Sorvete de manga pré carnaval

Todos nós sabemos que a pior parte da dieta é abrir mão de alimentos que gostamos muito pelo fato de conterem calorias em excesso, muita gordura e condimentos desnecessários. Além disso o carnaval está chegando e tem muita gente aí de olho na balança! Então separamos uma receita deliciosa e super natural para você se deliciar em um sorvetinho refrescante e espantar o calor sem neura!
imagesIngredientes:

2 mangas descascadas e picadas

1/2 litro(s) de leite sem lactose

Suco de três limões ­sicilianos

1 colher(es) de sopa de açúcar demerara

Modo de preparo:

Bata as mangas, o leite, o limão e o açúcar no liquidificador. Coloque a mistura em um recipiente e tampe. Leve ao congelador por cinco horas, aproximadamente. Retire do congelador e bata a mistura no liquidificador novamente. Enquanto bate, desligue o liquidificar, de vez em quando, mexa a mistura. Coloque a mistura no congelador novamente por três horas aproximadamente. Sirva.

escritopor2gabriela

Anúncios

Ainda queremos falar sobre o glúten

Praticamente um ano se passou quando resolvemos fazer um manifesto a favor do consumo de glúten por pessoas que não tem a doença celíaca (leia aqui) e cá estamos nós de novo para falar deste tão temido composto alimentar.

O motivo que me traz de volta a este assunto é muito simples. Nós, aqui do Batata Frita, lemos três reportagens interessantes que falavam sobre a temática da dieta glúten-free. Em duas delas, mais voltadas ao valor nutricional destas práticas alimentares, víamos que existia uma clara tendência em incentivar as pessoas a, talvez, não excluir o glúten de maneira tão radical e precoce da sua alimentação. As alegações eram várias, que passavam da baixa ingestão de fibras em uma dieta sem os alimentos fonte desta proteína, quanto a baixa qualidade nutricional de uma rotina alimentar sem glúten. Na outra reportagem, da revista The Economist, fomos apresentados ao significante aumento do faturamento da indústria alimentícia após o “boom” das dietas sem glúten: o crescimento desta fatia do mercado chegava a 45% de 2011 a 2013, com faturamentos anuais de 15 bilhões de dólares.

shutterstock_59248078

Diante destes fatos eu ainda quero lhe perguntar: será que retirar o glúten da dieta é uma ação motivada por estudos clínicos, ou por uma necessidade do mercado em se reinventar?

Não preciso reforçar aqui o quanto eu julgo importante para a nossa alimentação a ingestão do trigo e de outros alimentos que contém o glúten em sua composição, já que quem nos acompanha sabe direitinho qual é o nosso posicionamento sobre o assunto. Não preciso também dizer que a dieta glúten-free, realizada por pacientes celíacos, não precisa ser deficiente em nutrientes ou valor nutricional, já que hoje, além das alternativas industrializadas sem a proteína, é possível fazer substituições saudáveis que permitem que estes indivíduos tenham uma vida perfeitamente normal. Então porque estamos nos debatendo e protestando contra a prática da dieta glúten-free por indivíduos saudáveis? A resposta para mim (que já estava muito clara na minha cabeça), veio após a leitura destas reportagens.

Nós somos verdadeiras marionetes da indústria alimentícia. Nas últimas três décadas esta tendência só se torna ainda maior. Queremos saber cada vez mais sobre o que faz bem, o que faz mal, o que emagrece, o que dá câncer, o que engorda e o que mata. Por isto dietas da moda fazem tanto sucesso, livros sobre alimentação vendem tanto e produtos da seção diet dos supermercados são os mais caros e mais procurados. A indústria entende muito bem esta demanda e necessidade, e sabe muito bem trabalhar a clientela que tem. Não é suspeito o glúten, que antes era um nutriente como outro qualquer, de repente virar o maior vilão da nossa alimentação? E assim, repentinamente, surgirem tantas alternativas industrializadas para que ele pudesse ser excluído da nossa alimentação? As estatísticas do mercado consumidor são bem claras sobre a procura destes produtos, que é muito maior em grupos de pessoas saudáveis do que por quem tem a doença celíaca. E é esta procura que justifica o grande faturamento do mercado.

Tirar o glúten não vai te fazer mais magro ou mais saudável, mas com certeza vai deixar os bolsos dos produtores destes alimentos ainda muito mais cheios. Você sabia que os produtos sem glúten hoje são mais procurados do que os vegetarianos? Pois é. Talvez tenha chegado a hora de começarmos a rever nossos conceitos em relação a estes alimentos. Quem sabe falando sobre o que dói no bolso chame mais a atenção do que a importância nutricional deste composto alimentar? Quem sabe diminuindo a nossa demanda por estes produtos (desnecessários) para pessoas sem a doença celíaca, conseguimos forçar o mercado para baratear os preços para quem realmente precisa adquirir estes alimentos? Queridos leitores, não deixem de refletir sobre o que estamos falando há mais de um ano, mas se vocês ainda não confiam 100% na nossa opinião não tem problema, é só não deixar de acreditar que a indústria alimentícia não está tão preocupada assim com o seu bem estar como parece.

escritopor2marina

Cookie de farinha de coco, linhaça e cacau

cookie 2Quem acompanha o mundo da nutrição com certeza está por dentro das receitas “fit”. Bem, eu gosto de algumas receitas, mas nada de neurose absurda. Gosto mais quando as receitas além de fit, são funcionais, práticas e gostosas, principalmente gostosas! Hoje, eu estava inspirada, tinha alguns ingredientes sobrando e com vencimento próximo, então, vamos à receita…

Ingredientes:

cookie

– 1/2 xic de farinha de coco

– 1/2 xic de farinha de linhaça

– 1/2 xic de coco ralado fresco

– 1/2 xic de uvas passas

– 3 colheres de cacau em pó

– 1 colher de sopa de fermento em pó

– 2 ovos

– 6 colheres de sopa de mel

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes em um bowl, deixe na geladeira por 15 minutos. Retire da geladeira, faça bolinhas com a massa e amasse para que fique em formato de cookie. Leve ao forno por 30 minutos em papel laminado ou unte uma fôrma.

Rápido, fácil e gostoso!!! celíacos também podem comer!!! 😉

escritopor2gabriela

Batatômetro: Holy Fit – Creme de avelã com cacau

Se você é aquele tipo de pessoa fissurada nas linhas de produtos fitness, certamente já ouviu falar deste produto. Se não, com certeza ainda vai ouvir, experimentar e comentar com os conhecidos.

Pois bem, eu vi este produto e resolvi experimentar, então, vamos à classificação segundo aparência, informações nutricionais, embalagem, sabor e preço. Lembrando que nossa escala vai de 1 a 10, sendo 10 a excelência no item avaliado e 1  pior resultado possível.

Embalagem: Nota 8

fa9db9f7eb

A embalagem é simples, bem organizada, contém todas as informações necessárias bem dispostas, como a tabela nutricional, ingrediente, data de validade e data de fabricação. Perdeu dois pontos, pelo fato de do pote lembrar papinha de neném, acho que a tampa poderia ser modificada, algo mais moderno, talvez.

Aparência: Nota 9

Ao compararmos esse creme de avelã, com outro vendido no mercado, notamos que o produto concorrente é mais cremoso, mas isso pode ser devido aos emulsificantes contidos nos concorrentes, então no quesito aparência, o produto aparenta ser bem apetitoso.

Sabor: Nota 8

O sabor do produto é bem satisfatório, conseguimos sentir o sabor dos principais ingredientes que são o cacau em pó e a avelã, além do mais, este produto não leva açúcar na sua composição. Ele é produzido com sucralose –  um adoçante que pode ser usado sem restrições, por não ser tóxico e não ter efeito na secreção de insulina.

Informações nutricionais: Nota 9

Quando a gente pensa em um produto chocolate e avelã, imaginamos rapidamente o que? Gordura e açúcar, certo? Pois é, o que surpreende neste produto é que ele não leva açúcar e suas 111 kcal/ porção estão distribuídas em proteínas e gorduras do bem Tudo isso graças a presença da sucralose que substitui o açúcar e da avelã que é rica em proteínas e gorduras boas. Abaixo, a descrição do produto:

CREME DE AVELÃ + CACAU E SUCRALOSE. Ingredientes: Avelã, cacau em pó, sucralose, aroma de baunilha. Informação Nutricional: Porção de 36g (2 col. sopa): Valor energético: 111kcal (5,55% VD*); Carboidrato: 2,3g (0,77% VD*); Proteínas: 5,9g (7,9% VD*); Gorduras totais: 10,3g (18,73% VD*); Gorduras saturadas: 0,7g (3,18% VD*). Não contém quantidades significativas de Sódio, Ferro e Cálcio. *VD: Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal. 

NÃO CONTÉM GLÚTEN. NÃO CONTÉM LACTOSE. ATENÇÃO! ESSE PRODUTO PODE CONTER VESTÍGIOS DE AÇÚCAR DO CACAU!

Preço: Nota 7

No site um pote de 150g custa R$16,00 mais a taxa de entrega. Quando comparado a preços concorrentes, a média é essa mesmo, entre R$13,00 e R$16,00. Mas ainda é um preço alto para o consumo da população brasileira.

Nota final: 8,2

Apesar do custo, o produto é considerado ótimo, principalmente pelos ingredientes. devemos lembrar que a maioria dos concorrentes contém ingredientes como emulsificantes e aromatizantes, este não contém e ainda tem a vantagem de ser sem lactose e sem glúten, para a alegria dos intolerantes a lactose e celíacos. Enfim consuma com moderação e sempre consulte a sua nutri. 😉

escritopor2gabriela

Pão de mandioquinha (pão de queijo fake)

Faz um tempinho que ensinei uma receita de pão de batata doce que foi sucesso! Hoje vou ensinar uma de mandioquinha (batata baroa). essas receitas são ótimas opções para quem tem intolerância à lactose e não podem comer o pão de queijo comum! O gosto fica bem parecido. Essa receita também é glutenfree e os celíacos podem consumir tranquilamente.

pao-de-mandioquinha

Ingredientes:

– 400g de mandioquinha
– 400g de polvilho azedo
– 100g de polvilho doce
– 1 copo de água morna
– 1/2 copo de azeite
– Orégano, alecrim ou qualquer erva de sua preferência
– Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo: 

Cozinhe a mandioquinha e amasse fazendo um purê. Acrescente os demais ingredientes, misturando com as mãos até a massa ficar homogênea. Faça bolinhas pequenas e coloque em uma forma. Asse em forno médio por cerca de 30 minutos.

Pão-de-queijo

Dica:

Se o rendimento da porção for muito, coloque as bolinhas na assadeira e congele. Retire a assadeira do freezer, coloque as bolinhas em um saco plástico e armazene novamente no freezer. Quando quiser consumir de novo, é só assar!

Prontinho, a mandioquinha também pode ser substituída por batata doce. 😉

escritopor2gabriela

Placas de pão de queijo

Quem amou e quer comer isso pra sempre (igual eu…rss), vai delirar com essa receita!!! Sabe aquele pão indiano que você só come no restaurante indiano e nunca mais? Pois é… aprendi como fazer no Discovery Home and Healthy, nas receitas da Neka e, claro, vou compartilhar com vocês! Um aviso aos celíacos….é gluten free, ok??? Vamos lá…

PlacaDePaoDeQueijo

Ingredientes

  • 200 ml de água
  • 200 ml de óleo de girassol
  • 400 gr de polvilho azedo
  • 1 colher de sopa de sal
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 ovo
  • 180 ml de água
  • Queijo parmesão ralado a gosto

Preparo

Aqueça a água (200 ml) e o óleo de girassol em uma panela. Misture em um bowl o polvilho azedo, o sal e o açúcar e aos poucos, derrame a mistura de água e óleo e o ovo. Coloque a outra porção de água (180 ml) e misture (a consistência final da massa é cremosa). Quando pronto, espalhe a massa em uma forma de silicone (a folha deve estar sobre a assadeira invertida) e polvilhe com queijo ralado. Leve ao forno por 25 minutos a 180 graus.

escritopor2gabriela