Termogênicos Emagrecedores são Responsáveis por casos de Hepatite Aguda não Viral

contras versa 1 oxyelite

Não é de hoje que nós nutricionistas alertamos os pacientes a respeito do uso de termogênicos, emagrecedores e pré-treinos, né…A maioria desses produtos contém substâncias que fazem mal à nossa saúde. Infelizmente poucos acreditam, por que muitas vezes o efeito negativo do uso é sentido a longo prazo. Pois bem, hoje a anvisa divulgou alguns casos que já ocorreram com o uso de algumas substâncias proibidas aqui no Brasil:

A Organização Mundial de Saúde atualizou as informações sobre a ocorrência de hepatite aguda não viral associada ao consumo de suplementos da marca OxyElite Pro e Versa 1. Até 13 de novembro, havia 62 casos de hepatite não-viral aguda nos Estados Unidos subsequente ao consumo dos referidos suplementos, incluindo um óbito, um transplante e outros pacientes aguardam na fila de transplantes.

No último dia 1º de novembro a Anvisa já havia divulgado um alerta sobre a relação destes produtos com a ocorrência de hepatites. No Brasil, o produto já havia sido proibido, pois utiliza substâncias não autorizadas para suplementos alimentares no país. Entre as substâncias está o DMAA, que tem efeitos estimulantes sobre o sistema nervoso central, pode causar dependência, além de outros efeitos adversos, como insuficiência renal, falência do fígado e alterações cardíacas, podendo levar a morte.

Segundo a OMS, também há um caso registrado na Irlanda e dois em investigação na Nova Zelândia. Os suplementos envolvidos nas investigações incluem outras marcas, além daquelas inicialmente divulgadas pela FDA: OxyELITE Pro Super Thermo em cápsulas; OxyELITE Pro Ultra-Intense Thermo em cápsulas; OxyELITE Pro Super Thermo em pó, OxyELITE Pro and OxyELITE Powder Super T. Genic Caffeinated Beverage. e VERSA-1.

Atualmente, existe no mercado internacional uma nova fórmula desses suplementos, sem a adição de DMAA, mas com a incorporação de novos ingredientes, incluindo a substância Aegeline. A Aegeline é uma versão sintética de um alcalóide extraído de planta asiática que está sendo investigada como possível responsável pelos casos relatados de hepatite aguda não viral.

A nova fórmula do OxyElite também não pode ser legalmente comercializada no Brasil. Apesar da suspensão da fabricação, o produto ainda é encontrado em sites de venda, trazendo riscos para seus usuários. Nesse sentido, a Anvisa alerta aos consumidores que não consumam esses suplementos e informa que manterá a população informada sobre os avanços na investigação conduzida pelos Estados Unidos.

Quer perder peso? procure um nutricionista confiável!

Saiba mais: EUA alerta sobre uso de OxyElite Pro e casos de hepatite aguda http://s.anvisa.gov.br/wps/s/r/c79a

escritopor2gabriela

A marca de Whey Protein que você consome é confiável?

wheyÉ com grande satisfação que anunciamos o retorno das nossas postagens!!! Estivemos um tempinho fora para algumas reformas…rss certamente vocês notaram que estamos de cara nova e muito mais bonita. Para tal, contamos com a  dedicação do nosso parceiro biscoitomaria que realizou um trabalho excelente, o que vocês acharam?

Vamos iniciar as postagens de 2014, reforçando mais uma vez a importância da orientação nutricional no consumo de suplementos alimentares.  Como já visto anteriormente, inclusive no blog, nem todas as marcas de Whey Protein vendidas são confiáveis.

A princípio diversas marcas de Whey foram analisadas pelo Felix Bonfim, se lembram dele? Foi ele quem teve a iniciativa de mandar analisar e depois publicar através de vídeos no youtube, os laudos de diversas marcas de Whey Protein vendidos no mercado. Pois bem, diversas marcas foram reprovadas ( o percentual de proteína e carboidrato descritos no rótulo não estão de acordo com o contido no produto) e a maioria das empresas que tiveram seus produtos reprovados, divulgaram em nota que seus produtos são seguros e que os laudos publicados, feitos pelo laboratório MKassab de SP não são tão confiáveis como os laboratórios contratados pelas empresas  (estranho né? Nem me fale..) .  Na época as marcas analisadas foram:

reprovadaReprovadas

-Empresa: X Pharma Suplemento – Produto: Whey X Treme

-Empresa: Omega Nutritition – Produto: 100% Whey Protein

-Empresa: José Francisco – Produto: Pure Whey Protein

-Empresa: Body Nutry – Produto: Body 100% Whey

-Empresa: Solaris – Produto: Extreme Whey Protein (lote 14102)/Produto: Extreme Whey Protein (lote 15400)

-Empresa: Neonutri – Produto: Muscle Whey Protein N.2/Produto: 3 Whey Protein N.2/Produto: 100% Whey Protein/Produto: Isolate Whey

-Empresa: Pro Corps – Produto: Whey 5W Pro

-Empresa: Muscle Lab. – Produto: Whey Protein Concentrate

-Empresa: Fisio Nutry – Produto: Fisio Whey Concentrado

-Empresa: DNA – Produto: Whey Protein 3W/Produto: Designer Whey Protein

aprovadaAprovadas

-Empresa: Growth Supplements – Produto: Whey Protein Concentrado 80%

-Empresa: Pro Corps – Produto: Whey No2 Pro

-Empresa: Supley Laboratório – Produto: Top Whey 3W

-Empresa: Inovate – Produto: Nitrowhey

-Empresa: Midway – Produto: WPC/Produto: 100% Whey Advanced/Produto: Whey No2 Pro/Produto: 3W Whey Protein Complex

-Empresa: Pro Corps – Produto: Whey N.2 Pro

-Empresa: Best Bulk – Produto: Whey Premium

-Empresa: Vulgo Nutrition – Produto: 100% Whey Protein/Produto: 100% 3 Whey Protein

-Empresa: Nutrilatina – Produto: Ultra Pure Whey/Produto: 100% Whey Portein Concentrate

Na íntegra: http://oglobo.globo.com/saude/veja-informacoes-detalhadas-sobre-os-suplementos-proteicos-9596174

Na sexta feira uma reportagem feita pelo uol foi publicada mostrando a mesma irregularidade nos suplementos a base de whey para atletas. Segundo a reportagem, 20 marcas foram analisadas e 50% foi reprovada. O que é alarmante nos laudos das análises é a discrepância no percentual descrito no rótulo e o que realmente contém no produto:

reprovada-Four Whey Protein, fabricado pela Suplemente – Alimentação Avançada, que contém 844% a mais de carboidrato e 34% a menos de proteína.

-Triple Matrix Whey NO, da Body Action, tem 320% a mais de carboidrato e 43% a menos de proteína

-Extreme Whey Protein, da Solaris Sports Nutrition, tem 288% a mais de carboidrato e 30% a menos de proteína.

As marcas aprovadas segundo o percentual de carboidratos e proteínas são:

aprovada-Empresa: Optimun Nutrition – Produto: 100% Golden Standard

-Empresa: Dymatize Nutrition – Produto: Elite/ Whey protein Isolate

-Empresa: Suplemente – Alimentação Avançada – Produto: Whey Protein

-Empresa: Vitafor – Produto: Isofort/Whey Protein Isolate

-Empresa: da X-Pharma. – Produto: 100% Whey Xtreme

-Empresa: Max Titanium – Produto: Top Whey 3W

-Empresa: Probiótica – Produto: 100% Pure Whey

-Empresa: Gaspari Nutrition – Produto: Isofusion

-Empresa: Now Sports – Produto: Whey Protein Isolate

-Empresa: Twinlab – Produto: 100% Whey Fuel

Na íntegra: http://boaforma.uol.com.br/noticias/redacao/2014/01/24/analise-encontra-irregularidades-em-suplementos-de-proteina-para-atletas.htm?fb_action_types=og.recommends&fb_source=other_multiline

Somente nessa postagem, listamos mais de 40 tipos diferentes de Whey protein encontrados em todo País, vendidos em farmácias, casas de suplementos, academias, dentre outros.

As irregularidades encontradas nas marcas reprovadas não vão trazer nenhum tipo de malefício imediato, mas podem dificultar o individuo a atingir o objetivo desejado, pois o percentual descrito na rotulagem está diferente do que vai ser consumido. Para evitar que isso ocorra com você, procure um nutricionista de confiança e fique sempre atento. Aqui no batata #estamosdeolho!

escritopor2gabriela

D-drol e M-drol, seriam mesmo suplementos?

Vou falar um pouco a respetito de 2 “suplementos”: D-drol e M-drol. Alguns estão usando sem nem saber o que é, principalmente adolescentes, por indicação dentro de academias, o que piora um pouquinho a situação…
Ingredientes do D-Drol:

  • 2α,17α-Dimethyl-5α-Androstane-3-One-17β-Ol
  • Estra-4,9-Diene-3,17-Dione
  • 17α-Methyl-Etioallocholan-2-Ene-17β-Ol
  • Bergamottin (DHB)
  • Liver Support Complex
Os 3 primeiros ingredientes são esteróides sintéticos, ou seja, fazem parte do grupo tão mal-falado dos anabolizantes esteróides. Além disso, são substâncias que sofreram uma alquilação na posição 17α para que possam resistir ao catabolismo do fígado, o que as tornam anabolizantes de via oral. Por isso, a hepatotoxicidade (capacidade de fazer mal ao fígado) é altíssima. São substâncias que ainda contam com uma esterificação na posição 17β (processo comum nos anabolizantes em óleo injetável) para permanecerem ativas no organismo por mais tempo, potencializando os resultados.
O Bergamottin (DHB) é uma substância natural encontrada em algumas frutas cítricas, como a toranja (grapefruit), que tem como função aumentar a biodisponibilidade (aproveitamento pelo nosso corpo) de agentes fármacos.
O Liver Support Complex tem como finalidade a proteção do tecido hepático. Composto de silimarina e de Dandelian root (erva), esse complexo de substâncias é utilizado para proteger as células do fígado agindo como antioxidante e capaz de promover a desintoxicação hepática. Existem mais duas substâncias nesse complexo: a N-Acetyl-L-Cisteína, que parece ser capaz de aumentar os níveis de glutationa (poderoso antioxidante natural) no nosso organismo; e também o Ácido Alfa-Lipoico, que vem sendo usado em conjunto com a silimarina para tratamento de problemas no fígado.
Conclusão o suplemento não é suplemento e sim um ANABOLIZANTE que está sendo vendido como suplemento. FANTÁSTICO! Palmas para o fabricante #sqn
Já o M-Drol (da marca Competitive Edge Labs) é, na verdade, um produto que não se importa muito com seu fígado, pois possui basicamente o mesmo princípio do D-Drol sem o Liver Support Complex.
Os efeitos colaterais do uso de anabolizantes esteróides androgênicos são bastante conhecidos e divulgados pela mídia, mas não custa nada lembrar a quem pensa em usar esse tipo de subterfúgio para aumentar massa muscular.
Vamos à lista:
  • Queda da produção natural de Testosterona;
  • Infertilidade;
  • Irritabilidade / Hostilidade / Raiva;
  • Feminização no Homem;
  • Impotência;
  • Ginecomastia (Crescimento das mamas no Homem, podendo até causar secreção de leite);
  • Aumento do risco de câncer de próstata;
  • Comprometimento do sistema cardiovascular (aumento do coração, risco de AVC e infarto);
  • Aumento do LDL Colesterol e diminuição do HDL Colesterol, aumentando risco de doenças cardiovasculares como aterosclerose;
  • Problemas na glândula Tireóide;
  • Nas mulheres: Desenvolvimento de características masculinas como virilização, acne severa, crescimento excessivo de pelos faciais e corporais, voz grave, queda de cabelo, hipertrofia do clitóris, redução das mamas, amenorreia (ausência de menstruação);
  • Se usado por adolescentes que não completaram o crescimento, pode causar o amadurecimento precoce das epífises ósseas, limitando o crescimento;
É incrível como as pessoas ainda insistem em utilizar anabolizantes mesmo sabendo de todos esses riscos. Muitos falam que isso só acontece se não usar da forma correta, mas o que não sabem é que não existe forma correta, o que existe são métodos de utilização padronizados que “servem” para a maioria das pessoas, mas que pra outras pode ser fatal. Sem falar que muitos dos males citados acima são vistos em longo prazo, ou seja, talvez o indivíduo só venha a manifestar quando estiver mais velho.

Whey protein pode causar desconforto?



Com as notícias vinculadas recentemente pela internet sobre fraudes de suplementos é necessário que o nutricionista tome consciência de seu papel na elaboração de novos produtos de forma caseira e alguns riscos inerentes do processo de concentração e industrialização dos alimentos.
Alguns pacientes relatam enjoo e dor abdominal ao utilizar suplementos concentrados, principalmente na forma hidrolisada, isso ocorre por que as As proteínas HIDROLISADAS são quebradas a aminoácidos, elas podem ser totalmente ou parcialmente hidrolisadas, o que leva o aumento da concentração de aminoácidos livres. Normalmente as proteínas não apresentam uma alta osmolaridade (capacidade de “reter” água), diferente dos açúcares e dos aminoácidos isolados que acabam causando uma “saída da agua intracelular” para o estômago e intestino, causando o desconforto. Os componentes nutricionais que influenciam a osmolaridade da solução são principalmente os açúcares mais simples; os aminoácidos cristalinos e, em menor grau, os peptídeos; e o cloreto de sódio (NaCl). Os lipídeos não influenciam a osmolaridade, pois não formam solução. Esses componentes causam Diarreia por sobrecarga osmolar: a administração de uma solução hiperosmolar na luz intestinal pode provocar diarreia osmótica. Para nivelar a osmolalidade da solução de nutrientes no lúmen intestinal, os capilares das vilosidades cedem água por difusão. Portanto a osmolaridade dos produtos deve-se aproximar o máximo possível da osmolaridade plasmática (290 mOsm/l). O estômago suporta bem até 550 de carga osmolar, mais do que isso tende a causar diarréia e vômito (GAYTON, 2006; WAITZBERG, 2006; NETO, 2003)
Durante a atividade física, a suplementação de BCAAs pode resultar no aumento da síntese proteica muscular, diminuição do catabolismo proteico durante e após o exercício segundo os fabricantes, mas estes dados não são comprovados cientificamente. Entretanto, doses acima de 20g/kg/dia de BCAA podem provocar problemas gastrointestinais, como diarreia e comprometer a absorção de outros aminoácidos (WILLIAMS, 1998).

Portanto, prefira alimentos mais fisiológicos, whey protein é soro de leite liofilizado, exatamente como a ricota que é hidratada, como nutricionista seria interessante você fazer preparações que pudessem alternar o uso dos dois, já que ricota é mais fisiológico e muito mais barato, faça uma caderninho com algumas preparações que contenham ricota, como flãs doces, vitaminas, pastas para pães. Os suplementos normalmente tem alta osmolaridade por conter grande quantidade de sódio, açucares e neste caso aminoácidos isolados (decorrente da hidrólise), além disso alguns estudos mostram que o whey aumenta a produção de insulina, o que pode levar ao aumento da adiposidade abdominal, inflamação dos enterócitos, e consequente resistência á insulina devido a alteração do Glut4, podendo levar o indivíduo a diabetes tipo 2 (FISCHBORN, 2009; LIMA, 2007; HARAGUCH, 2006).

Referências:

FISCHBURN, S.C. A influência do tempo de ingestão da suplementação de whey protein em Relação à atividade física. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo v. 3, n. 14, p. 132-143, 2009
LIMA, G. G.; BARROS, J. J.; Efeito da suplementação com carboidratos sobre a resposta endócrina, hipertrofia e a força muscular. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.1, n.2, p.74-89, Mar/Abr, 2007
HARAGUCH FK, ABREU WC, PAULA H. Proteínas do soro do leite: composição, propriedades nutricionais, aplicações no esporte e benefícios para a saúde humana. Rev. Nutr., Campinas, 19(4):479-488, jul./ago., 2006;
GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro, Elsevier Ed., 2006.
WAITZBERG, D. L. Nutrição oral, enteral e parenteral na prática clínica. v.1, v.2. São Paulo: Atheneu, 2006.
TEIXEIRA NETO, F. Nutrição Clínica. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, 2003
WILLIAMS, M.H. The ergogenic edge: pushing the limits of sports performance. Human Kinetics, 1998

Frango Desfiado ao Forno e Batata Doce


A batata doce e o frango continuam sendo a preferência entre atletas, fisioculturistas, lutadores e praticantes de atividade física. Por ser tão consumido acaba ficando enjoativo e a restrição de sal dificulta ainda mais a busca por um sabor mais apetitoso. Assim, segue dica de receitinha fácil, delícia e mais nutritiva!




Ingredientes:
  • 1 cebola picadinha
  • 1 tomate picado
  • 100 g de frango desfiado
  • 50 g de batata doce
  • 50 g de brócolis cozido
  • Temperos a gosto, usei: Açafrão, páprica doce, chimichuri1 colher de sopa de requeijão light (opcional, mas fica muito mais gostoso, óbvio)
Modo de fazer:
No mixer ou liquidificador bata a batata doce, o brócolis e um pouco da água do cozimento dos dois e reserve. Não pode ficar muito aguado.
Em uma panela refogue a cebola, o tomate, os temperos e um pouco de água.
Após desmanchar acrescente o frango, misture bem e deixe ferver até secar bem a água.
Desligue a panela, adicione a batata doce, o brócolis e o requeijão, misture bem e leve ao forno para gratinar.


Porque a batata doce?

Já faz um tempo que a batata doce virou a queridinha dos praticantes de atividade física, atletas, fisiculturistas, dentre outros. A combinação da batata doce com frango é realmente um excelente pré treino, mas devemos lembrar que a nossa alimentação não deve ser composta somente por batata doce e frango em quantidades exorbitantes.
Primeiro precisamos saber por que existe essa adoração por esse carboidrato, e a resposta é muito simples: índice glicêmico.
O Índice Glicêmico (IG) é um indicador baseado na habilidade e na velocidade do organismo na ingestão do carboidrato de um dado alimento em elevar os níveis de glicose sanguínea pós-prandial, comparado com um alimento de referência que é a glicose ou o pão branco.”
Esse índice foi classificado como:
  •   IG menor ou igual a 55: baixo
  •   IG maior que 56 e menor que 70: moderado
  •   IG maior que 71: alto
A batata doce é um carboidrato de baixo IG. Então, não é a batata doce que é uma santa! Na verdade, ela é somente um carboidrato com IG baixo. Mas como a ingestão de um carboidrato com IG baixo pode ajudar durante o treino?
Primeiro vamos entender o que acontece quando ingerimos carboidratos…
Quando consumimos um carboidrato, o corpo libera insulina que por sua vez, retira a glicose do sangue atuando primeiramente na reposição de glicogênio hepático e muscular. Depois disso, se os níveis de glicose sanguínea ainda forem elevados, a insulina estimula o armazenamento da glicose em tecido adiposo. Assim, o consumo de carboidratos pode ajudar no aumento de massa magra, mas também pode aumentar o percentual de gordura, tudo depende da quantidade que é consumido.
Então…
 A diferença de consumir um carboidrato de baixo IG antes o treino é que eles são digeridos lentamente pelo organismo, não causando os chamados “picos” insulínicos. Agora, o único carboidrato que apresenta baixo IG é a batata doce? NÃO!!! As refeições devem ser variadas e a batata doce não deve ser a única fonte de carboidrato consumida por atletas e desportistas. Alguns exemplos de carboidratos com baixo IG que podem ser consumidos antes do treino: macarrão integral, arroz integral, inhame, pão integral, cará, frutas com baixo IG (como maçã e pera) dentre outros.
Não devemos esquecer também, que o IG considerado deve ser da refeição como um todo, e não somente do carboidrato que compõe a refeição. A ingestão de proteínas, lipídios e fibras em conjunto com o alimento fonte de carboidratos tende a reduzir o IG. Isso deve sempre ser considerado. 
Cada pessoa necessita de uma quantidade de calorias, gorduras e proteínas, por isso, sempre procure um nutricionista para adequar as suas refeições. Não faça “dietas da moda”, esteja sempre bem orientado. A batata doce, assim como outros alimentos não devem ser consumidos em todas as refeições e em quantidades quaisquer. Não é porque a revista ou o post ou seu amigo da academia falou que aquilo é ótimo e deve ser consumido, que você deve consumir também. Se informe mais e procure um profissional. A chance de obter um resultado satisfatório e com saúde é muito maior.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: