Não gosto disso, não como aquilo…

imagesNão como isso, não gosto daquilo, odeio brócolis, não como verduras não gosto de alface… se o seu discurso é sempre o mesmo quando relacionado á alimentação e nutrição, isso significa que você pode ter o paladar infantil que hoje já é considerado um distúrbio por cientistas do mundo inteiro.

Um adulto considerado “picky eater” é aquele que escolhe demais os alimentos antes de comer, como se fosse uma alimentação seletiva. Porém essa alimentação seletiva não é baseada em contagem de calorias ou gramas de gordura como vemos comumente nas redes sociais de pessoas neuróticas em busca do “corpo perfeito”.  Os “picky eaters” comem somente alimentos que  eles gostam como massas, pães, sorvetes e queijos.

57302337_XSA alimentação dessas pessoas pode ser tão limitada que pode até interferir em seus relacionamentos (social e profissional), mas não se sabe ao certo o que impulsiona tal comportamento. O problema é que o distúrbio pode afetar toda a família e levar a problemas mais sérios como a desnutrição. Um adulto que gosta somente de comida que crianças gostam influenciam diretamente os filhos e por aí vai… Além disso, uma alimentação pobre em vitaminas, minerais, fibras e rica em gorduras e açúcares contribui para o desenvolvimento da obesidade e de doenças cardiovasculares.

Uma pesquisa realizada na Universidade de Toronto, no Canadá constatou que há casos extremos de adultos que comem somente um tipo de textura ou cor como branca ou amarela, em um sinal de transtorno obsessivo compulsivo. Também são comuns o casos de indivíduos que não comem nada da cor verde, nem alface, nem pepino, nem brócolis.

Enquanto que para a maioria das pessoas experimentar pratos novos é uma experiência gastronômica, para os “picky eaters” há um temor de que a experiência seja algo intolerável.

Os comedores “chatos” (assim denominados pela universidade de Duke, nos EUA) geralmente se alimentam de batatas fritas, sorvetes, achocolatados e refrigerantes, mas cada um a sua maneira, uns gostam de sorvete de baunilha, outros apenas de chocolate, outros preferem misturado.

“Picky eaters”, “chatos” ou com “paladar infantil”, não importa a denominação. O que importa é realmente ver se existe um problema (não vale só falar que não gosta pra comer porcaria) e iniciar um tratamento com ajuda psicológica para que novos sabores sejam introduzidos na alimentação.

images (1)

O tratamento geralmente envolve a família inteira pois com certeza um adulto que só come alimentos gordurosos e pobres nutricionalmente, não foi apresentado a outros tipos de alimentos quando era uma criança. Quando eu digo “apresentado”, estou me referindo aquela insistência dos pais em introduzir alimentos como frutas e verduras na alimentação da criança. Claro que muitos tipos de alimentos sofrem rejeição no início, mas todos devem ser ofertados várias e várias vezes para que o paladar da criança se acostume com texturas mais naturais e não vire um adulto “chato” e com carência nutricional.

escritopor2gabriela

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s