Receita: Nhoque com Cogumelos, Tomate e Alecrim

Tomas Rangel/Divulgação

Dia 29 é dia de Nhoque. A receita da massa de Nhoque já passamos em outros posts, vamos à sugestão para o molho de hoje:

RENDE 4 PORÇÕES

Molho

  • 1 colher(es) de sopa de funghi secchi
  • 400 grama(s) de cogumelos frescos variados (paris, portobello, shiitake e shimeji)
  • 2 tomates pequenos
  • 1 colher(es) de sopa de azeite extra virgem
  • 3 dente(s) de alho picados
  • 300 mililitro (ml) de passata de tomate
  • 300 mililitro (ml) de creme de leite
  • 1 colher(es) de sopa de alecrim fresco picado
  • sal e pimenta a gosto
  • queijo grana padano ralado a gosto, para polvilhar

Modo de preparo

  • Cubra os funghi com água morna e deixe descansar por cerca de 30 minutos.
  • Fatie os cogumelos com cerca de 5 mm de espessura.
  • Retire os talos do shiitake e shimeji e descarte-os.
  • Os cogumelos Paris e portobellos podem ser fatiados com os talos.
  • Escorra o funghi em uma peneira e reserve a água.
  • Separe os pedaços de funghi e descarte a areia e a poeira que ficara no fundo da peneira. Reserve.
  • Corte os tomates em quatro.
  • Descarte as sementes e pique-os em cubos pequenos. Reserve.
  • Em uma frigideira grande, aqueça bem o azeite e adicione os cogumelos frescos fatiados e o alho.
  • Refogue-os em fogo bem alto até que comecem a parecer úmidos.
  • Adicione então a passata, a água reservada do funghi e o creme de leite.
  • Tempere tudo com sal e pimenta.
  • Deixe o molho engrossar até a textura desejada.
  • Adicione então o alecrim, o nhoque e o tomate picado.
  • Deixe cozinhar apenas o suficiente para aquecer o nhoque e o tomate.
  • Caso o molho tenha engrossado demais, dilua com um pouco de água ou leite.
  • Corrija o tempero e sirva polvilhado com queijo grana padano ralado na hora.

 

Receita da Prima Bruschetteria/Reproduzida em UOL Nossa Cozinha.

Receita: Óleo e colorau de urucum

Óleo de Urucum, benefício e usos – Caliandra

Na porta da cozinha de minha casa na fazenda existe um belo pé de urucum sempre carregado de frutos. Porque não usá-los ? Simplesmente porque não sabia como. O socorro veio através do site Na Cozinha da Helô, que eu recomendo.

Reproduzo aqui a receita (obrigado e desculpe a ousadia Helô)

Rendimento: 1 xícara de óleo e uma xícara de colorau

Preparo: 2h (preparo), 2 DIAS (Total) 

INGREDIENTES

Frutos

  • 40 frutos bem vermelhos, já secos e até ligeiramente abertos de urucum

Óleo

  • 1 xícara (chá) de óleo vegetal (240 ml)

Colorau

  • ¾ de xícara (chá) de fubá (90 g)
  • Óleo vegetal

PREPARO

30kg De Sementes De Urucum Selecionadas Colorau - R$ 450,00 em ...

Frutos

  • Colha os frutos ou galhos com cachos de frutos. Se os frutos já estiverem bem secos, será só usar, mas se ainda estiverem com a casca macia e levemente úmidos é aconselhável colocar os ramos num lugar arejado por uns dois dias antes de usar.
  • Pressione cada fruto com os dedos pra abrir, solte as sementes com a ajuda de uma colher e transfira pra uma tigela, sem se importar com um pouco de películas clarinhas. Normalmente, desse tanto de frutos saem mais ou menos 1 e ½ xícara (chá) de sementes.

Óleo de Urucum Vegetal Aroma Brasil - 10ml/30ml/60ml/100ml/500ml/Litro

Óleo

  • Coloque ¾ de xícara (chá) de sementes e o óleo numa panelinha, aqueça e mantenha em fogo baixo até que o óleo ele fique bem vermelho e as sementes e películas comecem a escurecer (nesse momento, algumas sementes começam a pipocar).
  • Antes que o óleo comece a soltar fumaça e a queimar, retire a panela do fogo.
  • Com cuidado, pois é muito quente, passe o óleo por uma peneira e deixe esfriar numa tigela e descarte as sementes.
  • Coloque o óleo frio num pote com tampa e guarde por até 1 mês na geladeira.
  • Sirva um fio de óleo com filés de peixe e de frango, ou refogue o arroz, o feijão, ou use pra fazer uma farofa, ou acrescente um fio de óleo na panela de um ensopado ou uma moqueca ou use pra temperar uma salada.

Colorau – Faz bem ou mal? - Feliz Melhor Idade

Colorau

  • Coloque as sementes e um fiozinho de óleo numa frigideira média e, sem parar de mexer, mantenha no fogo até a colher começar a avermelhar (com o calor, as sementes começam a soltar o pó, que gruda na colher).
  • Então, acrescente o fubá e continue mexendo por mais uns 5min pra dourar o fubá.
  • Retire do fogo, passe tudo pra um pilão e soque até conseguir um pó bem vermelho, depois peneire e, se preferir um pó finíssimo, repita a operação mais uma vez. Na falta de pilão, bata tudo no liquidificador ou no processador, mas tendo cuidado pra não bater demais e estilhaçar as sementes.

Guarde o colorau em pó por um mês num pote bem fechado e use pra dar cor ao feijão e ao arroz e aos ensopados e moquecas do dia-a-dia.

 

Receita: Na Cozinha da Helo

Receita: Nhoque frito com cogumelos e damasco

Em 2017 o chef cambojano Tomy Gousset apresentou um dos carro-chefe do seu restaurante Tomy & Co: o nhoque frito com girolles (cogumelos crista de galo) e damasco.

Se você quiser preparar a massa para o inhoque (existem excentes marcas já prontas, se você não tiver tempo ou disposição):

Ingredientes

  •     500g de batata
  •     125g de farinha de trigo
  •     1 ovo
  •     200g de cogumelos crista de galo
  •     50g damasco seco
  •     400ml de caldo de galinha
  •     un bouquet de verbena (opcional)
  •     sal e pimenta

Modo de preparo da massa

  1. Asse as batatas com casca e cobertas de sal grosso em um forno a 180 ° C durante 1h.
  2. Abra as batatas, retire a parte de dentro da casca, passe numa peneira e as amasse fazendo um purê.
  3. Coloque em um recipiente e acrescente a farinha de trigo e o ovo, misturando tudo com uma espátula de madeira.
  4. Adicione sal e pimenta.
  5. Faça rolos compridos e depois corte em pequenos pedaços.
  6. Enrole com as palmas das mãos, fazendo umas bolinhas.
  7. Para modelar os nhoques com ranhuras, role a bolinha sobre o garfo
  8. Cozinhe em água fervente com sal.
  9. Uma vez que os nhoques subam na água, retire-os com uma escumadeira
  10. Separe os bolinhos em um recipiente seco.
  11. Deixe esfriar e secar.

Para o acompanhamento:

Modo de preparo do acompanhamento

  1. Lave os cogumelos crista de galo 4 vezes sob água corrente fria.
  2. Refogue-os com azeite.
  3. Desfolhe a verbena e passe-as rapidamente em uma panela com um pouco de azeite quente (num fogo a 180 graus) e depois escorra em papel toalha.
  4. Pique os damascos e salteie em manteiga derretida, deixando-os separados.

Modo de preparo do prato final

  1. Frite os nhoques em óleo de sua preferência, até que estejam bem dourados.
  2. Escorra os nhoques, coloque em uma recipiente.
  3. Acrescente o caldo de galinha, os cogumelos, a verbena e os damascos.
  4. Misture e sirva.

Obs. Verbena é uma planta medicinal com flores coloridas, também conhecida por urgebão ou erva-de-ferro que, além de ser ótima para decoração, também pode ser utilizada como planta medicinal para tratar a ansiedade e o estresse, por exemplo.

 

Receita: American Chop Suey

Healthy American Chop Suey in a bowl

Imagem1

Receita original de Healthy Seasonal Recipes

INGREDIENTES:

  • 340 g de massa integral (rotini, fusilli ou macarrão)
  • 6 dentes de alho amassados
  • 2  cenouras picadas
  • 2 talos de aipo picados
  • 2 cebolas médias picadas
  • 2 colheres de sobremesa de azeite de oliva
  • 450 g de carne de boi magra em tiras
  • 2 colheres de chá de ervas finas
  • 1 colher de chá de sal (ou à vontade)
  • 1/2 colher de chá de pimenta fresca (dedo-de-moça)
  • 1/2 copo de vinho tinto
  • 700 g de tomates tostados e esmagados

PREPARO

  • Leve uma panela grande de água para ferver.
  • Enquanto isso, coloque o alho no processador  e continue  até  ser picado.
  • Abra a tampa e adicione a cenoura e o aipo. Processe até que a cenoura e o aipo estejam bem picados.
  • Abra a tampa, adicione a cebola e pulse até que a cebola esteja picada.
  • Como alternativa, use uma faca para picar o alho, pique finamente a cenoura e o aipo e pique a cebola.
  • Aqueça o óleo em uma frigideira grande em fogo alto.
  • Desfie a ou carne e cozinhe, mexendo até dourar, 4 a 5 minutos.
  • Misture os legumes, tempero italiano, sal e pimenta e cozinhe, mexendo ocasionalmente até que os legumes estejam cozidos e dourados levemente, de 8 a 12 minutos.
  • Despeje o vinho e cozinhe até evaporar parcialmente, 2 a 3 minutos.
  • Misture o tomate e deixe ferver.
  • Reduza o fogo para ferver e cozinhe, mexendo ocasionalmente até que legumes fiquem macios, cerca de 5 minutos.
  • Enquanto isso, quando a água ferver, cozinhe o macarrão d
  • Drene.
  • Misture o macarrão e o molho e sirva polvilhado com salsa.

Se sobrar:  O molho (não misturado com a massa) pode ser guardado no freezer por 3 meses. As sobras podem ser reaquecidas no forno de microondas.

tabela nutricional

FATOS NUTRICIONAIS: Imagem1

  • Porção: 350 g
  • Calorias: 330
  • Carboidratos 49 g
  • Fibras: 7.6 g
  • Proteína: 20 g

Receita : Torta de Surubim

 

download

Hoje com uma receita do Slow Food Brasil: Bom, limpo e justo: é como o movimento acredita que deve ser o alimento. O alimento que comemos deve ter bom sabor; deve ser cultivado de maneira limpa, sem prejudicar nossa saúde, o meio ambiente ou os animais; e os produtores devem receber o que é justo pelo seu trabalho. Conheça o Slow Food

Torta de Surubim

Escrito por David Hertz – Gastromotiva

Rendimento: 10 porções de degustação

Ingredientes:

Semente de coentro
Óleo
Alho
Gengibre
50g polpa de tamarindo
100ml leite de coco
Sal e Pimenta
800g de surubim fresco
Pimenta-do-reino
800g de batatas
150ml de leite
60g de manteiga
100g de ervilha bolinha
Folhas frescas de manjericão
30g de castanha de caju
100g de queijo minas

Preparo:

1. Torrar as sementes de coentro/cominho em uma frigideira antiaderente, quando tiverem douradas acrescentar um pouco
de óleo para suar a pasta de alho com gengibre. Reservar.
2. Dissolver a polpa de tamarindo com o leite de coco.
3. Colocar o surubim na forma e assar com o leite de coco
com uma pitada de pimenta-do-reino por 20 minutos a 180 graus. Após assado separar o peixe do líquido e reservá-los.
4. Descascar as batatas e cozinhar, fazer um purê consistente com o leite, metade do líquido do assado, manteiga e as especiarias torradas.
5. Branquear as ervilhas e adicionar ao purê.
6. Untar uma assadeira para o forno antiaderente ou de cerâmica com óleo

Montagem da torta:

1. Colocar na assadeira lascas do surubim com a outra
metade do líquido reservado e folhas de manjericão picadas.
2. Espalhar sobre o surubim o purê de batatas com especiarias.
3. Cobrir com queijo minas ralado grosso e com farofa de
castanha do Brasil
4. Assar por 30 minutos até o queijo estar gratinado.
5. Servir em pequenas porções.

Nossos posts mais acessados: Ceviche, uma boa opção?

Continuando a publicação de nossos 10 posts mais acessados. este também foi publicado por Gabriela Prando em 17 de fevereiro de 2014

ceviche

O ceviche é um prato de origem peruana baseado em peixe cru marinado no limão. Considerado formalmente como patrimônio cultural da nação. Sua história remonta a épocas pré-colombianas.  Desde há 2.000 anos, no antigo Peru, se prepara um prato de peixe fresco cozido com o suco fermentado de uma fruta local. Porém, há crônicas que indicam que o peixe era originalmente consumido com sal e pimenta. Depois da colonização espanhola, foram acrescentados dois ingredientes tipicamente mediterrâneos: a laranja azeda e a cebola. Em meados do século XX, apareceu na capital peruana uma nova forma de cozinhar ceviche, trocando a laranja azeda por limão suave e reduzindo, assim, o tempo de marinada. Atualmente esta é a receita seguida em Lima.

É essencial  que o pescado seja branco, sem muita gordura e de carne firme. Podem ser usados também para compor o prato, o camarão e a lagosta

.camaraolagostapescado

Outros ingredientes “obrigatórios”, pelo menos no Peru onde é considerado o “prato nacional”, são a cebola e o piri-piri ou pimenta (no sentido brasileiro). Ingredientes acessórios, mas aparentemente muito importantes naqueles países, são o abacate, o milho, ou a batata-doce, ou seja, um “legume” para dar mais “consistência” ao prato. A salsa, o coentro e outros “cheiros verdes” também são quase sempre utilizados.

batatadocecebolacoentro gengibrelimaomilho pimentaO ceviche servir como entrada, acompanhado com pipoca, bolachas de água e sal, tortilhas mexicanas, batatas fritas ou pão, ou ser o prato principal de uma refeição, habitualmente acompanhado de batatas “portuguesas” ou doces cozidas, ou milho cozido. Eu sugiro o ceviche com as tortilhas mexicanas de entrada, fica muito gostoso, leve e pouco calórico. Falando em calorias, vamos ás propriedades nutricionais da preparação (claro que vou dar uma receitinha também né…rss)

cevilhetortilhas

01 porção:

173kcal, sendo 28g de proteínas, somente 1,9g de gorduras (0,4g saturada) e 9g de carboidratos.

Basicamente, as calorias do ceviche provém da proteína, a preparação tem pouca gordura e pouco carboidrato. A presença do limão ainda a torna rica em vitamina C e ingredientes como gengibre e pimenta apresentam propriedades funcionais como efeito termogênico e antiinflamatório!

Mas nem tudo são rosas… como para a receita ficar boa o peixe tem que ser comprado fresco e feito no dia, devemos tomar muito cuidado com o local que vamos comprá-lo:

Onde comprar
É um pouco arriscado comprar peixes em feiras livres, onde normalmente não existem condições ideais de conservação do peixe – a menos que você tenha um fornecedor de confiança. Melhor adquiri-los em peixarias e supermercados.

Primeiros passos
Peça ao peixeiro que já venda o produto limpo e cortado de acordo com sua receita.

Atenção na hora da compra
Para descobrir se o peixe está fresco, basta prestar atenção nas seguintes regrinhas: o olho tem que estar vivo, brilhante; as guelras laterais, rosadas; o lombo com a textura de um antebraço humano; e a película interna da barriga deve estar inteira.

Agora vamos à receita:

ceviche-31

Rendimento: 1 ceviche (individual)

Tempo de preparo: 20 minutos

Ingredientes:
7 limões (só o suco)
1 colher (chá) de coentro (picado finamente)
1 folha de alface
½ colher (chá) de salsão (picado finamente)
3 rodelas de batata doce (cozida e sem casca)
1 colher (chá) de pimenta dedo-de-moça (picado finamente)
½ colher (chá) de gengibre (ralado)
½ cebola roxa (cortada em julienne, sem o miolo)
½ dente de alho (ralado)
1 colher (sopa) de milho verde (cozido, só os grãos)
4 camarões grandes (limpos e cozidos, sem casca nem cabeça)
½ lula (cozida e cortada em anéis)
200g de peixe branco cortado em cubos (corvina, robalo, olho de boi, dourada, pescada)
Sal e pimenta-do-reino (a gosto)

Modo de preparo:
Mantenha a cebola em água gelada até utilizar. Coloque o peixe em um bowl e tempere com sal, pimenta-do-reino, gengibre, alho, salsão, pimenta, gelo e a metade do coentro. Misture bem e deixe marinar por 2 minutos. Prepare o prato para montagem: coloque no fundo a folha de alface bem lavada. Acima dela, as rodelas de batata doce e o milho verde. Volte para a preparação, coloque dentro do bowl do peixe, a cebola roxa (sem água) e o limão. Misture bem e sirva. Finalmente decore com os camarões, a lula e salpique o resto da pimenta e coentro por cima do ceviche.

Espero que tenham gostado!!!

bon appetit! 😉

escritopor2gabriela

Livro de Receitas: Capricórnio : Omelettes Soufflées com Confiture de Laranja e Tangerinas Confites

Resultado de imagem para omelette soufflé orange

 

Continuando a postar uma gostosa brincadeira, publicada na saudosa revista Gula em janeiro de 2000: O Cardápio Astrológico.  “Um guia da boa mesa com pratos que combinam melhor com cada signo”.

O artigo original é assinado por Elisa Donel,  jornalista Elisa Donel, que mora na França há 20 anos e é autora entre outros de “O Passaporte do Gourmet -Um Mergulho na Gastronomia Francesa”. Agora é a vez de Capricórnio.

CAPRICÓRNIO: 22 de dezembro a 20 de janeiro

A noção de dever e trabalho está muito presente neste signo. Meio terra e meio água, Capricórnio é também marcado pela necessidade da escolha. Entre destino e vontade, razão e sensibilidade, a análise lhe permite vencer as hesitações e equilibrar as forças contraditórias. Ele vai ponderar sempre. O capricorniano não é um gourmet por excelência e, se deixar seus compromissos para atender um convite, será pelo prazer da companhia. Também não espere que ele faça altos elogios sobre os dotes culinários de ninguém. A emoção é uma característica guardada profundamente por um capricorniano, é preciso saber conquistá-la.Crie uma atmosfera zen e alegre para que o capricorniano possa se sentir à vontade. Quanto à comida, ele prefere pratos simples e tradicionais. Na sua casa, por exemplo, é do tipo que come na própria cozinha, em um canto da mesa. Por isso, nem pense em iniciá-lo nos sabores exóticos da cozinha oriental ou nas surpresas da fusion cuisine. Ofereça-lhe a simplicidade de uma salada de lentilhas. Continue com um prato tradicional e para encerrar a refeição, escolha uma sobremesa que combine ovo e frutas cítricas como omelettes soufflées com confiture de laranja e tangerinas confites.

INGREDIENTES: 4 porções

  • 8 ovos
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 4 colheres (sopa) de rum
  • 30g de manteiga
  • 4 colheres (sopa) de geleia de laranja
  • 4 tangerinas descascadas
  • 1 laranja com casca
  • 200 ml de água
  • 100g de açúcar
  • 1 pitada de sal

PREPARO:

  •  Bata as gemas com o açúcar e uma colher de rum
  • Bata as claras em neve com a pitada de sal e junte-as às gemas
  • Unte com a manteiga uma frigideira grande, de preferência antiaderente
  • Aqueça em fogo baixo e coloque a mistura de ovos
  • Deixe no fogo por uns três minutos, depois termine o cozimento no forno preaquecido a 180 graus centígrados por mais 3 ou 4 minutos
  • Aqueça a geleia
  • Corte as tangerinas em gomos e misture-os à geleia. Reserve no calor
  • Descasque a laranja, corte a casca em tiras fininhas e a polpa em gomos
  • Leve ao fogo a água com o açúcar, adicione as cascas, os gomos da laranja e deixe ferver até a calda ficar bem espessa. Escorra numa peneira
  • Depois da omelette cozida, junte-lhe os gomos das frutas (reserve alguns) e dobre- a, formando uma meia lua
  • Aqueça o rum restante, flambe e derrame-o sobre a omelette
  • Sirva com os gomos que estavam reservados e com as cascas em tirinhas

Posts anteriores: O cardápio astrológico

  1. Áries – Carré de cordeiro com grãos de mostarda.
  2. Touro – Costela de Vitela com legumes
  3. Gêmeos – Camarões marinados e apimentados
  4. Câncer – Robalo com Gengibre

  5. Leão – Peito de pato com figos frescos

  6. Virgem – Tomates Recheados com Queijo de Cabra

  7. Libra : Cassolette de Cogumelos

  8. Escorpião. Cocktail Orquídea

  9. Sagitário: Ravioli com Foie Gras de Pato e Óleo de Trufa

Livro de Receitas: Cardápio Astrológico: Escorpião. Cocktail Orquídea

IMG_2121

 

Continuando a postar uma gostosa brincadeira, publicada na saudosa revista Gula em janeiro de 2000: O Cardápio Astrológico.  “Um guia da boa mesa com pratos que combinam melhor com cada signo”.

O artigo original é assinado por Elisa Donel,  jornalista Elisa Donel, que mora na França há 20 anos e é autora entre outros de “O Passaporte do Gourmet -Um Mergulho na Gastronomia Francesa”. Agora é a vez de Escorpião.

ESCORPIÃO: 23 de outobro a 23 de novembro

Signo complexo e misterioso, reúne paixão e obstinação ignorando meias-medidas em tudo que faz. Sua inteligência aguda e intuitiva o torna mestre na resolução de problemas complexos. Talvez por isso o humor não seja seu traço mais marcante. Sua personalidade ciclotímica e sensual estará em pleno acordo com um cardápio de pratos do Oriente Médio: caviar de beringela com torradas, seguido de couscous. Apreciador de todas as bebidas, o nativo de Escorpião não resistirá ao encanto de um cocktail colorido.

INGREDIENTES: 2 porções

  • 1 copo de rum branco
  • 1 copo de licor de café
  • Gelo picado
  • 2 orquídeas

PREPARO:

  • Misture o rum com o licor de café
  • Preencha pela metade dois cálices com gelo picado. Coloque a bebida e sirva com as orquídeas colocadas no alto dos cálices.

Posts anteriores: O cardápio astrológico

Especial Dia das Mães: O Livro de Receitas da Minha Mãe.

 

IMG_2102(1)

No próximo domingo estaremos comemorando mais um Dia das Mães. Eu, certamente, estarei em Esmeraldas,MG, saboreando algumas das várias iguarias preparadas por ela.

Ela é uma cozinheira especial. Eu sei,  comida de mãe é sempre especial, vocês vão logo pensar, mas a comida de minha mãe tem caprichos e mimos de profissional. Para eternizar alguns destes momentos o meu irmão, Luiz, patrocinou o lançamento de um livro de receitas selecionadas por ela.

A divulgação do lançamento deste livro, é  homenagem à minha mãe. Espero que todos vocês tenham almoços maravilhosos com suas mães no próximo domingo, ou se não for possível, que almocem em família, saboreando aquela comidinha que a sua mãe fazia

Em tempo: se alguém quiser comprar o livro ele está à venda na Quixote Livraria e Café ou entre em contato conosco aqui no Batata Frita. (Toda a renda da venda é destinada ao Grupo do Bem e às suas  obras sociais)

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: