelas organizações de pacientes celíacos mundiais. Portanto o ideal é, discutir com seu médico e degustar essa nova proposta! Eu penso que isto é só um primeiro passo para a evolução de produtos “gluten-free” no mundo. Vamos torcer para termos cada vez mais!