Sibutramina pode?

Hoje saiu a notícia que a Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) irá proibir a venda de Sibutramina e todos os medicamentos que contêm esse composto.

A Sibutramina (que atua no sistema nervoso simpático) faz com que os indivíduos que utilizam dessa substância se sintam saciados por mais tempo. Mas como? ” A sibutramina deixa a noradrenalina e sertonina disponíveis por mais tempo no corpo” – explica Larissa Toledo, acadêmica do Curso de Farmácia pela UFMG.

A sibutramina geralmente é indicada para obesos, juntamente com reeducação alimentar e exercício físico. O EMEA fez um estudo comparativo entre uma população de obesos que teve o uso regular de sibutramina, e outro que tomava um placebo. Notou-se que a diferença na redução de peso daqueles que tomaram a sibutramina para aqueles do grupo do placebo foi desprezível, e que houve um aumento considerável no risco de doenças cardiovasculares (como infartos, por exemplo).

Larissa Toledo alerta “após a interrupção do uso da sibutramina, o indivíduo tende em ganhar o peso que havia perdido e ter problemas de ansiedade, podendo até desenvolver a síndrome do pânico”.

O uso de remédios para emagrecer é amplamente utilizado no Brasil. Segundo a Comissão Internacional de Controle de Narcóticos, o Brasil, a Argentina e os Estados Unidos consomem 78% dos inibidores de apetite produzidos em todo o mundo.

No Brasil a sibutramina tem venda permitida através de prescrição com receita branca (e com retenção desta na farmácia). Porém sabemos também que há compra deste medicamento de forma irregular, e é utilizado amplamente pela população sem nenhum acompanhamento médico. Ressaltamos aqui a importância de um profissional para orientar o seu uso, uma vez que é um medicamento que pode causar sérios danos a saúde.

Há casos que o uso de medicamentos são indicados no processo de emagrecimento, mas essa indicação só pode e deve ocorrer com orientação de um profissional habilitado (Médico Endocrinologista, por exemplo) e preferencialmente em conjunto com Nutricionista (e muitas vezes com um psicólogo).

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) comunicou que em fevereiro emitirá um parecer sobre a Sibutramina. Vamos aguardar para que possamos contar com uma decisão coerente e precisa sobre esse medicamento tão banalizado e mal utilizado.
(para quem quiser mais detalhes sobre o estudo europeu, basta clicar aqui)
Anúncios

3 respostas em “Sibutramina pode?

  1. Isso mesmo Marina… Afinal, a Sibutramina é um remédio, e em doses certas, com controle correto, pode sim ajudar muita gente. Mas estima-se que a maior parte da população não usa de forma controlada e monitorada, ocorrendo uma banalização do tratamento, levando assim aos danos à saúde

  2. Isso mesmo Marina… Afinal, a Sibutramina é um remédio, e em doses certas, com controle correto, pode sim ajudar muita gente. Mas estima-se que a maior parte da população não usa de forma controlada e monitorada, ocorrendo uma banalização do tratamento, levando assim aos danos à saúde

  3. Vale ressaltar que não só endocrinologistas recomendam sibutramina, como também clínicos e cirugiões. É sempre interessante discutir o objetivo do uso do medicamento com o profissional, e o seu objetivo com o mesmo, para avaliar os pós e os contras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s