16 de Outubro – Dia Mundial da Alimentação Saudável

alim saudavel

Ontem, dia 16 de Outubro foi celebrado o dia mundial da Alimentação Saudável, e nós do BFP não podíamos ficar sem manifestar nosso apoio a essa data. Não, não vamos publicar receitas #FIT, #LOW CARB, #GlutenFree ou #Sem Lactose. Resolvemos nadar contra a maré!

A celebração do dia mundial da alimentação saudável teve início em 1981, e foi criado não para estimular o consumo desenfreado dos alimentos da moda, ou que são mais “saudáveis” do que outros. Essa data foi a forma que vários países criaram para chamar atenção para assuntos que envolvem a nutrição e alimentação.

Pensando na alimentação saudável, a União Europeia estabeleceu que o ano de 2014 seria o ano de combate ao desperdício de alimentos. Se de um lado as pessoas são estimuladas a comerem ao menos 5 porções de frutas e vegetais ao dia (o que pode ser bem caro para algumas famílias), de outro lado estima-se que mais de 13 milhões de toneladas de alimentos são jogados fora todos os anos.

Como a melhor forma de chamar atenção para algumas questões é através de uma boa ideia, e uma elaborada ação de marketing, a rede de supermercados francesa Intermarché criou a campanha “Inglorius Fruits and Vegetables” visando o combate ao desperdício de alimentos pelos fornecedores, e oferecendo aos clientes frutas e legumes que geralmente não seriam vendidos em seus balcões com preços 30% mais baratos.

Com vocês a Maçã Grotesca, a Batata Rídícula, a Laranja Horrível, o Limão Fracassado, a Berinjela Desfigurada e a Cenoura Feia.

Aqui no Brasil em 2012, tivemos uma campanha bem bacana realizada em um restaurante de de Porto Alegre, a ideia era mostrar na prática o impacto do desperdício dos alimentos no dia a dia.

escritopor2evandro

Contar Calorias Realmente Conta Alguma Coisa?

Hoje nós do BFP resolvemos falar sobre o assunto que costuma aterrorizar bastante as pessoas que se preocupam com alimentação: calorias dos alimentos! Inspirados pela nossa amiga e ex-companheira de blog, Marina Nogueira, nutricionista, e atualmente autora do blog Não Conto Calorias, resolvemos compartilhar da sua brilhante ideia de não contar calorias, e explicar para vocês afinal, o porquê as calorias não importam tanto assim.

Afinal, o Que são as Calorias?

contando calorias

Muito antes da nutrição e os alimentos apropriarem da palavra caloria, eram os físicos quem as utilizava.  As calorias dos alimentos (ou quilocalorias – kcal) nada mais são do que uma unidade de medida que expressam a quantidade de energia contida em cada grama de um alimento. Essa energia (ou calorias) funciona como uma moeda de troca, ou melhor, como “combustível” para que o nosso corpo exerça todo o seu funcionamento que permite que a temperatura corporal seja sempre mantida, que o coração bata, que o pulmão troque o oxigênio por gás carbônico, que seu cérebro produza os sonhos enquanto você dorme e assim mantenha toda essa complexa máquina biológica trabalhando de forma adequada.

Independentemente se no seu café da manhã você vai preparar um copo de suco de laranja e comer algumas torradas acompanhadas de ovo mexido, ou um iogurte grego 0% gordura as duas opções vão ter em comum às calorias.

Um detalhe que tem que ser considerado quando falamos sobre calorias, é sobre qual será a fonte responsável por oferecê-las. Não importa se vêm dos o alimento tem mais carboidratos (açúcares), menos proteínas ou zero de gorduras, o que importa mesmo é que independente de qual seja a fonte (ou macronutriente), você terá consumido algumas calorias.

Quanto Vale as Calorias?

Para cada grama de carboidrato ou proteína ingerida, você estará consumindo aproximadamente 4 kcal. Em contrapartida cada grama de gordura é capaz de gerar 9 kcal de energia no nosso corpo. No entanto reduzir ou eliminar totalmente o consumo de gorduras na nossa alimentação é um equivoco e deve ser evitado. As gorduras tem papeis importantes no nosso sistema fisiológico e são fundamentais para ajudar na absorção de algumas vitaminas e principalmente na produção de hormônios.

Quando você ficar em dúvida entre comer um pãozinho de sal com manteiga ou pão integral com queijo cottage simplesmente por conta das calorias, vale a pena considerar algumas situações: Qual o tamanho da sua fome? Seu colesterol está adequado? Sua taxa de triglicerídeos está dentro dos limites aceitáveis? Você está tendo problemas em reduzir o seu peso? Tem histórico de diabetes na família?

A diferença entre as calorias das duas situações acima será mínima, mas a fonte das calorias assim como os nutrientes associados serão bem diferentes. É a mesma situação dos refrigerantes e sucos. Em termos de calorias, alguns sucos podem ter calorias bem próximas ou até mais calorias do que um refrigerante. Por exemplo, um copo duplo de suco de laranja, (aproximadamente 240ml) tem o mesmo tanto de calorias do que um copo de refrigerante qualquer. O que vai diferenciar um do outro será o valor nutricional do tipo de bebida que você estará consumindo, ou seja, a diferença estará na qualidade das calorias. Um bom copo de suco natural de laranja (nada de suco de caixinha com gominhos) é capaz de oferecer a você calorias vindas de fonte de açúcar natural, uma boa dose de vitamina C que vai agir como antioxidante e fortalecer o sistema imunológico, e fibras. Em contrapartida, o refrigerante não vai fornecer nada além de doses absurdas de açúcar industrializado, xaropes, e um monte de conservantes químicos e compostos artificiais. De fato, o refrigerante irá te dar energia, mas será mesmo que é só disso que você precisa?

As Calorias e a Fome Oculta!

Pode parecer bem contraditório falar sobre fome quando falamos sobre calorias. Mas a fome oculta existe e é uma realidade de grande parte da população mundial. Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, a fome oculta afeta uma a cada quatro pessoas no mundo todo, não importando se você é adepta as receitas FIT e se tem um cardápio variado, a carência de algumas vitaminas e minerais pode ocorrer.

Embora muitas das vezes essas carências não se manifestem imediatamente, lentamente, dia após dias, pode trazer sintomas e doenças que poderiam ser prevenidas por alguns desses nutrientes que estão em falta no nosso corpo.

Com sintomas muitas vezes confusos a outras doenças, a fome oculta pode se manifestar muitas vezes de forma simples como apatia, fraqueza, sonolência, falta de apetite, alterações no comportamento, e principalmente dificuldades no ganho e perda de peso.

Por se tratar de um tipo de fome, pode acontecer de se julgar como uma situação que acontece somente com pessoas de baixa renda, pela dificuldade de informação e baixo acesso aos alimentos de alto valor nutricional, mas a realidade é há fortes indícios de que essa situação ocorra em todas as classes sociais.

Então, aumento as calorias, divido por dois, ou reduzo tudo a zero?

app

Nada disso! Não se trata apenas de aumentar ou diminuir calorias.  Cada pessoa tem uma necessidade específica de quantidades de calorias para executar toda a rotina do dia. Sugere-se que uma dieta saudável de aproximadamente 2000 kcal tenha em média 55% de carboidratos (1100 kcal), 15% de proteínas (300 kcal) e no máximo 30% (600 kcal) de gorduras, mas não é tão simples assim. Cada pessoa tem necessidades que são particulares a ela, ainda mais quando resolvemos considerar a idade, o nível de atividade física, o trabalho diário, a quantidade de gordura e musculo no corpo…não tem como sair generalizando.

Quer uma dica? Procure um bom profissional da nutrição e deixe que ele esclareça todas suas dúvidas. Alimentação e dieta nunca foram para restringir e eliminar o prazer de comer. Quer comer uma pizza de frango com catupiry? Coma! Quer comer um hambúrguer com cheddar? Coma também! E uma feijoada com couve e laranja no almoço de domingo com sua família? Coma sem problemas. Ao invés de ficar preocupado com as calorias, coma com prazer e compartilhe casos, histórias e a refeição, porque afinal, o que conta mesmo, é o que se faz de bom e se tem prazer pro nossos corpo e coração.

escritopor2evandro

Água: o remédio do tempo seco

garfiel 2

A temperatura e umidade não andam ajudando muito nos últimos dias, não é? Você acorda e está frio pela manhã, e no decorrer do dia a temperatura vai esquentando, mas a noite volta a esfriar novamente. A única constante nisso tudo é a umidade sempre baixa.  A consequência de toda essa mudança climática acaba afetando nosso corpo. É um resfriado, coriza, dor no corpo, sinusite, rinite alérgica e por ai vai. Quer uma solução bem simples para manter todos esse mal estar bem longe? Beba bastante água!

Eu sei que essa vai ficar parecendo mais uma recomendação de vó, Mas uma das maneiras mais eficazes de afastar todo esse desconforto e manter a gripe e o resfriado longe, é bebendo água…bastante água!

Mas vamos lá. Será que aquela água que ficou na sua garrafinha ou squezze durante o dia todo em cima da mesa do escritório ou na mochila da academia está legal pra você beber?

Se considerarmos que a cada gole que você da na sua garrafa, uma parte do seus microrganismos naturais que estão nos lábios e boca ficam no bocal da sua garrafa, é bom prestar atenção. A temperatura nos locais de trabalho e a claridade que incidem sobre sua garrafa deixam ela perfeita para que em poucas horas ou minutos, uma simples bactéria tenha uma família inteira até a quinta geração. Procure lavar diariamente sua garrafinha e troque a água de tempos em tempos, não de um dia pro outro.

Agora, se você é daqueles que tem sempre uma garrafa plástica esquecida no carro, cuidado! Isso pode ser pior ainda. Quando as garrafas plásticas ficam expostas diretamente ao sol, ou se aquecem indiretamente, pode acontecer que haja a liberação de uma substância química chamada de bisphenol-A, ou BPA, (substância considerada cancerígena), e outros produtos químicos em sua água.

Quer um estimulo extra para manter-se hidratado? As águas aromatizadas (naturalmente), chás e sucos naturais ajudam a manter-se bem hidratado o tempo todo. Experimente!

escritopor2evandro

Os 10 mandamentos (passos) para uma alimentação saudável, segundo o Guia Alimentar para a População Brasileira

Nós já falamos anteriormente aqui no blog sobre o Guia Alimentar Para a População Brasileira elaborado pelo o Ministério da Saúde. Naquela ocasião ainda não havia sido divulgado a versão de 2014.

A idéia principal do Guia Alimentar, é apresentar um conjunto de informações, sobre a escolha, preparo e consumo de alimentos que realmente promovam a saúde de população, hoje, amanhã, e nos anos seguintes, sem qualquer tipo de demonização dos alimentos que são consumidos tradicionalmente por nós.

De forma resumida, o guia apresenta os “Dez passos para uma Alimentação Saudável”, o que nós do BFP?, consideramos ser a melhor forma de uma boa educação alimentar e garantia de qualidade nutricional. Confira ai.

batata1

1. Fazer de alimentos a base da alimentação: Isso mesmo, alimentação é feita com alimentos. Nada de dar atenção a produtos derivados ou feitos com alimentos. Isso inclui grãos, tubérculos, vegetais, verduras, legumes, leites, ovos e carnes. Você vai continuar seguir a dieta da moda? #comgluten #comlactose #comfrutose #comtudoquevocetemdireito

 batata2

2. Usar óleos, gorduras, sal e açúcar com moderação: Mas óleo não faz mal? Gordura não entope as artérias? Sal não deixa hipertenso? Açúcar não causa diabetes? Sim, tudo isso pode acontecer se, e unicamente se, nós não soubermos usar com moderação. Afinal, vai dizer que você não gosta do bom e velho bife á milanesa, do sorvete de creme no verão, de doce de leite, goiabada cascão, queijo canastra…

batata3

3. Limitar o uso de produtos prontos para consumo: Uma das graças realizadas pela a revolução industrial, foi a invenção dos produtos prontos para o consumo. Desde a revolução, as pessoas começaram a trabalhar fora, e passar menos tempo em casa, resultado: não sobrava tempo para cuidar dos filhos, cuidar da casa, lavar roupa e fazer comida. No entanto esses produtos foram sobrecarregados de conservantes, aromatizantes, e tantos outros “antes”, que acabaram se tornando um dos vilões da modernidade. Embora, há quem diga que os alimentos prontos para consumo, são mais saudáveis que os feitos em casa (bem curioso e interessante, isso aqui).

4. Comer com regularidade e com atenção e em ambientes apropriados: Parece bem bobo isso aqui, né? Mas veja bem, você já parou pra pensar se quando você almoça assistindo televisão, você realmente sente o sabor, textura e aroma dos alimentos? Quando realizamos duas ações que exigem um esforço maior do nosso cérebro, uma delas irá ficar comprometida. E é isso que acontece quando tentamos comer e prestar atenção na televisão ou qualquer outar atividade que nos tire do foco. Resultado disso, você come mais, bem mais.

batata5

5. Comer em companhia: Se a santa ceia foi feita com os 12 apóstolos, vai me dizer que prefere comer no escritório? Nada disso! O ato de alimentar envolve a refeição, sentar á mesa igual fomos acostumados a fazer com as nossas família, seja durante semana, ou no almoço de domingo da casa da vó. Se você é daqueles que leva o “frango com batata doce” para o trabalho, não fique intimidado, compartilhe com os seus colegas de trabalho e incentive os hábitos saudáveis.batata6

6. Fazer compras de alimentos em locais que ofertem variedades de alimentos frescos e evitar aqueles que só vendem produtos prontos para o consumo:Que coisa óbvia, não? Não! Algumas pessoas, principalmente aquelas que moram sozinhas, fazem da padaria seus supermercados. O ideal é que você elabore uma lista de compras que permita que você vá ao supermercado ou feira-livre 1x por semana. Além de evitar o desperdício, você aproveita alimentos sempre frescos, da safra e ainda ajuda a estimular a produção local.

batata7

7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias: Seja preparando a sua salada e carne no final do dia, ou fazendo aquele bolo de cenoura com chocolate. Estar familiarizado com a cozinha é uma das principais formas de buscar alternativas saudáveis e tomar consciência da utilização dos ingredientes no preparo dos alimentos (sem qualquer tipo de conservantes ou aromatizante).

batata8

8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece: Hoje é sexta-feira e você já não tem nada na despensa? As vezes está faltando um planejamento de compras para evitar ficar sem alimentos em casa. Organize-se para elaborar uma rotina e definir o cardápio da semana. Assim, você evita ficar sem comida em casa, e tendo que ir no fast-food ou pedindo aquela pizza de frango catupiry preferida.

batata9

9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora e evitar redes de fast-food: Concordo que as vezes só os “benditos” fast-food  para salvar da fome quando voltamos tarde para casa, mas não vamos fazer disso um hábito. Procurar restaurantes ou lanchonetes que realizem o preparo dos alimentos na hora e com preço justo garantem a qualidade nutricional dos alimentos sem qualquer tipo de “antes”.

batata10

10. Ser crítico quanto a informação, orientações e mensagens sobre alimentação veicularas em propagandas e comerciai: Todo marketing e publicidade bem feito gera lucro para alguém. A dieta da moda, ou o alimento preferido das famosas, nem sempre são realmente tão eficazes ou gostosos quanto dizem. Tenha consciência de que matérias sobre dieta, receitas light, diet ou fit, e alimentos milagrosos, só beneficiam alguém, ou uma pessoa. E te garanto uma coisa, essa pessoa não é você.

escritopor2evandro

 

Resultado Sorteio Medalhão de Ricota – Pranic Gourmet

Conforme anunciamos no início da semana, hoje é o dia de sortear o seguidor que irá degustar essa deliciosa receita da PRANIC Gourmet.

sorteio_batata_1

Parabéns, mayaralupatini, você foi a felizarda que irá degustar essa deliciosa receita da PRANIC Gourmet.

Fiquem atentos ao próximo sorteio.

Até a próxima pessoal.

Batata Pringles Caseira (Receita Ana Maria Brogui)

Batata Frita, Pode? Pode! E no embalo do final de semana que chega, decidimos publicar uma receita do canal do Youtube Ana Maria Brogui, que com certeza vai matar a curiosidade de muita gente.

Tá pra existir qualquer batata frita tão querida e desejada como as Pringles. Sim, esse tradicional salgadinho vendido em tubos e com diversos sabores á mais de 40 anos no mercado, esteve envolvido em uma grande batalha judicial nos últimos 5 anos com a justiça inglesa, o motivo: o fabricante das batatas Pringles afirmava que o seu produto não seria feitas de batata em sua totalidade (provavelmente sua mãe já sabia disso quando você pediu pra ela fazer igual, e não conseguiu), o que permitia que eles não pagassem o imposto sobre o valor agregado (VAI). Embora as batatas Pringles possuam em sua composição somente 42% de batatas (o resto dos ingredientes se resume a trigo, farinha de milho, gorduras e realçadores de sabor) a justiça inglesa entendeu que a quantidade de batata seria o suficiente para definir se o produto fosse ou não feito de batata.

Ingredientes:

  • 1 xícara de água morna
  • 1 xícara de farinha de arroz (não pode ser outra)
  • 1 xícara de purê de batatas instantâneo
  • 1/4 colher de chá de sal
  • 1/4 de colher de chá de fermento químico (pouco mesmo)
  • 1 colher de sopa de amido de milho
  • Óleo de côco ou de amendoim para fritar

Modo de Preparo:

  • Assista o Vídeo abaixo:

Essas e outras receitas, vocês podem achar no próprio canal no youtube, ou no Livro Ana Maria Brogui Nome: Livro Ana Maria Brogui Páginas: 101 Páginas Valor: R$ 29,90 Onde Comprar: http://www.hmmm.com.br ou clique aqui escritopor2evandro

Vai um cafezinho aí?

Se você é daqueles que precisa de uma boa xícara de café para começar o dia, esse post pode interessar bastante pra você.

No início do mês de junho, um estudo publicado pelo International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism,  concluiu que atletas treinados que ingerem cafeína antes dos exercícios, gastam em média 15% mais calorias nas 3 horas seguintes após o exercício em comparação com aqueles que ingeriram alguma substância placebo. Apesar do conhecido efeito do café como substância termogênica, seus benefícios não param por aí.

Melhora da Circulação:

Um recente estudo japonês estudou os efeitos do café sobre a circulação sanguínea em pessoas que não bebiam café com tanta frequência. Cada participante tomou aproximadamente 150 ml de café tradicional ou descafeinado. Aqueles que beberam o café em sua versão tradicional tiveram uma melhora de 30% na circulação sanguínea durante um período de 75 minutos quando comparado com os participantes que tomaram a versão descafeinada.

Menos Dores:

Cientistas da Universidade de Illinois comprovaram que a ingestão de 2 a 3 xícaras de café 1 hora antes de 30 minutos de exercício em alta intensidade seria capaz de reduzir as dores musculares. A conclusão: a cafeína pode ajudar você a treinar um pouco mais forte nos exercícios de força resultando na melhora de ganho de força ou resistência.

Uma Memória Melhor:

 A Universidade Johns Hopkins publicou esse ano uma pesquisa onde demonstra que a memória pode ser consideravelmente melhorada após 24 horas de se ter ingerido café. Os pesquisadores ofereceram a pessoas que não consumiam café regularmente, uma substância placebo ou 200mg de cafeína 5 minutos depois de terem vistos várias imagens diferentes. No dia seguinte, todos os participantes foram perguntados sobre as imagens e aqueles que tomaram a cafeína obtiveram um resultado significativamente melhor. Esse seria um dos possíveis efeitos positivos que poderiam auxiliar durante a prática da sua a atividade física ajudando a lembrar a rotina específica ou recordar os exercícios.

Preservação Muscular:

Em um estudo animal, cientistas da área esportiva da Conventry University comprovaram que o café seria capaz de ajudar a combater a perda de força muscular que ocorre durante o envelhecimento.  O efeito protetor do café foi observado na musculatura do diafragma, tanto na musculatura primária, utilizada para respiração, bem como sobre o músculo esquelético. Os resultados demonstraram que o uso moderado da cafeína, pode ajudar a preservar o condicionamento físico e reduzir as possíveis lesões relacionadas com a idade.

Mais Combustível para o Músculo:

Recentemente o Journal of Applied Physiology publicou uma pesquisa em que o consumo de um pouco de cafeína após o exercício pode ser benéfico, principalmente para atletas que realizam treinos aeróbicos de longa duração, todos os dias. A pesquisa verificou que a ingestão de carboidrato juntamente com cafeína, seria capaz de promover um aumento de glicogênio muscular 66% maior após 4 horas depois de exercício com depleção significativa de glicogênio muscular.

Apesar de todos os efeitos acima parecerem positivos, não se esqueça que cada pessoa reage de uma forma específica a cada componente ou dosagem. Ficou interessado nessas informações? Converse com o seu nutricionista sobre a possibilidade de inclui-lo durante o seu dia.

Nós do BFP? não recomendamos que qualquer pessoa inicie por conta própria o uso de substâncias que possam promover melhora de rendimento ou que possua possíveis efeitos positivos na sua saúde.

escritopor2evandro

Depois de culpar o açúcar, será que a gordura enfim pode?

Uma das principais vantagens dos tempos atuais é a velocidade em que a informação é transmitida e como essa mesma informação é capaz de estar certa em um minuto, e totalmente errada em outro.

Acaba de ser lançado nos EUA um livro bem polêmico (no mínimo) para boa parte nutricionistas, nutrólogos e simpatizantes da comida saudável. Escrito pela jornalista Nina Teicholz, o livro “The Big Fat Surprise: Why Butter, Meat and Cheese Belong in a Healthy Diet.”, vai bagunçar boa parte das recomendações nutricionais (convencionais) que conhecemos sobre o consumo de gorduras saturadas.

Livro: The Big Fat Surprise
Livro: The Big Fat Surprise

A proposta de Nina é bastante interessante e a discussão sobre o assunto não se limita a apenas um debate de nutricionistas. Nina vai além e investiga centenas de artigos científicos e aponta (juntamente com outros pesquisadores) as possíveis falhas metodológicas realizadas durantes as pesquisas para descobrir o porquê, afinal, criminalizaram o uso das gorduras e como isso modificou a forma que as indústrias de alimentos trabalham, o que as pessoas comem e o tempo que elas vivem.

O uso das gorduras na nossa dieta sempre foi relacionado aos possíveis danos que poderiam causar na nossa saúde, principalmente aqueles ligados as doenças cardíacas, principal causa de morte em vários países do mundo.  De acordo com o American Heart Association (AHA) principal órgão mundial responsável estudar e publicar as diretrizes médicas sobre o assunto, se comermos comidas com grandes quantidades de gorduras saturadas, possivelmente aumentaríamos o nível de colesterol no nosso sangue, e elevaríamos em grandes chances o risco de termos infartos ou qualquer outra doença do coração.

Sobre o Livro (disponível somente em inglês)
Título:The Big Fat Secret – Why Butter, Meat and Chesse, belong in a healthy diet 
Autor: Nina Teicholz
Editora: Simon & Schuster
Páginas: 479 páginas
Preço: $ 18,88
Disponível em: amazon.com 

escritopor2evandro

Sim, nós cozinhamos!!!

Vocês já pararam pra pensar que o fato de nós termos aprendido a manipular o fogo com os nossos ancestrais, a milhões de anos atrás, foi o primeiro passo para desenvolvermos nossas capacidades mentais?

E se essa invenção estivesse uma relação ainda maior? Mais necessariamente com a capacidade de termos aprendido a cozinhar os alimentos, e assim oferecer mais calorias para o nosso nosso cérebro?

A neurocientista  brasileira Suzana Herculano publicou entre os anos de 2012 e 2013 um artigo onde explica o porque os alimentos crus, sem qualquer processo de cozimento, não seriam o suficiente para oferecer energia para o nosso cérebro.

Em tempos onde qualquer caloria extra pode ser considerada um pecado capital, a apresentação da Suzana Herculano realizada no TED ano passado, explica o porquê o fato de termos aprendido a cozinhar os alimentos foi algo tão importante para chegarmos aonde chegamos.

escritopor2evandro

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: