Esquentar comida no microondas, pode?

Você provavelmente já ouviu falar muito mal do seu microondas: que não pode ficar perto dele na hora que ele está esquentando algo (para não receber a radiação), que alimentos em recipientes de plástico não podem ser esquentados e que devemos tampar nossos pratos, para que a comida não fique ressecada. Tudo isto é verdade. Mas você já parou pra pensar se existe algum risco para nós, em comer algo esquentado no microondas?

microondas

Microondas: mocinho ou vilão?

É claro que rola aquele “medinho” de estar comendo algo com overdose de radiação e com riscos graves para a nossa saúde, mas não é bem isso que encontrei nos estudos científicos que tratam do assunto. Então vou dividir este texto em dois tópicos: a influência do microondas nos nutrientes dos alimentos esquentados e a possibilidade de contaminação dos alimentos.

Microondas versus nutrientes

Um texto interessante sobre o assunto, que me foi passado através de um amigo, reforça que é mais provável que os alimentos percam mais nutrientes quando preparados em uma panela com água do que quando esquentados no microondas. Vou explicar porquê. A cocção em água, que é o recomendado por todos os especialistas, não impede a saída de nutrientes do alimento durante o processo. Isto ocorre porque muitos nutrientes são hidrossolúveis, e por um simples processo de osmose, eles passam do meio mais concentrado para o menos concentrado. Adicione a isto, um longo período que este alimento fica na água trocando nutrientes: a perda é quase inevitável (mas vale reforçar que não desvaloriza o valor nutricional do alimento cozido, pois mesmo com a saída destes nutrientes, a concentração encontrada ainda é considerada satisfatória). No microondas esta perda é, teoricamente, menor, pois há quase nenhuma (ou pouca) utilização de água e a exposição ao processo de cocção é bem menor, já que o microondas age por apenas alguns minutos.

Encontrei uma gama de artigos do final da década de 80 e início da 90 (onde começamos a utilizar muito este eletrodoméstico) e pude observar que todos reforçaram não encontrar diferenças significativas em nutrientes de alimentos cozidos no microondas ou de maneira convencional. Se tiverem interesse em ler algum, sugiro que cliquem neste link, que vai lhe encaminhar para alguns resumos do Pubmed sobre o assunto. Um estudo, especificamente de 2009, também afirma que o microondas tem os menores efeitos na redução de característica antioxidantes em vegetais, reforçando o que falamos anteriormente. Por enquanto, de acordo com o discutido acima, não há prejuízo nutricional algum em esquentar seus alimentos no microondas.

radiação

Alimentos se contaminam com radiação?

Sim. É claro que os alimentos se contaminam com radiação, mas vocês acreditam que se esta contaminação fosse exorbitantemente absurda, os órgãos de saúde pública mundiais iriam permitir a venda deste eletrodoméstico por ai? A mesma fonte que citei no início deste texto confirmou a informação com o “INMETRO” americano, que afirma que a Food and Drug Administration (FDA) aceita alguns níveis de contaminação de radiação em um alimento. Os níveis encontrados em alimentos esquentados no microondas são muito inferiores ao limite imposto pelo FDA. Afirmam ainda que a produção de radiação do microondas se interrompe no momento em que a porta é aberta para a retirada do produto esquentado. Ou seja, é um período muito curto para se contaminar de maneira preocupante. Adicione a isto a prováveis camadas protetoras que são colocadas no alimento a ser esquentado: pratos, tampas, vidros. Estas barreiras também seguram bem a radiação.

O Dr. Louis A. Bloomfield, autor do site How Everything Works, é professor de física da Universidade de Virgínia. Especialista em física molecular e reações atômicas, ele respondeu a uma pergunta sobre a ação das radiações do microondas na estrutura dos alimentos esquentados (podendo criar nele algum tipo de mutação cancerígena). A resposta, resumidamente, afirma que as mudanças feitas pela radiação do microondas, na estrutura dos alimentos, são semelhantes às feitas por qualquer processo de cocção (como desnaturação das proteínas ou caramelização do açúcar). Ele reforça ainda que a ação de outros compostos, em conjunto com a radiação, como do ferro ou do aço, só podem queimar o alimento (assim como fazemos quando passamos do ponto na panela), nada diferente do que ocorre em um churrasco. O link para a resposta (em inglês), está aqui.

Devo me preocupar com o microondas?

Sinceramente? Não. Não há nada cientificamente provado, que seja relevante para começarmos a deixar nossos microondas de lado. É claro que eu prefiro trabalhar sempre com a moderação, por isto, prefira sempre a velha e boa tática do fogão para suas rotinas diárias, deixando o microondas para momentos de correria ou de falta de opção. Digo isto nem por questão de segurança alimentar não, mas é porque se tem algo que o microondas ainda não ganhou da cozinha convencional é que o tempero, saído de um bom mestre do fogão, supera qualquer comida seca e borrachuda do microondas.

escritopor2marina

Anúncios

2 respostas em “Esquentar comida no microondas, pode?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s