Oi, você é nutricionista?

Se você é formado em nutrição, com certeza arrepia quando escuta a pergunta que dá título a este texto. Sim, nós nutricionistas as vezes temos medo de falar que somos nutricionistas pelo simples motivo de não querer escutar os questionamentos que vem a seguir: “Tô precisando tanto de uma dietinha, me ajuda?”, “Quantas calorias tem um prato de macarrão?”, “Nossa, você deve ficar avaliando o que a gente come no almoço né?”. Não, não e não.

Formar-se nutricionista é carregar, para o resto da vida, o fardo de ser visto como uma calculadora biológica ambulante. Já perdi as contas de quantas vezes na vida me perguntaram qual era o valor calórico de um alimento, ou se era melhor cortar o suco de laranja do café da manhã. Tudo bem, as perguntas que chegam até ai não são um problema, faz parte do dever de ser formado em nutrição (apesar da gente não saber de cor os valores calóricos de todos os alimentos do supermercado, da mesma maneira que um químico não sabe todas as informações da tabela períodica e os advogados não sabem citar todas as leis). O problema esbarra no pedido, muitas vezes ingênuo, que vem a seguir: “Faz uma dieta pra mim?”. Amigo, se você não é nutricionista, mas tem um conhecido que trabalha nesta área, preste muita atenção no que vou lhe dizer agora: montar uma dieta não é tão simples o quanto parece.

diario_de_um_nutri

Fonte: Diário de um Nutricionista

Resolvi escrever este texto-desabafo há poucos dias, quando ouvi, num intervalo de uma única semana, cerca de seis pedidos para montar dietas. “Isto é ótimo”, vocês diriam. Concordo, seria ótimo se estes pedidos não fossem para “dar uma ajudinha gratuita” a um colega que quer perder peso, afinal, “não custa nada né”? Custa. Custa muito, e vou lhe contar porque. Da mesma maneira que você se formou engenheiro, médico, biólogo, artista, advogado, publicitário ou qualquer outra coisa, o nutricionista também estudou para chegar ao título de bacharel na área. São pelo menos quatro anos de curso, com mais alguns anos de pós graduação, mestrado e até doutorado para quem seguiu carreira acadêmica. Por mais que eles possam ter sido realizados em universidades públicas, este tempo custou dinheiro, investimento em livros, em horas de estudo e em estágios, muitas vezes voluntários, nas múltiplas áreas de nutrição clínica e produção. Quando nos formamos, e seguimos a carreira clínica, o nosso trabalho é sim fazer dietas. E dá trabalho ouvir todas as queixas do paciente, entender todas as suas restrições alimentares, calcular sua necessidade nutricional e descobrir o valor calórico das suas refeições diárias. Não se esqueça que, além disto, temos que montar um cardápio que se adeque a seu hábito de vida, seus horários e que tenha uma enorme lista de substituição de alimentos, para que você não canse de sua rotina alimentar. Não, não é só puxar uma fórmula mágica que se encontra na gaveta do seu consultório. Você com certeza não trabalha de graça (ou se trabalha, não gosta disso). Pois é, nós também não. E montar a sua dieta não vai nos tomar somente a uma hora de duração da sua consulta. Dependendo da complexidade do caso ela pode tomar noites e mais noites da nossa rotina em casa.

Mas não quero dizer, através deste texto, que não fazemos alguns serviços de graça. É claro que acabamos caindo nesta tentação logo que formamos, para ajudar um familiar ou um amigo próximo, ou até mesmo para nos auto-promover,, e nos disponibilizamos para fazer algo muito legal. E logo quando você dá a primeira orientação, para que a pessoa monte um recordatório alimentar de três dias, para que você entenda onde é possível melhorar a alimentação, é possível ouvir a primeira restrição: “Ah, mas eu não sei”, ou a famosa “ah, você não precisa disso né? É só uma dietinha”. Realmente, é só uma dietinha. E é por este motivo que nós, nutricionistas formados, pós graduados, mestres e doutores estamos aceitando ganhar mixaria para trabalhar em hospitais ou clínicas, ou não conseguimos cobrar mais de R$100,00 em uma consulta sem ser chamados de mercenários: porque não é dado o devido valor ao trabalho que é reeducar a alimentação de alguém.

nutri

Fonte: Indiretas do Bem

Nunca me esqueço da frase que uma vez ouvi de uma professora, ainda na faculdade: “Nunca deem de graça o único talento que vocês podem vender”. Fazer dietas é nosso talento. Pode parecer pouco? Talvez. Mas para nós é muito, é trabalhoso e valioso. Por este motivo, estudantes de nutrição, nunca entreguem de graça um trabalho que é seu, por mais que lhe obriguem; nutricionistas, não tenham medo de mostrar seu preço, o valor justo é o valor de seu investimento; pacientes e clientes, valorizem o profissional que você escolheu para te atender, ele é especialista em tratar o seu problema; e por último amigos, colegas de trabalho e familiares, respeitem o trabalho do nutricionista. Se você teve a oportunidade de ganhar um plano alimentar de graça, usufrua o máximo dele – ele não é uma “dietinha de gaveta”, mas sim um documento extensamente trabalhado para sua saúde. Se você não teve esta sorte, por favor, não insista – se você realmente valoriza o trabalho deste profissional, aceite pagar para receber algo que lhe dê resultados reais.

Não espero que este texto consiga mudar o pensamento de ninguém. Nem mesmo de nós nutricionistas. Só espero que tenhamos a consciência de que, para mudar este cenário, primeiro precisamos nos unir para mudar o que nós mesmos pensamos do nosso trabalho.

escritopor2marina

Anúncios

22 respostas em “Oi, você é nutricionista?

  1. Montemor-o-Novo, 1 de Maio de 2016
    Muito boa tarde. Peço desculpa do incómodo, mas poss fazer erros sem saber.
    À noite, deito no liquidificador, 2 alhos, 3 folhas de hortelã, 1 colher de goji, e boa rodela de limão com casca, e bom copo de`´agua . Pela manhã desfaço, tudo, vou coar, e bebo, de 1/2 em 1/2 hora pequeno copo de água, para limpeza dos rins. A INTENÇÃO é dar saúde e purificar. Estou 2 horas sem comer mais nada a não ser beber a água, não demais.. Assim, logo pela manha.
    Por favor acham que é tóxico, ou os ingredientes entram em conflito.? Estou fazendo alguma asneira. Depois como, qualquer coisa. Resto do dia é normal, NUNCA estômago cheio.
    Agradeço uma resposta, e desde já peço desculpa por abusar.
    Carlos Lopes.

  2. Olá, gostaria de saber se dar dicas (mas não prescrever dieta para ninguém) sobre alimentação e dietas na internet, passando informações sobre diversos tipos de dieta (seja postando vídeos no youtube, ou colocando informações em blogs, etc.) sem ser formado na área é proibido (embora muita gente faça). É só a título de curiosidade mesmo, pois vejo muita gente que não é formado na área publicando, e muitas vezes a informação que é transmitida é extremamente questionável e pessoas as vezes com problemas de saúde seguem a informação, sem procurar auxílio de um profissional formado, o que pode ser perigoso. Obrigado e desculpa se a pergunta fugiu do tema!

    • Olá Django. De acordo com o código de ética do Conselho Federal de Nutrição, não é permitido prescrever dietas e realizar atendimento nutricional através da internet e de consultas não presenciais. Orientações podem ser dadas, até porque elas não se encaixam na definição de atendimento (e até mesmo o próprio CFN divulga algumas informações). Infelizmente não conseguimos proibir quem divulga essas informações (se são pessoas sérias ou simplesmente gente que quer ganhar audiência e aparecer). Por via das dúvidas, sempre procure orientações divulgadas em sites e blogs de profissionais, evitando seguir aquelas divulgadas por portais jornalísticos, sites de lojas de suplementos ou por blogueiros sem formação. Essa é a única maneira de você evitar ler uma besteira na internet!

  3. Esse texto foi tudo!!!! Também não gosto de falar que sou Nutricionista em certas ocasiões, odeio quando me pedem uma dieta, porque ninguém pergunta quanto custa! Odeio quando me perguntam as calorias dos alimentos achando que sou uma tabela ambulante, odeio quando perguntam minha opinião sobre os shakes da marca famosa, onde não apoio o uso dos mesmos!!! Parabéns, excelente descrição do nosso dia a dia.

  4. Adorei …. também me identificou com o texto. e confesso que apesar de amar a profissão que eu escolhi, as vezes não gosto de dizer que sou nutricionista, porque logo ouço a pergunta: FAZ UMA DIETA PRA MIM! detesto ouvi isso… Eu logo penso: pagar ninguém quer, eu estudei muito pra chegar ate aqui.

  5. Texto sensacional!
    Só pra complementar, ainda temos que lidar com os pensamentos “pagar Nutricionista? Mas eu pego dieta no blog da XXX”, “ah não preciso de Nutricionista, sigo o Instagram da XX e lá aprendo tudo”, “A o prof. da academia mandou eu tomar suplemento, não preciso ir em Nutricionista”. Sim, nossa profissão enfrenta barreiras de todo tipo, mas cabe a nós mesmas mudarmos nossa postura. Quem me conhece sabe o que penso sobre aceitar baixos salários pq está “precisando trabalhar”…. Penso que se o problema é dinheiro, tem muitas vagas por aí com muito menos trabalho e que não acarretam tanta responsabilidade como é cuidar da saúde das pessoas. Vamos nos valorizar para que os outros também nos valorizem!

  6. É para aplaudir de pé!!! Nossa me identifiquei demais! E tem mais, quando você faz de graça ninguém valoriza. Se você pergunta se a pessoa está seguindo ela SEMPRE fala que não e inventa uma desculpinha. Duvido que se tivesse pago não estaria seguindo. Depois de passarmos horas nos dedicando aquilo, gratuitamente, e a pessoa não dar valor, se bobear nem olhar. Aí que raiva. Não faço mais. Já ouvi do meu tio que sou gananciosa e isso levou a uma discussão seria. Ser gananciosa por cobrar algo inerente a minha profissão? Quem pagará minhas contas se eu sair por aí distribuindo dietas gratuitamente? Se eu quiser fazer algo voluntário o faria com a população carente e não com um monte de filhinho de papai cheio da grana, que gastam tubos de dinheiro com seus suplementos, progressivas, esteticistas e se recusam a pagar uma consulta.
    #prontofalei

  7. Concordo, sinto muito por tantas pessoas não darem o devido valor a nossa profissão, é triste ver pessoas se iludindo com dietas retiradas de revistas que prometem milagres e orientações de amigos e ainda não nos valorizam. Obrigada! Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s