Uma nova modalidade – assustadora – de shakes alimentares: Soylent

Quando achamos que a indústria alimentícia está caminhando para o desenvolvimento de produtos e de uma alimentação mais, digamos, natural, ela vem e nos prega mais uma peça. Quando um amigo me enviou um link para visualizar um produto que chama Soylent, eu já podia imaginar que tinha algo estranho ai. Nada relacionado com a qualidade das escolhas do meu amigo, longe disto, mas sim com o fato de alguém querer a opinião de uma nutricionista sobre um produto novo (porque quando o saudável é óbvio, ninguém precisa perguntar). Mas, curiosa como sou, fui atrás das informações sobre o novo produto.

soylent

O Soylent é, de acordo com as informações fornecidas por seu criador (que é um engenheiro de software chamado Rob Rhinehart), um composto nutritivo feito somente dos macro e micronutrentes que você precisa ingerir diariamente. A proposta do criador era substituir a comida (e a falta de tempo e de dinheiro) por algo que fosse rápido, prático e saudável afinal, de acordo com ele, em alguns momentos nós só precisamos nos nutrir. Aqui já eu deixo a minha primeira pergunta para refletirmos sobre consumo do Soylent: desde quando engenheiros de software entendem de nutrição? É muito fácil falar de nutrientes e quantidades que devem ser consumidas diariamente, mas e o resto? E a mastigação? A digestão? O prazer? Isso tudo faz parte de uma alimentação saudável, mas vamos discutir isto mais tarde.

Rob Rhinehart tem um blog, e em um de seus posts ele discute exatamente o porquê de ter decidido parar de comer comida e começar a viver somente de suplementação. Entre reflexões sobre a obesidade e a nossa dependência com o mercado alimentício atual, Rob chega a uma hipótese que ele resolveu testar: e se pudéssemos viver somente dos nutrientes dos alimentos (que é o que ele entende que realmente precisamos)? Depois de uma longa explicação e da elaboração de praticamente um estudo de caso sobre sua experiência de 30 dias comendo somente nutrientes, Rob explica a teoria do Soylent, e diz que está vivendo muito melhor assim.

soylent_2

Fui na página do Soylent para entender a composição deste novo alimento. Posso afirmar que ele pouco me surpreendeu, lembrando muito os conceitos utilizados nos tradicionais shakes dietéticos como, por exemplo, o Herbalife, porém com duas características pouco atrativas: sua cor (que por ser uma mistura de nutrientes não passa de um pó marrom claro) e seu sabor (que eu não consegui identificar se ele trabalhou com algum aromatizante para facilitar o consumo). De acordo com as informações fornecidas pelo site do Soylent este composto alimentar é capaz de fornecer altas concentrações de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Fiz as contas e pude perceber que uma porção do Soylent é capaz de oferecer 2094kcal, mas não entendi se elas devem ser consumidas todas de uma vez ou se o indivíduo deve fracionar o seu consumo. O site ainda é confuso e divulga poucas informações para o possível cliente, o que me faz ficar ainda mais insegura em relação a sua integridade nutricional.

Mas, como vocês sabem, o meu propósito aqui não é discutir as propriedades nutricionais do Soylent, ou nem mesmo explicar para vocês como ele pode ser introduzido em uma dieta saudável. Não. O que quero discutir aqui é um assunto que frequentemente chamamos a atenção no blog: o descaso com a outra função da alimentação. Não nos alimentamos só para nos nutrir. Se esta fosse a única consequência do nosso hábito de comer, nós facilmente nos adaptariamos a rações ou rotinas alimentares restritas e sem graça. Existe um motivo pelo qual sua barriga ronca quando você sente um cheio de um prato que você gosta, ou para você optar por comer a comida da sua avó do que almoçar no shopping: este motivo é o bem estar.

Eu sou destas pessoas que acreditam que comemos porque isto faz bem para a nossa cabeça. É um dos momentos de alegria diante de rotinas massantes, estressantes e pouco motivacionais. Além disto é em uma mesa de almoço ou de jantar que dividimos boa parte dos nossos momentos em família ou com amigos. Por isto é tão importante achar o equilíbrio entre o que comer e como comer. Produtos como o Soylent ou o Herbalife vão lhe manter nutridos, mas eles vão realmente lhe ensinar a viver melhor? Eles vão lhe permitir sentir o prazer de apreciar um prato bem feito? Eles serão servidos em uma reunião entre familiares ou amigos? Se todas as suas respostas para estas perguntas são “não”, então você entende o que eu estou falando.

A solução para os nossos problemas com a alimentação não depende de uma fórmula mágica: ela depende só da nossa força de vontade. Precisamos compreender e respeitar a nossa relação com a comida, já que só assim nosso organismo vai conseguir nos respeitar. O resto é consequência. O primeiro passo para desenvolver esta relação de respeito é passar longe de mais um produto que promete milagres nutricionais, e por este motivo eu acredito que o consumo de Soylent não merece nem ser discutido neste texto.

Sempre que algum produto ou alimento parecer milagroso demais para você, desconfie! E não se esqueça que o corpo ideal e a saúde em dia só são garantidos comendo comida de verdade! Na dúvida SEMPRE consulte um nutricionista!

escritopor2marina

Anúncios

9 respostas em “Uma nova modalidade – assustadora – de shakes alimentares: Soylent

  1. Trabalho na mesma area do criador do produto, tem dias que realmente comemos só para nãoficar de barriga vazia, a vida do pessoal de TI é extressante, desgastante e geralmente dinâmica aoponto de não conseguirmos manter uma rotina para se alimentar, é muito comum termos que trabalhas até umas 14 horas por dia, comer algo com uma mão enquanto resolve um problema com a outra. Sou totalmente contra, acredite, gostaria de todo dia poder parar extamente as 12, escolher tranquilamente um bom local para o almoço e desfrutar de uma hora completa, primeiro que a grande maioria dos programadores não gosta de gastar muito com comida, e como já disse a maioria acaba mesmo partindo para o barato e cômodo.

    Nisso que vem a conclusão do rapaz, se só para parar em pé, então que seja nutritivo e barato, já é melhor que comer um lanche nada nutritivo e nem tão barato.

  2. Nossa… o.O
    Ousaram pegar o nome de um alimento de ficção científica Soylent Green – que era feito de sangue humano – pra fazer uma coisa escrota dessa?
    Li esse livro há alguns anos “Make a Room! Make a Room!” e fiquei impressionada com um mundo lotado e fiquei imaginando: como seria se realmente só houvesse isso pra comer? Que coisa horrível gente, tem indústria que é inacreditável mesmo…

    Qual o problema das pessoas gente? O que leva alguém a trocar comida boa por um treco desse?
    Fala sério!

  3. Dando uma de advogado do diabo e pensando um pouco no meu trabalho atual: se esse produto é barato ele pode ser uma excelente solução pra emergências em situação de insegurança alimentar e nutricional. O que a Cruz Vermelha, FAO e WFP oferecem atualmente é uma pasta com um gosto horrível, mas super, super cara. Duvido que essa foi a intenção do cara, mas como uma solução pós-tsunami, ou em tragédias como as que estamos vendo na Síria, República Centro-Africana, onde é dificil chegar gente, chegar comida e ainda falta muito pra terra plantar alguma coisa, pode ser um bom caminho.

    • Claro! Para estas situações eu concordo plenamente! Mas o problema aqui não é somente o uso do suplemento para deixar de ter que comer, mas também porque quem desenvolveu ele não foi uma pessoa da área! O que esse rapaz sabe de combinação de nutrientes e necessidades nuticionais sabe? Individuos em situações como estas que a Cruz Vermelha atendem precisam de um suplemento que tenha respaldo cientifico de uso, senão eles podem até piorar o quadro, já que dependendo do nível da desnutrição eles tem até dificuldades de absorção! Mas vale a reflexão para estes fins Kel!

  4. Me sinto muito bem ao ler seus posts, Marina!
    Sinto que tem gente séria na nossa profissão (nutricionista) e que vale a pena acreditar na verdadeira ciência dos alimentos ao invés de modismos.
    Parabéns!!!

  5. Parabéns pelo post e obrigado por considerar minha indicação!
    Concordo com tudo e, ao que parece, é impossível consumir as 2000 kcal de uma vez, é para ir tomando aos poucos ao longo do dia.
    Outras dúvidas que tive:
    Além de todas as questões, substituir sólidos por esses shakes prejudicariam a dentição ou alguma outra parte do sistema digestivo? Qual a origem desses nutrientes? Soja?
    Por último, você esqueceu de mencionar que a escolha do nome do produto foi no minimo inusitada: Em um filme de ficção científica de 1973 (http://www.imdb.com/title/tt0070723/), Soylent Green é o único alimento disponível para a população e é feito de seres humanos.

    • Ei Winter! Realmente eu deixei passar esta referência sobre o nome! Interessante! haha!

      Então a falta do alimento sólido prejudica sim o organismo. A mastigação é um dos movimentos que fortalece a musculatura do rosto, permitindo inclusive que você consiga falar normalmente. Consumir só líquidos pode estimular pouco a região, levando a atrofia em casos muito graves. Na digestão o problema é com o funcionamento intestinal. Alimentos sólidos formam o bolo fecal (e geralmente tem um pouco de fibra) que ajudam no trânsito intestinal para a evacuação. Dietas líquidas geralmente são relacionadas com longos e desconfortáveis períodos de constipação!

      Eu também fiquei curiosa de onde ele conseguiu tirar todos estes nutrientes (e confesso que tive pouca paciência para ler todo o estudo dele), mas só pode ter sido de uma grande mistura de alimentos, porque ele tem de tudo ali naquele pó que ele criou (ou ao menos ele diz que tem). Vamos averiguar!

      Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s