Polêmica: Devem os restaurantes serem proibidos de colocarem os saleiros nas mesas?

A votação de uma lei, proposta à Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte, tem causado polêmica. Teria a Prefeitura o direito de proibir os restaurantes de colocarem os saleiros em suas mesas? Precisamos antes de mais nada fazer algumas considerações:

A ingestão excessiva de sódio está associada com aumento da pressão arterial (PA) e efeitos adversos no sistema cardiovascular. Além disto, o consumo excessivo de sódio tem também sido associado, diretamente, com aumento da prevalência de doenças coronarianas, acidentes vasculares cerebrais e outras doenças não cardiológicas e com aumento da mortalidade (Veja quadro abaixo).

salt

Mortes relacionadas ao excesso de consumo de sal por Milhão de habitantes

(The New England Journal of Medicine)

O consumo de sódio varia largamente ao redor do mundo e também no Brasil, em diferentes regiões e populações.  No Brasil, segundo diferentes estimativas, este consumo varia de 3,0 até 6,1 g/dia (175 a 357 mmol de sódio por dia), dependendo da população estudada, sendo maior no Centro-Oeste e no Sul e menor no Sudeste. O consumo de sódio pela população brasileira excede em duas vezes os limites recomendados (2,0 g/dia de cloreto de sódio ou 85 mmol de sódio por dia). As principal fontes de consumo são o sal de adição (e os condimentos a base de sal) e os  alimentos processados, cujo consumo usualmente aumenta com a renda da população.

Apenas como curiosidade, a ingestão de sódio pelos índios Yanomami, uma das menores do mundo, é de 0,8 mmol/dia (46,8 mg/dia de cloreto de sódio) em homens e 1 mmol/dia (58,5 mg/dia de cloreto de sódio) em mulheres e o consumo dos índios do Xingu, também um dos menores do mundo, está em torno de 855 mg de cloreto de sódio por dia (50 mmol de sódio/dia).

De um modo geral a população desconhece os riscos do consumo excessivo de sal e geralmente não se dá conta de que uma grande parte deste consumo esteja escondida nas comidas industrialmente processadas. Intervenções feitas através de campanhas de saúde pública no Japão, Bélgica, Finlândia, Grã Bretanha,  e pela diminuição da adição de sal em alguns alimentos como o pão, surtiram bom  efeito, havendo diminuição do consumo médio de sal nestas populações. Existe uma preocupação extra com o consumo de sal por crianças e adolescentes.

Segundo dados da Europa e EUA, 75% do consumo de sódio vem de comidas processadas ou preparadas em restaurantes, 10-12% ocorre naturalmente nos alimentos e uma proporção similar vem do uso doméstico do sal em casa ou nas mesas de restaurantes. Já no Japão e na China a maior parte do consumo vem do  sal adicionado durante o preparo de alimentos e molhos  como o Shoyu.

Assim, acredito que o consumo de sal, em boa parte do Brasil siga o padrão europeu e americano, com o sal de adição não sendo a principal fonte, mas sendo significativo.

A simples exclusão dos saleiros das mesas dos restaurantes estaria longe de resolver o problema, mas poderia representar um primeiro e emblemático  passo para um programa que realmente estimulasse a diminuição do consumo de sal. Para isto seriam necessárias campanhas para instruir a população para os riscos do consumo excessivo, em que se mostrasse as fontes deste consumo, com ênfase no risco do consumo de alimentos processados e um estímulo para que restaurantes, indústrias e padarias usassem menos sal no preparo de seus alimentos.

 

LEITURA ADICIONAL:

  1.  Claro RM. Estimativa do consumo de sódio da população brasileira . Acessado em http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/10ee87804d1cffa7a290f64031a95fac/01-+Padr%C3%A3o+de+consumo+de+s%C3%B3dio+na+popula%C3%A7%C3%A3o+brasileira.pdf?MOD=AJPERES. Dia 25/11/2015
  2.  Brown IJ, Tzoulaki I, Candeias V e Elliott P. Salt intake around the world: implications for public health. Intern J Epidem 2009:791-813
  3.   WHO/FAO. Diet,nutrition and the prevention of chronic diseases. Report of a joint WHO/FAO expert consultation. Technical Report series 916; 2003 Geneva
  4. Mozaffarian D, Fahim S, Singh GM et al. Global Sodium Consumption and Death from Cardiovascular Causes. N Engl J Med 2014; 371:624-634
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s