Gastronomia e Alimentação Equilibrada

Atualmente podemos notar a presença da gastronomia na nossa vida através de programas de TV, setores ‘gourmet’ nos supermercados, o crescente número de eventos na área e a abertura de novos cursos e faculdades com especialização em gastronomia.
De outro lado também notamos a crescente preocupação pela saúde alimentar, e com razão: 41% da população brasileira é obesa, o Brasil acaba de ultrapassar os EUA – país mais gordo do mundo – no fator obesidade infantil  (crianças até 5 anos) e dentre as maiores causas de morte do nosso país, 4 podem ser diretamente relacionadas com o excesso de peso.
A solução é unir a gastronomia e alimentação saudável. Mas como fazê-lo?
Primeiro temos que entender o que é uma alimentação equilibrada. Escutamos o tempo inteiro: “pode comer de tudo, mas não em excesso!”. E qual é esse excesso? Para isso temos a pirâmide alimentar, que dita o número de porções a ser consumido diariamente. Outra regra é evitar os alimentos industrializados, ter higiene no preparo das refeições e se alimentar em ambientes calmos e vagarosamente.
Mas a pergunta ainda persiste: e como inserir alimentação equilibrada na gastronomia?
Exemplo simples: França, berço da gastronomia. A taxa de obesidade dos franceses é de apenas 11,3% da população.  Parece paradoxal, afinal a Grande Cuisine francesa é composta de preparações com cremes, molhos, massas e sobremesas super amanteigados, além dos queijos e a presença marcante de carne no cardápio. Mas os franceses sabem se alimentar mesmo com tanta carga calórica: eles se alimentam vagarosamente, em porções bem pequenas; valorizam seus ingredientes regionais e evitam ao máximo a utilização de alimentos industrializados.
E se parece difícil aplicar essa rotina no Brasil, estamos muito enganados. O brasileiro está consumindo produto industrializado por influência comercial e também por preguiça. A agricultura é uma das maiores fontes de renda do país, e ainda é barato e fácil se alimentar de produtos bem variados, como frutas, grãos, legumes, verduras e até carne. No exterior, um produto fresco é caríssimo, tendo em vista a pequena extensão territorial – ao contrário do Brasil, que tem uma grande área a ser explorada pela agricultura.
Dar preferência aos produtos da época, substituir alimentos industrializados pelos naturais (exemplo do caldo knorr e caldo de legumes) e montar um prato com boa apresentação são peças chave para aliar a boa comida a alimentação equilibrada.
 
E os chefes de cozinha podem colaborar valorizando produtos locais, alimentos orgânicos, explorando a boa higiene na preparação de alimentos. O chefe de cozinha tem conhecimento técnico suficiente para substituir técnicas de cocção que aumentam o valor calórico do alimento por outras que mantém o sabor, o valor nutritivo e também mantém as calorias em níveis aceitáveis: um exemplo é o sous vide (técnica de cozimento a vácuo em baixas temperaturas). O chefe de cozinha moderno brasileiro tem uma gama de produtos regionais saborosos, técnicas gastronômicas e a tecnologia ao seu lado que possibilitam inserir a saúde alimentar nos seus cardápios.
Anúncios

Uma resposta em “Gastronomia e Alimentação Equilibrada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s