Dukan x Comércio x Dieta

dukanQuem nunca ouviu falar na “dieta Dukan” ou “dieta das francesas”? Aposto que todos já ouviram, já fizeram ou tentaram fazer! Como foram seus resultados? Positivos ou negativos? Sofreu efeito sanfona? Pois bem, hoje estamos aqui para falar um pouco a respeito dessa famosa dieta.

A “dieta” foi elaborada pelo médico francês Pierre Dukan que, no dia 27 de janeiro de 2014 (semana passada) foi excluído do Conselho Regional da ordem dos Médicos da França. Este fato não está relacionado propriamente com os malefícios que a “dieta” pode causar (se fosse assim muitas nutris e doutores já estariam sem seus CRNs e CRMs…rsss concordam?) mas  pelo fato da medicina e da dieta terem sido utilizados para fins comerciais.O método Dunkan, que se baseia em uma dieta de alto conteúdo de proteínas, já foi usado por mais de 40 milhões de pessoas em todo o mundo. Este regime é contestado por vários profisisonais que atestam desequilíbrios alimentares nos pacientes.Além de condenado pelos fins comerciais com que regeu a sua prática, Pierre Dunkam foi reprovado por querer introduzir uma opção dedicada à luta contra a obesidade no bacharelato de medicina. O nome Dukan virou uma marca que já publicou diversos livros, produtos e programas de emagrecimentos.

Mas e o método de emagrecimento empregado por esse médico? O que temos a dizer? Bem, o programa é dividido em 4 etapas: 2 para emagrecer (ataque e cruzeiro) e 2 para manter o peso adquirido (consolidação e estabilização).

Não inventei nada não viu? Está tudo aqui explicadinho ó: https://www.dietadukan.com.br/a-dieta-dukan/como-funciona

Para perder peso:

carnes1ª Fase: Ataque: provoca perda de peso rápida e fulminante

– De 2 a 7 dias de duração
– De 1Kg a 5Kg perdidos
– 20 minutos de caminhada por dia
– 1,5 c. de sopa de farelo de aveia/dia

Alimentos permitidos:

– Todas as carnes magras (exceto a costela)
– As aves (exceto pato e ganso)
– Todos os peixes, sem exceção
– Frutos do mar, sem exceção
– Laticínios 0% gordura
– Iogurtes desnatado, natural, 0% gordura
– Ovos

legumes 2ª Fase: Cruzeiro: perda de peso constante e moderada

– Até a obtenção do peso ideal
– -1Kg por semana (média)
– 30 minutos de caminhada por dia
– 2 c. de sopa de farelo de aveia/dia

Alimentos permitidos:

Todas as proteínas citadas na fase 1, acrescentando legumes e verduras à vontade, com exceção da batata e da mandioca.

 Para conservar o tempo perdido:

 frutas3ª Fase: Consolidação: Ao final da fase de Cruzeiro, que termina na obtenção do Peso Ideal, inicia-se a fase de Consolidação do peso perdido.

– 10 dias por peso perdido. Por ex.: 10kg = 100 dias; 5kg = 50 dias, e assim sucessivamente.
– Introdução de carboidratos e lipídeos, de maneira controlada/moderada
– 25 minutos de caminhada por dia
– 2,5 c. de sopa de farelo de aveia/dia

Alimentos permitidos:

– Introdução de carboidratos e lipídeos, de maneira controlada/moderada
– 2 frutas ao dia
– 2 fatias de pão integral por dia
– 40g de queijo por dia
– 2 porções de feculentos por semana: arroz integral, feijão, ervilha, etc
– 2 refeições de gala por semana (1 entrada, 1 prato principal, 1 sobremesa, 1 copo de bebida alcoólica)

 alim equi4ª Fase: Estabilização: Fim da dieta do ponto de vista alimentar. Todavia, há 3 regras a serem seguidas pelo resto da vida, afim de estabilizar o peso.

– 1 dia fixo de proteína por semana
– 3 c. de sopa de farelo de aveia/dia
– 20 minutos de caminhada por dia

Alimentos permitidos:

– Alimentação livre, porém respeitando 3 regras a ser seguida pelo resto da vida:
– 1 dia de proteína pura por semana (dia fixo)
– 3 c. de sopa de aveia (todos os dias)
– 30 minutos de caminhada por dia e dar preferência às escadas do que ao elevador

contras Agora vamos à parte que costuma gerar uma certa polêmica aqui no batata (e que nós particularmente adoramos e queremos que as discussões e ideias continuem), os contras da “dieta”:

 A restrição de carboidratos pode comprometer o sistema nervoso, deixando o indivíduo com fadiga, irritado, desanimado. Também faz com que nosso organismo libere corpos cetônicos que diminuem o pH sanguíneo – o que  é extremamente desfavorável ´para o organismo já que a maior parte das  reações químicas que acontecem a cada segundo em nossas células depende de uma faixa muito estreita de pH (ou seja o grau de acidez não pode variar muito). Isso sem falar na perda de massa muscular e na ingestão insuficientes de fibras, vitaminas e minerais. Enfim, eu poderia ficar aqui o dia todo falando dos contras dessa “dieta”, mas preferi fala um pró (segundo alguns relatos): a perda de peso! Pode-se perder até 10kg fazendo a dieta.

ouroMASSSS…

(como nem tudo que reluz é ouro)

Foram divulgados recentemente os resultados de uma pesquisa conduzida pelo grupo CCM Benchmark, que buscava investigar os efeitos da dieta Dukan alguns anos depois de ter sido feita, segundo informações da agência EFE.

Respondido por cerca de cinco mil internautas, o levantamento mostrou que 75% das pessoas que fizeram o regime há mais de dois anos já recuperaram os quilos eliminados. A publicação dos números visava ampliar a consciência sobre os regimes restritivos e, de acordo com um dos profissionais envolvidos no estudo, os resultados denotam “eficácia a curto prazo”.

Enfim, volto sempre com o mesmo conselho, procure um nutricionista confiável. Infelizmente muitos tiram proveito do mundo da nutrição e da expectativa que as pessoas criam nele, sem se importar com a saúde do indivíduo. Aqui no batata estamos de olho.

escritopor2gabriela

E o glúten, pode?

Sempre me pego perguntando de onde será que vem estas teorias para novas dietas milagrosas. Me pergunto mas quase sempre sei que a resposta vem de algum estudo científico mal lido ou alguma resposta orgânica mal explorada. Toda vez algum pobre alimento é sacrificado nesta brincadeira; já foi o tomate, a carne, o leite e agora o glúten. Mas calma, calma xiitas da alimentação gluten-free, antes de começarmos as polêmicas vamos começar discutindo de onde veio todo esse temor aos alimentos com glúten.
Trigo: vilão ou herói da saúde humana?
Já discutimos aqui mesmo no blog sobre a Doença Celíaca (aliás temos um marcador ali no canto da tela só sobre a doença e sugestões sem glúten, mas pode clicar aqui também se quiser achar) onde expliquei um pouquinho sobre a sintomatologia da doença após a ingestão deste composto proteico. Mas quero ir um pouco mais a fundo, porque é que estes pacientes são “intolerantes” ou “alérgicos” ao glúten? O paciente com DC (vamos chamar a doença assim, para ficar menos cansativo) apresenta uma alteração genética, ainda não totalmente explicada pela ciência, em alelos específicos que, aparentemente, dificultam a degradação desta proteína, que é o glúten, no seu sistema digestório. Esta alteração genética existe desde o nascimento deste indivíduo, não sendo causada por hábitos alimentares, viroses, bactérias ou qualquer outra interferência externa (pelo menos não foi constatado nada sobre isto ainda). Ou seja, estes indivíduos com esta alteração genética específica são SIM alérgicos (ou intolerantes) ao glúten. Não há nada que cure esta intolerância. A ingestão do glúten nestes pacientes causa todos aqueles sintomas que já citamos no outro post como diarreia, má absorção de nutrientes, cólicas e várias outras manifestações gastrointestinais semelhantes a outras doenças que atingem a região do intestino. Como evitar isto? Realizando uma dieta gluten-free, ou seja, retirando o glúten da sua dieta.
Agora, se lhe resta alguma dúvida sobre o quadro clínico da DC peço que você, caro leitor, releia o parágrafo acima antes de continuar este texto. Vou discutir pequenas questões em tópicos para chegarmos a alguma conclusão juntos.
Vamos ao meu primeiro questionamento: é possível uma pessoa sem alterações genéticas que causariam a DC ter alergia ao glúten? Bom, nunca podemos afirmar 100% que não, mas é pouco provável que esta pessoa tenha. Sabe-se que alguns pacientes podem apresentar leve desconforto ao ingerir alimentos fonte de glúten (como gases ou cólicas intestinais), mas isto se deve muito ao fato de carboidratos (em especial cereais como o trigo e a cevada) sofrerem um leve processo de fermentação no nosso intestino. Isto é perfeitamente normal, mas se o desconforto chega a ser um pouco desagradável a retirada de alimentos com glúten da dieta pode melhorar os sintomas deste indivíduo específico. Mas ele não terá consequências graves como os pacientes com DC como a má absorção de nutrientes, ou diarreias frequentes e perda de peso. Isto porque ele não é um alérgico, ele é simplesmente um intolerante leve, ou um “fermentador” como eu gosto de chamar.
Se você não tem DC esta foto não é assustadora!
Questionamento número dois: Se eu não tenho alterações genéticas mas ainda acho que o glúten faz mal eu posso excluir estes carboidratos da minha dieta? Poder você pode tudo meu caro leitor, mas eu peço que escute a opinião de uma nutricionista não radical, que sou eu, sobre o glúten. Eu não sei se vocês sabem mas a introdução do trigo (e seus coleguinhas cevada e centeio) foi uma grande conquista da humanidade. Desde os primórdios da vida humana na terra os cereais eram alimentos somente direcionados aos animais, deixando os homens com tubérculos ou raízes de fácil preparo. O que acontecia é que quando a seca chegava o homem sofria com a escassez de alimentos. A descoberta do preparo de alimentos com trigo (como o pão e as massas) permitiu que a espécie humana armazenasse estes alimentos por longos períodos de seca, e a transformação destes cereais em alimentos perecíveis é possível graças a mesma proteína que causa medo na nossa sociedade atual: o glúten. Esta proteína permite a elasticidade das massas produzidas com trigo, cevada ou centeio, e por isto é tão fácil manusear e armazenar as mesmas. A nossa sociedade é tão dependente do trigo hoje que é difícil excluir este composto da dieta, sem contar que ele é, acredite ou não, excelente fonte de vitaminas e minerais. Então, querido leitor, eu te devolvo a pergunta, porque você excluiria estes carboidratos da dieta se você não tem doença celíaca?
O glúten e sua elasticidade salvadora da humanidade
Questionamento número três: Se eu excluir o glúten da minha dieta eu vou emagrecer? Provavelmente sim e vou te explicar porquê. O motivo da sua perda de peso não é, nunca foi e nunca será a presença do glúten no alimento, e que isso fique bem claro ok? O glúten é uma proteína que compõe vários alimentos consumidos pela nossa população. Porquê você emagrece então? A nossa alimentação (quando digo nossa quero dizer do brasileiro) e extremamente dependente de alimentos fonte de glúten (vide o pão, macarrão, biscoito, bolo, cerveja). Se você parar pra pensar, pelo menos uma vez por dia você se alimenta de algo que tem glúten, e geralmente você gosta deste alimento. O que acontece quando você exclui este alimento? A sua tendência é reduzir a quantidade de calorias que você come por dia, afinal você está excluindo algo que faz parte da sua alimentação diária, e por causa desta redução calórica a longo prazo (considerando que você vai excluir o glúten por vários meses da sua dieta) você perde peso. Simples assim. Funcionaria da mesma maneira se você fosse um fanático por carnes e excluísse todas elas da sua alimentação.
O motivo do meu texto não é desmoralizar ou criticar (ok, talvez um pouquinho) os adeptos da nova onda de dieta gluten-free. O meu objetivo é, diferente de muitos nutricionistas por ai, defender o coitadinho dos ataques frequentes sobre suas características. O que quero dizer é que o trigo, a cevada e o centeio são fontes calóricas, de vitaminas e minerais muito importantes para a população brasileira, e digo isto porque vejo a dificuldade que é atingir as necessidades nutricionais de pacientes que não podem ingerir o glúten. Além disto a exclusão do glúten se torna quase uma exclusão social, visto que somos extremamente dependente destes alimentos para nos alimentarmos, e esta situação é talvez a mais difícil de ser contornada em um paciente com DC. Há estudos que mostram relatos de depressão e exclusão social destes pacientes simplesmente pelo fato de não conseguirem comer um pão. Por isto volto aqui a defender o glúten, se você pode comer, porque passar por todo este sacrifício que a doença celíaca faz com quem muitos indivíduos passem? Eu tenho certeza que, se pudesse, o celíaco nunca daria as costas a um prato de macarrão. E eu se fosse você também não daria. Pode ser que a ciência um dia prove que eu estou totalmente errada e que o glúten é realmente um vilão para todos nós, e vocês lerão este post neste dia e vão me chover de críticas no blog, mas eu espero, de verdade, que este dia nunca chegue. Eu gosto demais do trigo para deixar que ele seja jogado as traças assim.
Obs: Nenhum alimento com ou sem glúten foi ferido durante a elaboração deste texto.
Obs2: Quer outra opinião sobre o assunto? Leia aqui:
escritopor2marina

"Contras" da dieta Paleo

Conheça a polêmica dieta paleolítica Ilustração de Fernando Gonda/Arte ZH
Afinal, quais são os “contras” da tão falada dieta paleo que se tornou a “dieta da moda” ou dieta dos famosos”? Antes de iniciar o assunto, deixo claro que dietas vem e vão, não importa, cada hora lançarão uma no mercado… cabe a você parar, pensar e mudar, mudar o seu estilo de vida ao invés de ficar “enterrado” em revistas e blogs que ditam o que deve ser feito, o que deve ser consumido o que pode ou não pode.
A dieta paleo ou paleolítica surgiu através do biólogo e ex atleta norte americano Mark Sisson, que prega um estilo de vida da Idade da Pedra que além de mudanças na dieta, inclui também outras mudanças como andar descalço e trabalhar de pé. A chamada dieta paleo, foi adotada por diversas pessoas com a promessa de emagrecimento. As regras são:
  • Carne à vontade;
  • Jejuns prolongados;
  • Restrição de massas, grãos e óleos extraídos;
  • Restrição de leite e derivados;
  • Legumes e frutas à vontade;
  • Gorduras à vontade;
  • Industrializados são proibidos, inclusive suplementos;
  • Água e nada mais.
Claramente já percebemos os prós e os contras da dieta. Os prós são: o aumento do consumo de vegetais, frutas, gorduras boas e a proibição de alimentos industrializados (inclusive de refrigerantes e bebidas alcoólicas). 
Mas queremos dar destaque aos contras:
Carne à vontade
Proteína em excesso pode causar efeitos colaterais, como a retirada do cálcio dos ossos, a acidificação do sangue e uma sobrecarga nos rins. Além disso, é preciso tomar cuidado com a carne escolhida. Os peixes são ótimas escolhas, por terem gorduras importantes para o nosso corpo, já as carnes vermelhas tem um índice alto de gordura saturada.
Jejuns Prolongados
O indicado na dieta é ficar de 16 até 24 horas sem ingerir nenhum alimento, o que pode causar hipoglicemia, dificuldade de concentração, perda de massa muscular, entre outros males. Normalmente nosso corpo tende a consumir os músculos para conseguir energia, o que causa ainda mais problemas para o organismo. Temos como metabólitos finais da degradação muscular a formação de ácido úrico, ureia e amônia, compostos tóxicos ao organismo que podem levar a sobrecarga renal e hepática.
Restrição de massas, grãos e óleos extraídos
A falta de carboidrato pode causar náuseas, dores de cabeça, tonturas e fraqueza. 
Restrição de leite e derivados
A principal fonte de cálcio são o leite e seus derivados. A deficiência de cálcio pode causar raquitismo em crianças, osteomalácia em adultos e osteoporose.
Gorduras à vontade
As gorduras saturadas estão relacionadas ao aumento do colesterol, o que pode causar problemas cardiovasculares.
O objetivo do texto é mostrar que a solução, muitas vezes, não vem aliada a uma dieta milagrosa, mas sim a moderação e equilíbrio. Consulte sempre seu nutricionista!
escritopor2gabriela

PAPINHAS DE BEBE

E foi assim, tudo começou com uma simples entrevista com a atriz Jennifer Aniston. Famosa por sua beleza narural, teria afirmado que apara perder peso, faz uma dieta baseada em papinha de bebe. A notícia se espalhou de tal forma, que se depender dos “Hollywoodianos”, o produto ficará em falta no mercado!
Segundo o jornal inglês Daily Mail, a autoria dessa receita de emagrecimento foi atribuída a uma personal trainer que já atendeu Madonna e Shakira, mas por motivos éticos, seu nome não será citado.
As papinhas tem baixo valor calórico (entre 60 e 100 kcal) e a praticidade para consumi-las é a sua principal vantagem. Como são embalagens fechadas a vacuo, não precisam ficar na geladeira, elas podem ser guardadas na própria bolsa e contém baixos níves de gordura e de sódio.
 
SERIA ESSE O MILAGRE QUE A MAIORIA DAS MULHERES ESTAVA ESPERANDO??
 
Milagres não existem. Esta é apenas mais uma das dietas da moda que causam uma perda rápida de peso em um curto período. O problema está a longo prazo, o famoso efeito sanfona tão discutido. A pessoa emagrece durante a dieta e DEPOIS? A não ser que esteja disposta a se alimentar de papinha de bebe para o resto da vida, mas convenhamos, com o tempo enjoa e o custo benefício não é nada positivo.
A melhor opção para a perda de peso ainda é uma reeducação alimentar, apredendo a comer de tudo nas proporções certas. Não se deixe enganar por modismos que podem colocar a sua saúde em risco. QUER EMAGRECER COM SAÚDE? PROCURE UMA NUTRICIONISTA.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: