O Batata Testou: Poke : Um prato havaiano para o dia a dia

 

Como sempre, a origem destes pratos deliciosos costuma ser rústica. Com o Poke (em dialeto local Poke significa cortado em pedaços) não foi diferente. No Havaí, os pescadores, na volta de sua jornada, preparavam um prato com peixe cru temperado e cortado em cubos grandes, servido em uma tigela com arroz japonês.

O alimento é leve, saudável e fácil de preparar. Tem a cara dos dias de hoje:  é comprar, preparar, servir e comer. Em menos de 20 minutos está pronto para saborear.É menos forte  do que o ceviche (mais marinado) e, na minha opinião, mais saboroso que o temaki.

Pode-se usar atum, salmão, cebola, cebolinha, nori (ou outra alga), gergelim e molhos, que combinam sucos cítricos, óleo de gergelim, shoyu…

Aqui em casa o temos comido com frequência,incrementado, com abacate, manga, ovas e até castanhas, com ou sem arroz. O poke é rápido e fácil, mas tem um segredo: a qualidade dos ingredientes, que devem ser frescos.

Poke de salmão

Ingredientes

  • 120 gramas de salmão em cubos
  • 1/2 suco de limão
  • 1/2 suco de laranja
  • 10 folhas de alface de vários tipos
  • 1/2 fatia de abacate avocado
  • 2 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu)
  • 1/2 colher (sopa) de óleo de gergelim
  • 1 punhado de cebolinha-verde picada
  • 1 pitada de gergelim
  • raspa de limão-siciliano a gosto
  •  Togarashi a gosto (pimenta japonesa; se não encontrar, troque por mix de pimentas calabresa, caiena e do-reino preta) – obs. usei o mix de pimenta – fica ótimo
Modo de preparo

 

  • Disponha o peixe por cima de modo que ocupe metade da área do utensílio.
  • Tempere com os sucos de limão e laranja e com as raspas de limão-siciliano.
  • Ao lado, coloque as folhas de alface e o avocado.
  • Tempere-os com shoyu, óleo de gergelim e cebolinha.
  • Finalize com a pitada de gergelim e o togarashi.

Sirva imediatamente.

*Receita adaptada de publicação na revista Cláudia , cedida por Felipe Scarpa, um dos sócios do restaurante Mr.Poke. Na receita original vai o arroz japonês. Nós optamos por retirar no nosso Poke porque queríamos diminuir a quantidade de carboidratos.

Suco DoBem, pode?

Fui questionada uns dias para trás sobre a qualidade de sucos de caixinha (e até falamos de alguns deles no post sobre alimentos que achamos ser saudáveis) e, no meio de toda a conversa, surgiu o tópico dos sucos Do Bem, marca carioca que vem crescendo no ramo alimentício com sua inovação na área de sucos naturais e marketing.

do_bem

A embalagem fofinha e divertida, além de um inovador método de trabalho já chama a atenção para estes sucos de caixinha ditos naturais. A própria marca garante na sua embalagem a produção de sucos 100% naturais, sem adição de conservantes. Confesso que eu não sabia como esta produção era possível e entrei em contato com a própria Do Bem para ter acesso a mais alguns detalhes do envasamento destes sucos naturais. A empresa me respondeu imediatamente e de maneira muito cordial.

De acordo com a Do BemNão usamos nenhuma fórmula mágica. Depois de muito estudo e desenvolvimento, descobrimos que o que atrapalha uma bebida natural é o contato com o ar e por isso nossa produção é feita a vácuo e embaladas em caixinhas assépticas que evita a entrada de ar, levando até você uma bebida natural igual feita em casa, só que com uma produção um pouco maior“. Realmente se olharmos os ingredientes nas embalagens só encontramos frutas (ou mate), água e açúcar orgânico.

do bem site

Imagem: site Do Bem

No contato a marca se deixou a disposição para retirar qualquer outra dúvida que tivéssemos e prometeu nos atualizar em caso de qualquer novidade.

Com estas informações podemos garantir que, diferente dos outros sucos de caixinha, o Do Bem parece ser realmente uma opção saudável. É claro que ainda fica muito aquém de um copo de suco natural preparado na hora (porque qualquer manipulação nas frutas acelera o processo de saída de vitaminas hidrossolúveis), mas é uma alternativa rápida, sem conservantes e com sabor agradável. O preço ainda é um pouco mais alto do que os sucos de caixinha comuns, mas para se ter um produto diferenciado pode valer a pena o investimento.

escritopor2marina

Pão de queijo para mineiro amar

Adoro pessoas criativas, ousadas, que pensam fora da caixa ou que usam dos modismos para fazer algo extremamente bacana. Inovar no preparo de uma comida típica, porém respeitando suas características e sua importância para a região, é um desafio, e foi o que vi no estabelecimento que visitei na minha querida BH neste final de semana: A Pão de Queijaria.

pqd

Imagem: A Pãodequeijaria

Pense num pequeno pedacinho de espaço, no meio da Savassi, que vende pães de queijo. Normal para qualquer mineiro, correto? Mas lá não se vende simples pães de queijo, mas sim nossos amados pãezinhos em formato gourmet. “Tudo é gourmet agora! É um absurdo!”, sim isso é verdade, mas o nosso pão de queijo merecia ser apreciado de uma maneira diferente.

A casa, além dos pães de queijo tradicionais, faz deliciosas opções do pãozinho recheado, com ingredientes que remetem a tradicional cozinha mineira: linguiça, queijo, couve e outros recheios de babar. O negócio aqui não é só tacar cream cheese ou queijo cheddar e falar que é exótico: a Pão de Queijaria parece prezar pela tradição e culinária local, o que torna tudo ainda mais legal. O preço é honesto, o prato deixa satisfeito, e você ainda pode pedir umas polentas fritas para acompanhar seu sanduíche tipicamente mineiro. Ainda no clima das tradições da terra das montanhas é possível apreciar um bom café coado na hora (porque né, expresso é o ó!) ou, se você está afim de algo mais ousado, provar a caipirinha de café (que é incrivelmente boa!). Se você é da turma que não gosta de arriscar pode-se pedir boas cervejas ou outras bebidas tradicionais, o importante aqui é o foco no pão de queijo.

pdq2

Imagem: A Pão de queijaria

Some toda essa criatividade com um ambiente agradável, música boa (muito boa!), decoração simples, garçons educados (ao ponto de trocarem minha cerveja quente por uma gelada sem pestanejar) e proprietários prestativos: é a receita que pode tornar o a Pão de Queijaria um sucesso. A página, por enquanto somente no facebook, revela mais informações sobre o local e imagens de dar água na boca – sem contar a simpatia do perfil que é bem ativo nas postagens e interação com os fãs!

caipicafé

Imagem: VejaBH

Se você não é mineiro e quer provar algo diferente a Pão de Queijaria é parada obrigatória, mas se você é da terrinha porque comer hamburguers americanos com batata frita se temos sanduíches com pão de queijo e polenta? Quer coisa melhor?

escritopor2marina

Pão de Batata Doce sem glúten e sem lactose

Bom dia queridos (as)!

Conforme prometido no insta (@batatafritapode) ontem, hoje vou passar para vocês a receitinha do pão de batata doce sem glúten e sem lactose que eu fiz. Na internet existem algumas receitas, mas essa eu adaptei a la gabi rss….

foto 5

Ingredientes:

400g de batata doce cozida e amassada

400g de polvilho azedo

90 ml de azeite

10 ml de água

2 ovos caipiras

1 colher de sopa de gergelim

Alho poró, salsinha e cebolinha a gosto

Sal a gosto (não coloque muito)

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes, amasse a massa, faça as bolinhas ou palitinhos ou os dois (eu curti mais os palitinhos) e coloque no forno a 180°C.

foto 1foto 2

foto 3foto 4

foto 6

Claro que não vou me limitar apenas à receitinha né….

Vamos à informação nutricional:

Informação Nutricional

Porção de 40g (1 unidade)

Quantidade por porção

Valor Energético 100 kcal
Carboidratos 19g
Proteínas 1,18g
Gorduras Totais 3,6g
Gordura Saturada 0,7g
Gordura mono 2,6g
Gordura poli 0,3g
Vitamina A 396,7 ui
Sódio 47,6mg

 Quando comparado a 40g de pão de queijo comum…

As calorias são basicamente as mesmas, o tradicional tem 147kcal. O que muda mesmo  é a quantidade e a qualidade da gordura. O pão de queijo tradicional (nosso, mineiro) tem uma média de 7g de gordura, sendo 3,7g gorduras saturadas.

Na minha opinião, o pão de batata doce é gostoso, mas não vai achando que o gosto é parecido com o do pão de queijo tradicional pois não é. Ontem quando fiz, cinco pessoas degustaram. Três gostaram e duas não gostaram (não gostaram mesmo, acharam “horrível”) devido ao sabor adocicado da batata doce. Aí vai do paladar de cada um né…rsssss

Espero que gostem!

Bon apetit! 😉

escritopor2gabriela

Gastronomia saudável. Você come ou finge comer?

Ontem fui a um restaurante aqui em BH que chama Projeto Sabor. Muito conhecido pela gastronomia saudável. Tenho certeza que a maioria dos belorizontinos já foi ou já ouviu falar nele.

O restaurante abre todos dias de 11:30h as 23:00h e fica no São Bento. O lugar é muito agradável, bom para casais, família e amigos, o ambiente é bem descontraído e o cardápio é muito variado (na minha humilde opinião).  No almoço ele é Self service, com uma variedade enorme tanto de comidas quentes quanto de saladas e ainda tem a chapa de grelhados.

No balcão frio, de saladas:

É composto por vários tipos de folhas, legumes e conservas. Igualzinho na foto:

self salada self frio 2

No balcão quente e chapa:

Sempre muito variado, é composto tanto de alimentos integrais quanto alimentos bem gordurosos. Assim como todo Self service, quem está buscando emagrecimento deve ficar de olho atento às opções que escolher. Na Chapa os grelhados são grelhados de verdade (tem uns lugares que o cozinheiro afunda seu franguinho no óleo quente e cisma que é grelhado). È muito rápido, eu sempre como salmão que é uma delícia. Fotos:

self quente 2 self quente

E à noite, tem o cardápio composto por:

– Sanduiches naturais

– Sanduiches não naturais

– Saladas

-Sucos naturais

-Açaí

-Risotos e massas e grelhados

-Milk shakes

O que eu achei interessante? Lá podemos montar o nosso prato, sanduiches quentes e sanduiches frios.

Enfim, estou aqui para fazer propaganda de restaurante em BH? Claro que não, citei o restaurante como exemplo, por que sempre vou nele, mas algo tem chamado muito a minha atenção. Vamos à parte que devemos estar atentos…

Além dessas delícias saudáveis, também encontramos opções muito gordurosas e ricas em sódio, e é aí que o bicho pega…não é porquê você está sentado em um restaurante voltado para gastronomia saudável, que não existem opções que podem aumentar umas gramas na balança.

Tem salada? Tem, mas tem batata frita também.

Tem frango grelhado? Tem, mas também tem filé mignon

Tem queijo cottage? Tem, mas também tem queijo tipo cheddar

Tem pão integral? Tem, mas também tem pão ciabata

Tem tomate? Tem, mas também tem tomate seco

O ponto que eu queria chegar era esse! Muitos estão optando por restaurantes saudáveis pois “está na moda”, o mundo fitness está mais em alta do que nunca, mas ao invés de se preocuparem com o que estão colocando no prato, a preocupação é na verdade com o status.  As minhas opções ontem foram uma salada de folhas com frango grelhado e um suco rosa (morango, framboesa e amora):

salada suco

E a opção de diversas pessoas que estavam sentadas ao meu lado foi um sanduiche com queijo tipo cheddar, carne de picanha, cebola caramelizada, batata frita e por aí vai…

hamburguer

Aí você conta pra todo mundo que agora só frequenta restaurantes de comida saudável que está fazendo atividade física, mas que não consegue emagrecer… a culpa é do restaurante? Não! Cabe a você fazer as escolhas corretas…então, aproveite o fato de estar sentado em um local que serve comida saudável de boa qualidade e coma-a!

hmaburguer

escritopor2gabriela

Dica para lanchinho: Belvita

É difícil achar opções, todos os dias, para lanchar a tarde. Nós nutricionistas sabemos disso, pois muitas vezes também caímos na rotina. Hoje meu marido me passou uma opção muito interessante (e gostosa!). O Belvita (aquela bolacha da Grazi e do Cauã!) é um pacotinho com 3 unidades de bolacha de aveia, trigo e centeio, além de pedacinhos de cacau e mel. 
Seu teor calórico é próximo de uma unidade de pão integral (141kcal para as três unidades), mas com baixo teor de lipídeos (5,3g) e nenhuma gordura trans. O que me chamou a atenção foi a quantidade de fibras (1,4g) e a saciedade que ele promove: a dose de três unidades é mais do que suficiente para segurar o apetite no meio de uma tarde ou uma manhã.
A propaganda do Belvita indica seu consumo no café da manhã, e a proposta é interessante para aqueles que queiram tentar, lembrando que deve-se retirar alguma porção de carboidrato para consumi-lo no lugar.
Para mais informações acessem o site aqui.