E frango, pode?

Ontem tive uma aula sobre aves e me despertou uma vontade de falar sobre um assunto que me intriga há muito tempo: o frango. Todo mundo já percebeu a presença incansável de frango na nossa alimentação. 
Quem está em processo de emagrecimento nem se fala: o ‘franguinho grelhado’ está presente em todos os cardápios. 
Nunca fui muito fã de frango (principalmente desse grelhado, ‘frango de dieta’ é o nome que costumo dar para essa preparação). Não sei porque, mas desde pequena sempre gostei da parte que ninguém gosta: moela, coração, pescoço e aquela asinha de churrasco. Lógico que como peito de frango, coxa, etc, mas não me apetece muito. 
Enfim… já conheci pessoas que já tiveram alguns problemas de saúde como câncer de mama, câncer de ovário, etc. E estas pessoas não comem qualquer frango. Frango tem que ser caipira, da roça mesmo. É lógico que você vai pensar “lógico, frango da ‘roça’ é muito mais saudável”. Mas você sabe porque? Então, prepare-se:
O frango é um animal que, quando criado na roça, no quintal, comendo resto de comida, vivendo do seu jeito lá na casa da sua avó no interior, é abatido com 6 meses. Ou seja: nasceu um pintinho, cresceu, comeu muito resto de arroz, feijão e couve, fez 6 meses (aproximadamente), vem sua avózinha e torce o pescoço do bichinho – e faz aquele frango ao molho pardo que está para nascer outro com mesmo sabor. Esse frango que você compra no supermercado, você acha que é igual? NÃO! 

Esse frango de supermercado é criado de uma forma que chamamos de “intensiva” (como na foto acima). O que é isto? O frango fica naqueles grandes galpões, cheio dos seus semelhantes, com luz durante o dia inteiro e comida o dia inteiro. Conclusão: o frango é preparado para comer sem parar, sem dormir, sem descanso. E na comida, encontramos hormônios para os franguinhos se tornarem frangões cheios de carne bem rápido. Falei que o frango da roça demora 6 meses pra chegar num porte que dá para abater e comer. O frango de granja chega nesse porte em 45 dias!!! Aí já dá pra ter uma noção de quantidade de hormônios que esses frangos tomam.
Quem tem experiência ou já caiu do nada em uma cozinha para limpar um frango já viu. Tem frangos que soltam uma “baba”, meio viçosa, meio transparente. Isso tudo, graças a eles, os hormônios.
Mas aí você me pergunta: ” e qual são os efeitos dos hormônios do frango na nossa alimentação?”. 
Logicamente quando você procura sobre isso, você acha muitos estudos que dizem que esse “papo” de hormônio de frango não existe. Mas lembrem-se que muitos estudos são financiados pelos próprios laboratórios, como já disse aqui. Outros estudos mais sérios demonstram que a dieta de hoje, com frangos cheios de hormônios podem causar uma menstruação precoces em meninas, um aumento do risco de câncer de mama e ovário em pacientes com histórico familiar.
Para fugir desse problema, procure frangos ”Orgânicos” – que são iguais àqueles frangos da vovó – ou de criação “semi intensiva” – estes são iguais os da vovó, porém mais chiques, ganham ração especial (mas sem hormônio!) e outros cuidados especiais. Para saber é só procurar nas embalagens nos grandes supermercados. Hoje em dia toda cidade de médio/grande porte tem acesso a parte de orgânicos ou naturais nos supermercados ou casas especializadas.
Por favor: não estou dizendo para abolir o frango da alimentação, mas para tomar cuidado na hora de comprar esse alimento (e seus derivados, logicamente).
Anúncios

13 respostas em “E frango, pode?

  1. Marina, em primeiro lugar, essa pessoa aí que falou dos hormônios está blefando. A essas alturas, talvez você tenha ido conferir a informação e descoberto que, sim, há hormônios na dieta dos frangos. Porém, tão ou mais preocupante que os tais hormônios é a quantidade surreal, que dão pra essas pobres galinhas, de antibióticos e outros remédios contra fungos, ácaros e até contra os transtornos compulsivos que desenvolvem por viver em ambiente tão hostil. Tais "insumos" além dos ditos hormônios, sobrecarregam a carne do frango com um coquetel de substâncias pra lá de bombástico para os seres humanos que comem muito frango de granja. Sobre isso, infelizmente, creio que a sabichona da D. Veronica não terá nada a dizer.

  2. Marina, em primeiro lugar, essa pessoa aí que falou dos hormônios está blefando. A essas alturas, talvez você tenha ido conferir a informação e descoberto que, sim, há hormônios na dieta dos frangos. Porém, tão ou mais preocupante que os tais hormônios é a quantidade surreal, que dão pra essas pobres galinhas, de antibióticos e outros remédios contra fungos, ácaros e até contra os transtornos compulsivos que desenvolvem por viver em ambiente tão hostil. Tais "insumos" além dos ditos hormônios, sobrecarregam a carne do frango com um coquetel de substâncias pra lá de bombástico para os seres humanos que comem muito frango de granja. Sobre isso, infelizmente, creio que a sabichona da D. Veronica não terá nada a dizer.

  3. Gente, aqui é um mero blog, não somos revista científica e nem formadores de opinião, por isso mesmo não temos revisores. Somos todos médicos e nutricionistas, e temos um pouco (não total) de conhecimento, somos graduados e pós graduados. Lê quem quer e opina quem quer. Atacar os outros pela revolta de vocês não leva a lugar nenhum. Peço que sim, critiquem, deem a sua opinião, mas sem insultos pessoais ou palavras de baixo calão.Os comentários de baixo nível serão retirados. Obrigada e voltem sempre!Equipe BatataFrita

  4. Prezada Marina, Você ouviu falar de melhoramento genético?? Pois é, os frangos de granja atingem o peso de abate com 42 dias devido à genética, a nutrição e o manejo. Porém, na alimentação não entram hormônios, pois para estes atuarem no crescimento como hormônios, eles precisam passar na forma intacta pelo tratto digestivo, isto significa que se forem digeridos eles perdem a capacidade de funcionar como hormônios. A única forma deles atuarem como hormônios, seria se fossem injetado em ave por ave. Concorda que para uma criação intensiva isso seria inviável? Claro que concorda, mostrou uma foto de um galpão lotado, e isso demandaria tempo e dinheitro. ALém do mais, com a evolução da genética estes não são necessários. Portanto, estude bastante, antes de falar besteira!! Bons estudos!!Att,Verônica Bernardino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s