2015 começou: e agora?

2014-2015

Início de ano é a época de colocar todas aquelas promessas da virada em dia, especialmente relacionadas a nossa qualidade de vida e a nossa saúde. Eu, particularmente, não sou muito fã de promessas, especialmente aquelas feitas em momentos que paramos para reavaliar toda a nossa vida (como acontece no Réveillon). O resultado final é muita frustração e promessas ainda mais impossíveis para a virada do próximo ano. Mas agora que 2015 começou, e as novas resoluções já foram feitas, o que podemos fazer para alcançar nossos objetivos para a saúde de maneira fácil e real?

1º Passo: Entender quando é chegada a hora de procurar uma ajuda profissional

Você está tentando regular sua alimentação mas nunca consegue? Tem lidado com exames de sangue alterados que nunca melhoram? Ou está em uma situação de estresse e desânimo que parece sem fim? Quando chegamos no extremo é a hora de entender que precisamos contar com o acompanhamento (e até um empurrãozinho) de alguns profissionais da área da saúde. O investimento financeiro que pode parecer alto no começo, pode retornar com um excelente feedback para a sua saúde.

2º Passo: Não seguir a risca promessas impossíveis

Se você é daquelas pessoas que faz promessas impossíveis de ser alcançadas, como perder 20kg em um mês, ou parar de fumar em alguns dias, ou até mesmo correr uma maratona em um ano, talvez seja melhor rever alguns destes planos. Não existe nada de errado em refazer as suas promessas para alcançar resultados que sejam, realmente, factíveis, por isto pegue uma caneta e um papel e anote tudo que você quer mudar (e que seja possível mudar em 2015). Não se esqueça de contar com uma ajuda profissional, se precisar!

3º Passo: Se esforce para que o ano seja melhor

Não adianta nada prometer se você quer alcançar seus resultados sem esforço nenhum. Não existe emprego que vai bater na sua porta, quilos que vão ser perdidos sem mudar a dieta e a atividade física, ou exames médicos que vão milagrosamente melhorar sem precisar visitar um profissional: é preciso se movimentar para que as mudanças realmente aconteçam. Tenha isto em mente para que 2015 possa ser infinitamente melhor que 2014.

Bom início de ano para todos!

escritopor2marina

Fazendo a feira!

verduras-dicas-de-compras-75-244-thumb-570

Não é de hoje que escuto as pessoas falarem da dificuldade em comprar legumes e verduras por não saber se estão bons. Então, aproveitando o início do ano e aquela promessa que você fez de iniciar uma vida mais saudável, aqui vai um guia prático de como comprar seus legumes com mais garantia de que o desperdício será menor e a nutrição será maior.

O primeiro passo é fazer uma lista do que vai utilizar durante a semana. Para isso consulte o site do ceasa que tem uma tabela com a época dos alimentos. Cada região tem um site diferente, este é do site de minas:

ceasa

 Para acessar clique em serviços – informações nutricionais – selecione o mês referente.

O segundo passo é colocar na cabeça que os alimentos orgânicos são as melhores opções sempre, então sempre que possível opte por eles e nunca faça a compra de legumes e hortaliças de uma só vez. Eles são produtos mais sensíveis e seu armazenamento não é tão prolongado quanto dos produtos de prateleira como arroz e feijão, assim sempre compre duas vezes na semana para garantir o frescor do alimento e evita o desperdício.

O terceiro passo e o mais difícil é saber como selecionar o produto. Vemos bancadas enormes com grandes variedades de legumes nos supermercados, mercados e feiras, mas nem sempre sabemos como selecionar o melhor alimento. Então vamos lá…

Abóbora

Selecione as firmes sem marcas de terem sido batidas na casca.

Alface

No caso da alface americana, a cabeça tem que ser bem redondinha, pesada, com folhas de tamanho médio e verde bem claras, quase brancas; as alfaces comum e crespa já são menos firmes e sua coloração é de um verde mais parecido com cor de grama. Evite folhas murchas.

Batata

 Há muitos tipos de batatas dependendo da região do país, mas, de modo geral, elas têm que estar firmes e sem pontinhos esverdeados na pele, sinal de que estão brotando. Não compre também se perceber partes machucadas ou já se abrindo.

Batata-doce

 Tanto a variedade roxa como a alaranjada devem ter a casca firme e não apresentar sinais de umidade ou começo de bolor.

Beterraba

 Escolha as de casca mais colorida e macia. Evite as beterrabas muito duras, machucadas, “murchas” ou com partes rachadas.

Brócolis

 Os mais saborosos têm uma coloração verde-escura. Se as flores estiverem abertas ou amareladas, o brócolis não está mais fresco.

Cebola

 Independentemente do tipo, branca, amarela ou vermelha, a cebola não pode ter manchas, pontos moles ou marcas pretas de bolor na casca. Não compre também se a cebola estiver “brotando” nas pontas.

Cenoura

 Uma das escolhas preferidas da criançada, por seu sabor adocicado e suave. Elas têm que estar firmes, ter cor laranja intensa e a parte externa sem buracos ou rachaduras.

Couve-flor

 Tem que ser firme, compacta e com coloração branco-cremosa. As folhas mais externas geralmente são bem verdinhas. Flores amareladas indicam que já está passando do ponto.

Ervilha

 As melhores ervilhas são as de cor bem verde, aparência “gordinha” e levemente aveludadas ao toque. Cuidado com ervilhas úmidas ou machucadas, sinais de que podem estar estragadas.

Folhas verde-escuro (espinafre, agrião, mostarda, couve, escarola etc.) 

Escolha aquelas que tiverem as folhas mais tenras, sem buracos e com cor verde vibrante. As folhas não podem estar rasgadas, murchas, escurecidas ou queimadas.

Mandioquinha (também conhecida como mandioquinha-salsa, batata-baroa ou batata-cenoura)

Escolha as mais amarelinhas, não muito graúdas, sem manchas marrons ou cortes na casca. Mandioquinhas amarronzadas indicam que já estão armazenadas há mais tempo.

Milho

 Escolha espigas com grãos macios e a casca verde. Não compre espigas com buracos (sinal de presença de bichinhos) ou com grãos secos.

Pepino

 Invista nos pepinos firmes e bem verdes e evite os mais gordinhos ou com as pontas secas.

Pimentão

 Seja verde, vermelho ou amarelo, o pimentão tem que estar com a pele bem brilhante, firme e sem machucados ou partes amolecidas.

Quiabo

 Procure quiabos bem verdes, pequenos e macios. As pontas têm que quebrar com facilidade. Se conseguir apalpar as sementes pela parte de fora, não compre porque já estão maduros demais.

(não vai sair por ai quebrando os quiabos do mercado hein? Apenas com o toque é possível saber)

Repolho

Compre os mais pesados, porque isso é sinal de que há muitas e muitas camadas de folhas. A parte de fora geralmente é descartada, mas, ainda assim, não pode estar manchada, seca ou com folhas caindo. Folhas com buraquinho podem indicar a presença de bichos na parte de dentro.

Tomate

Escolha tomates que não estejam firmes demais se precisar usá-los mais rápido, mas preste atenção para que não tenham marcas, manchas pretas ou buraquinhos na pele (sinal de bichos por dentro). Geralmente, quanto mais forte o cheiro do tomate, mais saboroso é por dentro.

Espero ter ajudado a tornar a sua alimentação mais saudável e mais prática! 😉

escritopor2gabriela

Como ser feliz no final de ano sem atrapalhar a saúde?

O final de ano mal chegou e já começamos a ver que tem muito mais gente preocupada com as contas das calorias que serão ingeridas nas festas, do que com os gastos com presentes de Natal. Mas o final de ano não é motivo para pânico se você tem controle do que está fazendo (ou ingerindo!). Se você ainda está inseguro em relação ao seu comportamento nas festas de Natal, Réveillon e confraternizações, nós podemos te ajudar! Vamos provar por A+B que é possível ser feliz, comendo de tudo, e não atrapalhar a saúde nesta época festiva.

Não deixe de se exercitar

correr

Pode parecer tentador entrar de recesso em tudo, inclusive na nossa rotina saudável, mas se você quer manter os resultados corporais alcançados durante o ano, é melhor manter a regularidade na atividade física, por mais difícil que isto possa parecer. Agora, se você não tinha nem começado a se exercitar neste ano de 2014, que tal começar algumas caminhadas para virar o ano com uma mudança positiva nos seus hábitos?

Exagerou na ceia? Controle a ingestão no dia seguinte

ceia

Sabemos que é difícil não exagerar na ceia de Natal e da virada do ano quando temos tanta opção gostosa para provar. Se você não conseguiu resistir não entre em pânico: é só pegar leve no dia seguinte e depois voltar a sua rotina alimentar habitual. Se o exagero for ocasional ele nunca vai resultar em um problema de saúde para você.

Vai beber? Escolha somente um tipo de bebida alcoólica

bebidas

O álcool faz parte das festividades de final de ano. Se você é daquelas pessoas que adora beber um pouquinho para relaxar, não tem problema! Só fique atento para escolher somente um único tipo de bebida alcoólica, já que isto vai lhe ajudar a consumir uma quantidade menor do que o desejado. Misturar vários tipos de bebida também pode atrapalhar na sua digestão e trazer o desconforto do exagero do consumo de álcool um pouco mais cedo do que o programado.

Não se esqueça da água

água

A água deve ser sua companheira no final de ano para evitar os exageros. Sentiu sede por causa do calor? Beba água e não sucos ou refrigerantes. Já bebeu dois copos de alguma bebida alcoólica? Agora é a vez de tomar um copo de água. Lembre-se que a ingestão de água, especialmente nesta época quente do ano, deve chegar a pelo menos dois litros por dia.

Sabe que vai exagerar a noite? Coma mais leve durante o dia

leve

Se planejar para o exagero pode ser uma boa alternativa para não sofrer com as consequências. Se você sabe que vai comer um pouco a mais no natal, na festa da empresa ou no Réveillon, é bom reduzir a ingestão de calorias ao longo do dia, evitando ultrapassar a sua necessidade calórica diária. Tome um bom café da manhã, almoce um pouco mais leve e faça um pequeno lanche antes de sair de casa: desta maneira você está pronto para chutar o balde, mas com moderação. Ah, e só comece a consumir bebidas alcoólicas quando chegar no evento, ok? 😉

O que nós do Batata Frita queremos de verdade é que vocês possam ser felizes em uma das épocas mais gostosas do ano. Deixar a privação e a preocupação de lado nestas datas é uma maneira de aproveitar mais os amigos, a família e o prazer! E não se esqueça: quando fazemos algo sem nos preocupar e com tranquilidade, a situação não nos traz problema algum! Um bom recesso para todos!

escritopor2marina

7 alimentos indispensáveis para um dia a dia mais saudável

unnamedEm meio ao turbilhão de informações que cercam o mundo da nutrição, muitos acabam ficando perdidos sem saber o que consumir. Não é para menos. Todos os dias são lançados novos alimentos no mercado com campanhas fortíssimas que prometem mundos e fundos, deixando o consumidor confuso, sem saber o que comprar.

A minha opinião? Quanto mais simples, fácil e rápido, melhor. Por isso resolvi dar umas dicas sobre alguns produtos comuns e baratos do dia a dia que sempre devemos comprar para ter um truque na manga.

Iogurte

Claro, se você não tiver intolerância a lactose. O iogurte natural é um produto prático. Em uma emergência você pode carrega-lo com você para onde for. É um ótimo lanche intermediário, excelente complemento no café da manhã e também pode ser consumido na ceia, aquela ultima refeição da noite quando bate uma fominha e a maioria fica perdido sem saber o que comer. Ele contém carboidratos, proteínas, minerais e ainda microorganismos vivos que ajudam na manutenção da microbiota do intestino. Existem vários tipos de iogurte no mercado, entre eles o natural, desnatado e a versão light.

Castanha do pará

Rica em selênio, magnésio e gorduras do bem, a castanha do pará é um excelente lanchinho e pode ser combinada com qualquer tipo de fruta fresca ou seca ou até mesmo combinada com o iogurte. É prática, não precisa ser armazenada em geladeira e na correria do dia a dia pode ser levada na bolsa ou na mochila para qualquer lugar.

Ovo

Nosso querido coringa na cozinha. Ele que nos permite fazer pratos variados como omeletes, crepiocas, panquecas, ovo mexido, poche, quente, cozido e mais inúmeras preparações. Pode ser a fonte principal de proteína do café da manhã, almoço ou jantar. A gema contém propriedades incríveis como vitamina A e E, colina, selênio ou seja, um verdadeiro antioxidante. Uma dica é preferir os ovos orgânicos, de galinha caipira. Olha as propriedades de um ovo orgânico comparado com ovo de granja:

1/3 menos colesterol 2/3 mais vitamina A 3 vezes mais vitamina E
¼ menos gordura saturada 2 vezes mais ômega-3 7 vezes mais betacaroteno

 Arroz integral

Diferente do arroz branco, esse alimento possui vitaminas B e fibras por ainda conter o farelo. Uma pesquisa feita por nutricionistas da Universidade Tufts, nos Estados Unidos concluiu que os nutrientes encontrados nos alimentos integrais são eficazes na redução de açúcar no sangue e gordura abdominal. Em consequência, o coração é beneficiado: células gordurosas mais “murchas” significam menos inflamação nas artérias e, claro, menos trabalho para fazer o sangue circular. Além de ser um alimento super prático, pois você pode cozinha-lo no domingo por exemplo e congelar em pequenas porções para a semana inteira.

Frutas da época

Eu adoro frutas da época, são sempre docinhas, fresquinhas e suculentas. Ter frutas da época em casa é indispensável para qualquer ser humano que procura uma vida saudável – com exceção dos casos de intolerância a frutose ou frutosemia (isso é papo para outro post). As frutas são ricas em vitaminas, minerais, água, são práticas para serem consumidas e também podem ser levadas na bolsa. Podem ser consumidas qualquer hora do dia.

Chocolate Amargo

Se você é daqueles que aprecia um docinho, então preste atenção! Ao invés de sair por aí comprando balas e sorvetes, opte pelo chocolate amargo. Ele é rico em flavanóides, que diminuem a pressão sanguínea e promovem o bom funcionamento do sistema circulatório, tem altas concentrações de magnésio, um mineral importante para mais de 300 processos biológicos do organismo. Além de tudo é uma sobremesa prática e saudável.

Vegetais escuros

São fontes de vitaminas A e C, ácido fólico e potássio. O brócolis por exemplo contém nutrientes anticancerígenos devido a presença de fitoquimicos em sua composição. Além disso é muito prático. Pode ser cozido no vapor e armazenado em geladeira por 5 dias

escritopor2gabriela

Mini Horta em casa

horta_em_casa_climex_terceirizacao1Que o orgânico é a melhor opção para ser consumido nós já sabíamos! Mas nem todos possuem um terreno ou uma fazenda ou dinheiro para comprar alimentos orgânicos. Quem já está habituado a consumir os alimentos livres de agrotóxicos, sabe bem o quanto dói no bolso, então se você assim como eu morre de vontade de ter sua hortinha mas não espaço, vem como fazer sua mini horta com a ajuda de um vídeo.

Material necessário:

– Recipiente (vaso)

– Argila expandida

– Manta bidim

– Borrifador

– Substrato para plantio (terra)

– Semente que será cultivada

Aí você se pergunta…

Mas para que a argila e a manta?

 Pois são esses ingredientes que não deixam a água se acumular no fundo do vaso, impedindo que microrganismos infestem as plantinhas

E o substrato? Não é terra comum?

Não, não pode ser terra comum. O substrato deve ser poroso e conter todos os nutriente adequados para a plantar poder crescer

Como montar?

Primeiro distribuía a argila no recipiente cobrindo todo o fundo. Coloque a manta por cima da argila. Em seguida coloque o substrato e alinhe-o. Umidifique o substrato com água do borrifador. Plante a sua semente conforme manual da embalagem.

*Atenção! O uso do borrifador é essencial! E a terra deve ser borrifada com água sempre que estiver seca.

O vídeo para ajudar:

escritopor2gabriela

Meu filho tem 6 meses, e agora?

0x0anoqvJá sabemos que o leite materno contém todos os nutrientes essenciais para o recém nascido nos primeiros meses de vida. Ele, isoladamente, é capaz de nutrir adequadamente um bebê até os 6 meses de vida, mas e depois? Muitas mães, avós, tias e bisas ficam confusas e não sabem ao certo como deve ser essa introdução dos alimentos após os 6 meses de vida.

O tipo de alimento que será introduzido é fundamental para que essa criança não se torne um adulto com sobrepeso, desnutrição e outras doenças como anemia.

Nos últimos anos, têm ocorrido avanços importantes na promoção da amamentação, mas, infelizmente, a promoção da alimentação complementar tem tido menos progressos. Novos conhecimentos sobre alimentação infantil adquiridos nos últimos 20 anos tornaram ultrapassados muitos conceitos e recomendações que fizeram parte da prática pediátrica por muito tempo. Porém, grande parte da população, incluindo profissionais de saúde, desconhecem os avanças científicos nessa área.

O Alimento complementar é qualquer alimento dado durante o período de alimentação complementar e que não seja leite materno. Eles podem tanto ser um alimento preparado especialmente para a criança, como podem ser os alimentos já consumidos normalmente pela família, porém, modificados.

downloadCrianças amamentadas exclusivamente até os 6 meses adoecem menos de diarreia e não apresentam déficits de crescimento. Somente a partir do 6° mês que as necessidades nutricionais do lactente não podem ser supridas pelo leite materno (tirando alguns casos especiais, claro). Também é a partir dessa idade que a maioria das crianças atinge um estágio de desenvolvimento  geral e neurológico (mastigação, deglutição, digestão e excreção) que a habilita a receber outros alimentos que não o leite materno.

O aleitamento materno exclusivo reduz o efeito de asma, e esse efeito protetor parece persistir pelo menos durante os primeiros dez anos de vida. Já foi descrito que a exposição precoce ao leite de vaca (antes dos 4 meses) pode ser um importante determinante na diabetes melitus tipo 1 e pode aumentar seu risco de aparecimento em 50%. Estima-se que 30% dos casos de diabetes melitus tipo 1 poderiam ser evitados se 90% das crianças até 3 meses não recebessem leite de vaca.

Em alguns países já é recomendado que a introdução do leite de vaca não ocorra até os 12 meses de idade, isto porque ele é responsável por 20% das alergias alimentares. Mas o leite de vaca não está sozinho, outros alimentos também devem ser evitados como ovo, amendoim, nozes e peixes. Já no caso do mel, a recomendação de evitar o seu uso em menores de 12 meses visa à prevenção de botulismo.

Uma alimentação complementar adequada deve conter alimentos ricos em energia, e micronutrientes (ferro, zinco, cálcio, vitamina A, vitamina C e folatos), sem muito sal ou condimentos, de fácil consumo e boa aceitação pela criança.

O atual requerimento total de energia estimado para crianças amamentadas saudáveis é de aproximadamente 615 kcal/dia dos 6 aos 8 meses de idade, 686 kcal/dia dos9 aos 11 meses e 894 kcal/dia dos 12 aos 23 meses de alimentos saudáveis –  melhor a fazer é procurar uma nutri para equilibrar as refeições do seu pequeno.

A papinha deve ter um tipo de carboidrato (batata, macarrão, arroz), um tipo de proteína (carne ou frango), dois tipos de legumes (sempre variados) e um tipo de gordura (pode ser azeite, bem pouquinho). Receitas e dicas 

Do oitavo mês em diante, os alimentos devem ser variados e balanceados. Contendo cereais, tubérculos, alimentos de origem animal, de origem vegetal e gordura. Somente uma dieta variada assegura o suprimento de micronutrientes e favorece a formação de bons hábitos alimentares. As crianças (e depois, como adultos) tendem a preferir os alimentos da maneira como eles foram apresentados inicialmente. Por isso, é recomendável que se ofereça inicialmente à criança alimentos com baixos teores de açúcar e de sal.

É desaconselhável oferecer leite de vaca não modificado, principalmente quando cru e puro, a menores de 1 ano porque o seu uso está associado a perda sanguínea fecal e deficiência de ferro. Bebidas como refrigerantes, sucos industrializados, café e chá também devem ser evitados.

CA-bebe-filho-nao-quer-comer-D-732x412É muito comum a criança rejeitar os novos alimentos, mas isso não deve ser encarado como uma aversão. Para que uma criança comece a aceitar bem um alimento, ela deve ser exposta a ele entre 6 e 10 vezes (sendo preparados sob forma de purê). A medida que a aceitação da criança aumentar, e a partir do oitavo mês, a consistência dos alimentos deve ser aumentada e alimentos consumidos pela família (desde que picados em pedaços pequenos) já podem ser introduzidos. Aos 10 meses, a criança já deve estar recebendo alimentos granulosos, e aos 12 meses, a maioria das crianças pode receber o mesmo tipo de alimento consumido pela família, desde que com densidade energética e consistência adequadas. A partir de então, deve-se deve-se evitar alimentos de formato aguçado, semi-sólidos e/ou consistência dura (ex: cenouras cruas, nozes, uvas), pelo risco de engasgar a criança.

Enfim, a alimentação complementar no segundo semestre de vida é essencial, mas mais essencial ainda é saber discernir qual o tipo de alimento certo para o seu filhote. Procure profissionais gabaritados para tal. 😉

escritopor2gabriela

Links:

http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5/v80n5a13.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572007000100008&script=sci_arttext

http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5s0/v80n5s0a04.pdf

http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5/v80n5a06.pdf

http://www.paho.org/bra/

Você toma laxante? Saiba porque não deveria fazer isto

downloadCompartilhamos um texto do Dr Jairo Bouer (se não viu ainda, clique aqui), na nossa página do facebook (aqui) que alerta sobre o consumo desenfreado de laxantes. Gostei muito do texto dele e me senti na obrigação de escrever um pouco sobre o assunto.

Cada indivíduo possui um hábito intestinal diferente, alguns evacuam uma vez no dia, outros mais de uma e alguns passam dois dias sem ir ao banheiro. Além do que, fatores psicológicos também devem ser levados em considerações, por exemplo, algumas pessoas sentem dificuldade de evacuar quando viajam ou estão fora de suas casas.

Vários fatores influenciam no hábito intestinal, mas o principal é aquilo que chamamos de microbiota intestinal. Se você possui bactérias boas no intestino e faz refeições ricas em fibras – rica em fibras é algo em torno de 35g por dia – então é provável que tenha uma ou mais evacuações diárias, caso contrário o seu intestino pode ser daquele tipo que costumamos chamar de preguiçoso.

Na busca de dar mais ânimo ao intestino preguiçoso (digamos assim), muitos fazem o uso de laxantes, purgantes ou purgativos, que no final das contas são usados com o mesmo propósito, o de fazer o indivíduo evacuar, ou evacuar melhor.

download (1)Acontece que o uso dessas substâncias irrita a mucosa do intestino, podendo prejudicar o organismo do indivíduo. Quando digo substâncias, não estou me referindo somente a medicamentos, mas também aos famosos chás, conhecidos por muitos como laxantes naturais, os chás laxativos também provocam a mucosa intestinal, podendo causar problemas muito mais sérios. Alguns exemplos de chás usados comumente: sene, cáscara sagrada e o extrato de ruibarbo.

A maior preocupação no uso dessas substâncias está diretamente ligada à maçante procura pelo corpo perfeito. Mulheres e homens estão consumindo laxantes a torta e a direita para emagrecer.

Acontece que a perda de peso que temos nas diarreias não é nada além de água. Emagrecemos porque ficamos desidratados, mas assim que a diarreia acaba, e nos reidratamos, o peso volta ao que era antes.

O uso indiscriminado de purgativos também tem um outro agravante, que é a perda das bactérias benéficas do nosso intestino. São essas bactérias – os famosos probióticos – juntamente com as fibras – os prebióticos – que tornam o nosso intestino saudável e “funcionante”. Então, se um indivíduo consome diversos laxantes por dia para emagrecer, o intestino dele fica doente e passa a funcionar cada vez menos, evacuando menos e absorvendo menos nutrientes.

A microbiota ou flora intestinal são cerca de  100 trilhões de bactérias, com 100 variedades em média. Elas participam da digestão, absorção e síntese de ácidos graxos, vitaminas B e K. Contribuindo também, na redução de moléculas de colesterol e exercendo um importante papel preventivo para a saúde.Elas favorecem a prevenção de diversas infecções intestinais, ajudam a eliminar toxinas, melhoram o aspecto da pele e estimulam o sistema imunológico. Mas para que tudo isso ocorra, nosso intestino deve estar saudável. Se não estiver, o indivíduo se torna doente, pois a entrada de microrganismos maléficos no organismo fica facilitada, os nutrientes não são mais absorvidos da maneira que deveriam ser e o risco de um câncer de intestino aumenta.

O uso de laxantes pode também ser a ponta de um iceberg. Pessoas que abusam destes medicamentos costumar ter também transtornos alimentares. O uso dos laxantes, neste caso, funciona como o vômito nas bulimias, um mecanismo de purgação, de punição, de arrependimento pelo excesso de ingestão. Para piorar, o uso destes medicamentos pode provocar um tipo de dependência pois a pessoa passa a ter dificuldade de evacuar evacuar sem ajuda deles.

Então, se você está viciado em laxantes procure uma ajuda profissional para restabelecer o seu equilíbrio intestinal e ficar longe de doenças oportunistas. 😉

escritopor2gabriela

 

e

escritopor2mauro

Carboidrato após as 18h pode?

2___________________________________________________________________________jpg_220x200_crop_upscale_q85Ingerir carboidrato a noite é um veneno para quem busca a perda de peso, correto? Errado, e digo mais, erradíssimo! Ao contrário de que muita gente pensa, ingerir carboidratos a noite pode ser essencial na luta contra a ansiedade e na busca pela saciedade.

Uma dieta balanceada e saudável deve ser composta entre 50% e 60% de carboidratos. As pessoas que fazem regimes ou dietas  por conta própria e cortam os carboidratos, podem até perder peso rapidamente, porém a longo prazo, a saúde pode ser prejudicada.

Na verdade o grande segredo de tudo é equilíbrio e disciplina. Não há problema algum em comer 2 fatias de pão de forma integral após as 18h por exemplo. Mas comer uma pizza todos os dias a noite pode sim se tornar um grande problema.

O carboidrato é a fonte de energia primária do nosso organismo, essencial  para a manutenção do metabolismo como um todo.. Quando dormimos, estamos em um jejum prolongado, com um maior tempo sem ingestão de alimentos. Se não temos reserva de carboidrato para esse período, o organismo vai usar outra substância para obter energia. A primeira coisa que ele faz é mobilizar a proteína para transformá-la em glicose, o que não é bom.

noitecarboAcreditava-se que as calorias dos carboidratos não seriam consumidas pelo corpo durante a noite, sendo acumuladas na forma de gordura, porém, essa energia é usada para o funcionamento cerebral e dos órgãos. Um estudo realizado na Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel aponta que o ganho de peso não está relacionado ao carboidrato consumido à noite e sim à qualidade da alimentação no restante do dia, ao sedentarismo e ao exagero na quantidade de alimentos consumidos.

Então, devemos apenas estar atentos ao tipo e a quantidade de carboidratos que consumimos antes de dormir. Obviamente, alimentos como miojo, pizza, biscoitos e pães – aqueles feitos com farinha refinada, não são as melhores opções.

O que deve ser escolhido para noite são os carboidratos integrais e de baixo índice glicêmico como arroz integral, batata doce aveia, pão integral, massa integral, quinoa e grãos ou leguminosas como feijão, ervilha, lentilha, grãos de bico. Tudo acompanhado por generosas porções de saladas.

Nunca devemos nos esquecer que o que engorda é gastar menos do que se consome. Ficar sentado o dia todo comendo porcaria e cortar o carboidrato a noite não vai te emagrecer, o que acontece é justamente o oposto disso.

Agora se você quer realmente emagrecer com saúde, procure uma nutricionista. Ela é o profissional indicado para atender as necessidades de cada um de maneira individualizada. 😉

O que é bom para o outro pode não ser bom para você.

escritopor2gabriela

5 programas de culinária pra você ver na TV

Quem gosta de alimentação, cozinha e nutrição tem que ficar cada dia mais antenado nos programas de TV. E não, não é pra aprender a nova dieta do verão, ou a fazer receitas fit, mas sim para aprender a comer das mais diferentes maneiras. Neste mérito o canal GNT dá show de variedades, mostrando desde programas de culinária leve e saudável, até as mais tradicionais receitas caseiras. Vou citar aqui meus cinco programas de culinária favoritos da TV, e apesar de parecer que a GNT está nos patrocinando (e não está, mas estamos disponíveis para negociar :p) eu ainda escolhi um programa de outro canal só pra variar.

Diário do Olivier (GNT)

olivier

Esse é um dos programas mais deliciosos da TV brasileira. Primeiro porque o Olivier é um chef de mão cheia, e um simpático sem limites, e segundo porque ele segue uma linha muito interessante de explorar receitas ao redor do Brasil e do mundo, utilizando técnicas e ingredientes regionais, para depois adaptá-las às suas receitas. Não dá pra assistir sem ficar com água na boca. Na última temporada ele viajou de moto pela América Latina, no melhor estilo Che Guevarra. Quintas, as 20:30h.

Jamie Oliver (GNT)

jamie

O famoso chef inglês, autor de vários livros de culinária dos mais diversos estilos, visita suas técnicas inglesas para ensinar seus telespectadores a comer de maneira saudável e natural, utilizando ingredientes baratos e comuns (a única tristeza é que a grande maioria é baseada em ingredientes ingleses). De qualquer maneira vale a pena ver como o chef, que é inimigo número um dos alimentos industrializados e processados, utiliza suas técnicas com diversão e pouca (ou quase nenhuma) preocupação com a organização da cozinha: ele literalmente mete a mão na massa. Sábados, as 19h.

Bela Cozinha (GNT)

bela

Novata do mundo da televisão, a filha de Gilberto Gil, Bela Gil, é nutricionista formada em Nova York e especialista em técnicas Ayurveda. Por este motivo, no seu programa, ela explora receitas feitas com ingredientes frescos e ricos em nutrientes e elabora pratos fáceis e tipicamente brasileiros. Apesar de falar um exagerozinho ou outro em relação a alimentação saudável (como a exclusão do glúten e da lactose na maioria de suas receitas), o resultado final é muito legal, e os pratos são uma delícia. Terça, as 22h.

Tempero de Família (GNT)

rodrigo

Como não gostar de um programa de culinária com Rodrigo Hilbert, não é mesmo? Naturalmente ele não estaria representado aqui neste blog se não tivesse, além de beleza, muita desenvoltura na cozinha. O interessante do programa do Rodrigo não é seu talento culinário, nem mesmo o sabor de seus pratos, mas sim a capacidade de explorar e revisitar receitas tipicamente familiares (na temporada passada, por exemplo, ele esteve aprendendo a cozinhar receitas de famílias de todo o Brasil). É uma boa maneira de nos relembrar que alimentar é muito mais do que somente calorias e nutrientes: é também um importante componente do prazer e vida social. Quintas, as 20h.

Fome de quê? (Discovery Home And Health)

fomedeque

Este programa do excelente canal Discovery é apresentado pela nutricionista Neka que, curiosa como ela só, testa técnicas e diversos ingredientes para tentar entender o que estamos comendo. O divertido é que Neka, apesar de nutricionista, passa longe das modinhas fitness, valorizando a harmonia entre os sabores, a qualidade do prato e a nossa sensação de prazer. Quartas, as 18h.

Vocês devem ter percebido que todos os programas são de canais fechados. Infelizmente os canais abertos ainda não dão espaço (ou não tem a demanda) de programas tão interessantes quanto estes, o que nos deixa presos a poucos programas regionais (como o Terra de Minas) e outros com pouco apelo culinário, como Ana Maria Braga e o programa Estrelas. Se alguém conhecer algum programa legal de culinária na TV aberta, estou ouvindo as sugestões! 😉 Enquanto isto, aproveitem o que temos de melhor na TV fechada!

escritopor2marina

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: