Culinária Árabe

A cozinha Árabe é bem conhecida no Brasil, e por onde vamos encontramos algum restaurante especializado nesse serviço. A culinária Árabe é uma mistura de várias influências, e muito variada – grãos, laticínios, carnes, ervas e especiarias, vegetais, molhos – uma mistura de gostos e cores.

Se há um elemento muito presente nos nossos costumes, é o kibe (assado, frito ou cru). Preparado com trigo hidratado, carne moída e temperos, oferece a fonte proteica de forma saborosa e bastante aceita – prefira o kibe assado ou cru (fuja das frituras, e no caso do kibe cru, utilize carne de um frigorífico de confiança).

O pão sírio é outro componente bastante presente na nossa cultura. E pão sírio engorda? Feito de farinha, fermento, açúcar, sal e água,a unidade grande tem 90 kcal (nosso paozinho francês tem em torno de 140 kcal). Porém, por ser utilizado muito em acompanhamentos de pastas e tira gosto, muito cuidado! Você provavelmente não come apenas 1 pão sírio.

Já os acompanhamentos são o homus (é uma pasta feita com pasta de grão de bico e tahine (pasta de gergelim que é normalmente temperada com suco de limão, cominho, alho, azeite e páprica), tabule (trigo, tomate, cebola, ervas, salsa, hortelã), Baba ganoush (pasta feita de berinjela e pasta de gergelim), entre outros.

É interessante observar a quantidade e variedade de grãos presentes na culinária Árabe. O grão de bico é uma ótima fonte de proteínas, sais minerais e vitaminas do complexo B e triptofano (essencial para a produção de uma substância que nos propõe a sensação de bem estar: a serotonina). O gergelim, ocidentalmente presente basicamente em pães de sanduíches, é um excelente alimento. Dentre as propriedades do gergelim, é importante citar que ele é fonte de ácidos graxos insaturados – importantes para o aumento do HDL (“bom colesterol”), minerais como o Cálcio – 90mg de cálcio por colher de sopa para sementes integrais não descascadas e 10mg para sementes descascadas: lembrando que o indicado para adultos saudáveis de 19 a 50 anos é de 1000 mg).

A culinária Árabe deve ser observada no seu consumo quanto à limpeza do local – por seu um tipo de comida que passa por vários processos de manipulação e utiliza carnes cruas, devemos procurar um local limpo e de confiança. Se é saudável? É saudável, e se consumida com moderação pode proporcionar todos os macronutrientes sem risco de aumento de peso. Mas lembre-se que o excesso pode levar a um aumento de peso. E muito cuidado com os “fast-food” árabes: estão recheados de açúcar, gorduras saturadas e conservantes!

Quem viajar para os territórios Árabes, você pode conferir um ‘manual’ do Jornal Folha de São Paulo (http://publifolha.folha.com.br/catalogo/livros/136256/) e vale a pena se entregar às delícias da culinária regional, e quem sabe trazer na mala novas receitas e formas de utilizar tantos grãos e ervas aromáticas! Como dizem os árabes, bil-hanaa’ wach-chifaa’! – bom apetite!

2 respostas em “Culinária Árabe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s