Francesinhas, Delicias de Portugal

Francesinhas, Delicias de Portugal As francesinhas nasceram no Porto, “inventadas” na década de sessenta por um emigrante regressado de França.  Ele decidiu dar um toque especial a uma receita tipicamente francesa, chamada "croque-monsieur". Esta especialidade típica é um snack muito apreciado nos restaurantes e cafés franceses.  Este iluminado homem teve a feliz ideia de improvisar e adaptar este prato aos nossos ingredientes e à nossa cultura, adicionando ao nosso paladar a magia de um molho que é a alma da receita. Transformou um “simples” "croque-monsieur" em algo com mais alma, a transbordar de vida e de substância. Algo que qualquer português ou portuense nunca teria imaginado ser possível comer até à altura. Depois do caldo verde, das tripas, da broa e do bacalhau à Gomes de Sá, eis então que nasce a única receita gastronômica original portuense do século XX. A Francesinha. Este “estrondoso” prato é hoje em dia uma das mais apreciadas iguarias da cidade, e é a especialidade de vários restaurantes locais dos mais chiques aos mais populistas. A francesinha é portanto um prato do povo, para o povo comer, e presentemente com imensas variantes de receitas, (com variantes inclusivamente vegetarianas imagine-se) mas sempre com o mesmo espírito, de maneira a satisfazer todos os diferentes gostos das nossas gentes.  A que patamar de popularidade nacional chegará esta receita será algo difícil de prever. Aquilo que de facto se pode dizer é que quem cá vem e prova, geralmente regressa. Já inclusivamente houve um projeto de transformar a francesinha numa espécie de “pizza-hut” especializada, com entregas ao domicílio, projecto o qual parecia uma ideia fantástica, mas que não vingou, assim como a criação da cadeia de restaurantes “Francesinhas & Companhia”, que também já fechou as suas portas. Poderá dizer-se que a francesinha pertence apenas aos restaurantes e cafés mais tradicionais do Porto ou sofrerá uma globalização ao país?

A primeira parte do post de hoje foi copiado do El Cocinero Loko


Francesinhas, Delicias de Portugal


As francesinhas nasceram no Porto, “inventadas” na década de sessenta por um emigrante regressado de França.

Ele decidiu dar um toque especial a uma receita tipicamente francesa, chamada “croque-monsieur”. Esta especialidade típica é um snack muito apreciado nos restaurantes e cafés franceses.

Este iluminado homem teve a feliz ideia de improvisar e adaptar este prato aos nossos ingredientes e à nossa cultura, adicionando ao nosso paladar a magia de um molho que é a alma da receita.


Transformou um “simples” “croque-monsieur” em algo com mais alma, a transbordar de vida e de substância. Algo que qualquer português ou portuense nunca teria imaginado ser possível comer até à altura.

Depois do caldo verde, das tripas, da broa e do bacalhau à Gomes de Sá, eis então que nasce a única receita gastronômica original portuense do século XX. A Francesinha.Este “estrondoso” prato é hoje em dia uma das mais apreciadas iguarias da cidade, e é a especialidade de vários restaurantes locais dos mais chiques aos mais populistas.

A francesinha é portanto um prato do povo, para o povo comer, e presentemente com imensas variantes de receitas, (com variantes inclusivamente vegetarianas imagine-se) mas sempre com o mesmo espírito, de maneira a satisfazer todos os diferentes gostos das nossas gentes.
A que patamar de popularidade nacional chegará esta receita será algo difícil de prever. Aquilo que de facto se pode dizer é que quem cá vem e prova, geralmente regressa.
Já inclusivamente houve um projeto de transformar a francesinha numa espécie de “pizza-hut” especializada, com entregas ao domicílio, projecto o qual parecia uma ideia fantástica, mas que não vingou, assim como a criação da cadeia de restaurantes “Francesinhas & Companhia”, que também já fechou as suas portas.
Poderá dizer-se que a francesinha pertence apenas aos restaurantes e cafés mais tradicionais do Porto ou sofrerá uma globalização ao país?
Uma receita de francesinha:

Francesinha à moda 



Ingredientes:


(Feita com os ingredientes que existem em qualquer casa.)
Ingredientes:
2 Cervejas
1 colher sopa de Manteiga ou azeite
1 cebola Média
1 Lata de tomate em “pedaços” (200 ml)
Salsichas (prefiro aquelas com presunto ou salsichas Frescas)
Bifana (
Bifana é um prato típico português. Consiste em febras de porco, cozinhadas à base de alho, vinho, que se põe dentro de pão aquecido. Normalmente são temperadas com mostarda ou molho picante.)

Linguiça
Malagueta
Mostarda
1 Folha de Louro
Farinha “Maizena”
1 cubo caldo carne
Queijo fatiado
Fiambre fatiado
Pão de forma



Preparo:


O inicio de um prato Português, tem na minha opinião, de começar com um refogado.

Neste caso em particular deixo que a cebola, cortada às rodelas, fique ligeiramente “loura” no azeite ou manteiga.
Agora que a cebola esta alourada, junto o “caldo de carne”, mexo com um colher de pau de modo a que se vá desfazendo o caldo de carne, e junto-lhe 1/2 garrafa de cerveja e um 1/4 da polpa de tomate.


Está na hora de enfiar 1/2 salsicha, 1 pedacinho de carne 1 pedacinho de linguiça, a folha de louro a este caldo . Deixa-se ferver ate cozer estes ingredientes. Enquanto vai fervendo, vai-se juntado mais cerveja e mais polpa de tomate.É nesta segunda fase que junto a mostarda e as malaguetas (2 pequeninas). Deixa-se o molho a cozinhar em lume brando, e está na hora de ir preparar a “sande”.

Grelhar as Bifanas, as salsichas, e as linguiças. É normal que fique na frigideira, a gordura largada por este alimentos…Essa gordura, é adicionada ao molho (neste momento), mas é opcional.


Agora preparar o pão e montar a francesinha deste modo:


Fatia de pão -> fatia de fiambre -> fatia de queijo -> Bifana ->-salsicha e linguiça ->fatia de queijo-> fatia de fiambre ->Fatia de pão

A francesinha está montada e está hora de ir ao forno para tostar ligeiramente.

Voltando ao molho que (ainda )se encontra muito liquido. A varinha magica entra em ação: Triturar tudinho ate o molho ficar totalmente liquido. levar ao lume até ferver e adicionar a maizena, até ficar com a espessura desejada.

Nota: para a maizena não ficar com grãos, dissolvo uma ou duas colheres da farinha numa chávena de água, mexo com vigor, e só depois adiciono ao molho.

O molho já deve estar com a espessura desejada, por isso basta mantê-lo quente, bem quente, até sair para a mesa.
Ir buscar a sande ao forno. Cobri-las com duas ou 3 fatias de queijo e levar para a mesa. Agora que a sande está no prato rega-la com o molho. O queijo, que está por cima da sande deve derreter , por ação do calor do molho.

É assim que faço francesinhas, com ingredientes que existem em qualquer casa. Sem complicações, com ingredientes simples, dá para fazer um prato muito aceitável. Bom apetite.  (Receita de Cozinha do Mundo)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s