Opinião

Há um tempo sem postar. Mas nunca é tarde!
Estive pensando muito nisso durante os últimos tempos: sobre o radicalismo das dietas, o desespero pelo emagrecimento, etc. Parece que a cada dia que passa a tensão sobre esse assunto aumenta, entre pacientes e profissionais.
Hoje vi uma cena interessante e resolvi escrever. Uma mulher com excesso de peso almoçando na minha frente. O prato cheio de salada, frango, suco de limão, falando como estava sendo difícil emagrecer. E aí ela começou a contar pra amiga: ” Eu acordo e tomo um leite de soja, porque a minha nutricionista proibiu lactose. Aí como uma fruta no meio da manhã. Na hora do almoço, salada e um franguinho. No meio da tarde, como duas castanhas. Ao final da tarde, um copo de suco light. A noite como uma xícara de salada de frutas com adoçante. Eu estou emagrecendo, mas estou ficando preocupada, porque não sei se vou conseguir comer assim pra sempre”. A minha vontade foi falar “não, você não vai conseguir comer assim pra sempre”. Pra sempre é muito tempo. Por um tempo a gente consegue, mas pra sempre não!
Então, para mim, alguns passos são básicos num tratamento nutricional. Se você vai começar, pela primeira ou pela décima vez… fica a dica.
 (retirada do google imagens)
  • Primeiro passo (básico!): pra emagrecer tem que comer menos que gastar. Ou seja, se você quer emagrecer sem tanto sofrimento, entre na academia, ou faça um exercício físico ao ar livre, qualquer coisa vale! O importante é se mexer. Tem jeito de emagrecer sem exercício? Tem. Mas é muito mais complicado.
  • O segundo passo: é CONHECER o seu corpo e suas vontades. Se você é louca/louco por chocolate, deixe isso bem claro para sua/seu nutricionista. Não há quem seja ‘viciado’ em um chocolatezinho que vai ficar o resto da vida sem comer. Não estou falando pra liberar geral, mas um chocolate as vezes não vai ser o responsável por te engordar, ou não te emagrecer. Tenha juízo e discernimento. Saiba também quem é você. Se sempre lutou contra a balança, provavelmente vai ter mais dificuldade que uma pessoa que sempre emagreceu com facilidade. Leve em consideração sua idade, o sexo (mulheres sofrem mais sim!), o estilo de vida e o metabolismo. Eu, por exemplo, não tenho problemas pra emagrecer. E consequentemente, não tenho problemas com alimentação. Adoro sim uma junk food, tomo minha cervejinha, gosto de um doce, mas essa não é a base da minha alimentação. E se precisar ser por uns dias (no caso de uma viagem, por exemplo), voltando ao normal rapidinho eu perco peso. Mas see você é do tipo que só de olhar pra um sanduíche do Burguer King já engorda 500 gramas, procure fazê-lo de forma eventual.
  • Terceiro passo: procurar um nutricionista sério. Como em todas as áreas, existem todos os tipos de profissionais, bons e ruins. Fuja daqueles que prometem tratamentos impossíveis e milagrosos. Basicamente, não existe milagre. Cada um é cada um. Tem gente que precisa de remédio, tem gente que precisa só adequar algumas coisas, outras que precisam mudar mais o estilo de vida. O segredo é comer com equilíbrio, e este cada um tem o seu. A dieta do amigo pode não servir pra você. Dieta de revista não funciona pra ninguém. Se funcionasse não existiria faculdade de nutrição. Para saber se é um bom profissional, procure indicações. Não de pessoas que emagreceram toneladas, ou ganharam quilos de massa muscular. Cada indivíduo é um, e cada um reage de um jeito a determinado tratamento. Procure saber se esse profissional tem registro no CRN, se não tem nenhum vínculo com farmácias de manipulação (acontece muito!), se não promete milagres com dezenas de cápsulas e faz dietas super radicais e sem sentido (ex: dieta da proteína, dieta do carboidrato, dieta cheias de isenções sem sentido).

(retirada do google imagens)

 
  • Não faça um tratamento inadequado para você: (sei que esse vai gerar polêmica, mas é a minha opinião, e eu preciso falar!). Se você não tem intolerância a lactose ou não tem uma doença celíaca, com qual fundamento você vai se privar de lactose e glúten? Não é pra sair por aí tomando litros de leite e comendo pão como se tivesse acabado de sair da guerra, mas não existe necessidade de se privar totalmente. As pessoas que se privam emagrecem? Sim! Junto com a privação de lactose e glúten, várias calorias vão embora e esses ‘elementos’ em excesso tem seus prejuízos. O que acontece muito: pessoas que eliminam lactose e glúten da dieta, mas chegam no final de semana e excedem na bebida, na carne gordurosa, etc. Aí não adianta nada, sinceramente. E outra: você vai perder o prazer de comer um bom pãozinho francês e um queijinho meia cura? Lembre-se que todo corte radical na alimentação gera um desgaste metabólico. Junto com as calorias, lá se vão milhaaaaaaaares de nutrientes (vitaminas, minerais, fibras). Algumas pessoas precisam sim evitar ou excluir totalmente esses elementos da dieta. Alguns profissionais julgam o glúten e a lactose totalmente maléficos. Como eu disse, em excesso eles tem sim seus malefícios, mas TUDO na vida é assim. Isso não é uma exclusividade da lactose e do glúten. Eu, por exemplo, não posso viver a base de leite e derivados. Mas se eu me privar, não posso também me encher de leite de soja, porque não me faz bem. O segredo é o equilíbrio.
  • Tenha prazer em comer: emagrecer nem sempre é suficiente. Há pessoas que estão magérrimas mas cheia de doenças. Outras que estão um pouco acima do peso e tem seus exames controlados. Longe de mim pessoas esqueleto. Até porque, existem aquelas pessoas que se auto denominam ‘ossos largos’, que nunca vão ter um corpinho de Gisele. A comida é essencial para a vida. Sem comida não vivemos. É um total gerador de prazer. Eu (uma mineira super mineira hehe) vejo nas refeições uma grande oportunidade para unir amigos, família. Adoro ver aquele prato lindo, cheio de cores, cheio de ‘coisa gostosa demais’. Alguns dias vai dar aquela vontade tremenda de comer uma pizza de calabresa, ou uma feijoada, ou um monte de friturinha enquanto tomo cerveja. E não vou deixar esses momentos passarem. Equilíbrio sempre será a solução, pra qualquer momento da vida. Nutricionista sofre muito com isso : “Quantas calorias isso tem?”. Primeiro que a gente não é uma tabela ambulante de valor calórico, e segundo que muitas vezes, a caloria não é importante. Sabiam que um copo de suco de laranja tem o mesmo valor calórico de uma Coca – Cola? Mas o suco de laranja tem benefícios mil, e a Coca-Cola, só o benefício do prazer que ela proporciona por ser gostosíssima. Mas só! Não pire. Coma com prazer. Descubra quais os alimentos mais leves que te dão prazer e invista neles. Se gostar de cozinhar, melhor ainda! Hoje em dia a internet está recheada de sites e blogs de receitas saudáveis.
Bem, basicamente é isso. Eu costumo dizer que um bom nutricionista hoje em dia, não é aquele que sabe muito da sua área. É aquele que sabe muito e que tem muita criatividade para criar cardápios, passar receitas, gerar conforto e praticidade pro paciente. Porque hoje em dia ninguém tem tempo pra ficar horas na cozinha pensando no que vai comer, e preparando. Se você tem alguém pra fazer isso pra você, aproveite muito! Outra solução são as nutricionistas que fazem programas de nutrição na sua casa. Eu, por exemplo, visito a casa do paciente, monto o plano alimentar, um cardápio, e de acordo com a demanda, deixo refeições prontas para ele comer. Ao invés de devorar uma lasanha da Sadia ao chegar no trabalho, ou pedir uma pizza, ele pode saborear um macarrão (sim, porque não?) com um molho de tomate caseiro (super gostoso, cheio de licopeno, que faz super bem pra saúde!!). O paciente é orientado sobre as quantidades, e assim fica tudo mais fácil e gostoso.
Conselho final: trace um objetivo, tenha força de vontade, disciplina, e procure um bom profissional, que vá alcançar o que você quer. Digo isso não só para os ‘gordinhos’ de plantão. Mas para os ‘magrinhos’ que querem ganhar um pesinho, para os diabéticos… para todo mundo que precisa de um/uma nutricionista. Mas acima de tudo, saiba quais as consequências reais da mudança do seu estilo de vida. Ah! E nada de projeto verão hein? Tem que ser projeto 4 estações!
Mudar um hábito tão primordial do ser humano (no caso, a alimentação) não é fácil mesmo. Por isso aconselho MUITA força de vontade e muito foco. Muita disciplina e alegria no que você faz.
Até a próxima!!!!
Escrito por Marina Nogueira
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s